Violência doméstica: influência no desenvolvimento biopsicossocial e no processo de aprendizagem de quem a sofre


Hayueck (2009) descreve a violência como uso da



Baixar 128.06 Kb.
Página4/7
Encontro27.05.2018
Tamanho128.06 Kb.
1   2   3   4   5   6   7
Hayueck (2009) descreve a violência como uso da agressividade de forma intencional e excessiva para ameaçar ou cometer algum ato que resulte em acidente, morte ou trauma psicológico. A violência se manifesta de diversas maneiras, em guerras, torturas, conflitos étnico-religiosos, preconceito, assassinato, fome, etc. Pode ser identificada como violência contra a mulher, a criança e o idoso, violência sexual, violência urbana, etc. Existe também a violência verbal, que causa danos morais, que muitas vezes são mais difíceis de esquecer do que os danos físicos.
A família é um espaço íntimo, onde os integrantes procuram refúgio sempre que se sente ameaçados. No entanto, é no núcleo familiar que também acontece situações que modificam a vida do indivíduo, deixando marcas irreparáveis em sua existência, uma dessas situações é a violência doméstica contra a criança e o adolescente.
A violência doméstica pode ser definida como sendo todo ato ou omissão praticado por pais, parentes e responsáveis contra crianças e/ou adolescentes que, sendo capaz de causar danos físicos, psicológico á vitima, implica numa transgressão do poder/ dever de proteção do adulto. Por outro lado, numa coisificação da infância, isto é, numa negação do direito que crianças e adolescentes tem de ser tratados como sujeito e pessoas em condições peculiar de desenvolvimento (ROSAS 2006, apud AZEVEDO E GUERRA 2001).

Segundo Silvia (2007) a violência pode se classificar em quatro tipos sendo:

Violência física que é qualquer ação única ou repetida, não acidental (ou intencional) cometida por um agente agressor adulto (ou mais velho que o agente agredido) que provoque danos físicos na criança ou adolescentes, ou seja, o uso da força física por parte dos pais ou repensáveis com o objeto intencional de ferir a criança ou adolescente é uma forma de abuso ou maus tratos.

As consequências da violência física podem ser tanto orgânicas quanto psicológicas. As orgânicas implicam em sequelas provenientes de lesões abdominais, oculares, de fratura de membros superiores, inferiores ou crânio, de queimaduras, etc, enfim que poderão causar invalidez permanente ou temporária. Em casos extremos esse tipo de violência pode levar a morte recebendo o nome de violência fatal. Quanto às consequências psicológicas são inúmeras, entre elas estão os sentimento de raiva, de medo enquanto ao agressor, quadro de dificuldades escolares; dificuldades quanto a confiar nos outros, autoritarismo. (LIMA,2007).

No estudo de Greven apud Lima (2007), o autoritarismo tem representado uma das consequências mais difusa e residente da punição física, criando a paradoxal subserviência para com autoridade e rebelião contra ela, o que frequentemente é uma marca das personalidades autoritárias.

A Violência psicológica afeta principalmente o desenvolvimento psicológico, emocional, social e cognitivo da vítima. É o ato de rejeitar, isolar, aterrorizar, ignorar, corromper, depreciar, discriminar, desrespeitar e criar expectativas irreais ou exigir rendimentos escolares, intelectuais, esportivos ou interferir negativamente sobre a criança e o adolescente, tendo como danos uma autoimagem negativa, obesidade, afecções da pele, distúrbio do sono, dificuldades na fala, comportamento infantil, depressão, destruição da autoestima, dificuldade de socialização (fazer amizades, expressar-se em público), distúrbios de aprendizagens e fraco desempenho ou estimulando na criança um padrão de comportamento destrutivo (LIMA,2007).    


Segundo Menegazzo (2011), a criança e o adolescente não são seres humanos incapazes e inferiores, mas sim, pessoas em fase de desenvolvimento psicológico. O sofrimento psíquico ocasionado pela violência psicológica pode acompanhar a vítima durante toda a sua vida, gerando profundos sentimentos de mágoa e insegurança, sensação de abandono e solidão. Em muitos casos, onde a violência psicológica é demasiadamente reiterada, o resultado pode ser um grave transtorno de conduta antissocial.
Violência sexual corresponde a todo ato ou jogo sexual entre um ou mais adulto e uma criança ou adolescente, tendo por finalidade estimular sexualmente ou utilizar a criança /adolescente para obter satisfação sexual. As leis brasileiras classificam como ato de violência contra crianças e adolescentes e passiveis de punição: a palpação sem consentimento as caricia eróticas, o voyeurismo (observar a nudez de crianças e adultos sem ser percebido), ser obrigado a tocar e acariciar os genitais de um adulto, fotografar crianças em poses ou situações eróticas e um adulto sugerir a qualquer criança ou adolescentes situações que envolvam sexo ou estupro.

Negligência ocorre quando os pais deixam de lado esses cuidados básicos ocorre o que chamamos de negligência. A negligência significa a omissão de cuidados básicos como a privação de medicamentos; a falta de atendimento aos cuidados necessários com a saúde; o descuido com a higiene; a ausência de proteção contra inclemências do meio com o frio e o calor; o não provimento de estímulos e de condições para a frequência à escola. (BRASIL, 2002 ).

Um conceito exato de negligência é de difícil discernimento devido às diferentes condições socioeconômicas que vivem as famílias. No entanto, é consenso entre os doutrinadores que omitir os cuidados básicos necessários e acessíveis a todas as famílias é crime, e assim deve ser tratado.



Baixar 128.06 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual