Universidade paulista – unip



Baixar 300 Kb.
Página4/42
Encontro04.03.2018
Tamanho300 Kb.
#228
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   42
Palavras-chave: inclusão escolar, equipes multidisciplinares, pessoas com necessidades especiais, estratégias de trabalho.

SUMÁRIO


  1. - Introdução 10

1.1 - Histórico sobre deficiência 13

1.2- Inclusões Escolar 15

1.3–A trajetória da educação inclusiva 16

1.4- A Inclusão em uma perspectiva legislativa: DECLARAÇÃO DE SALAMANCA (1994) E LEI DE DIRETRIZES E BASES

DA EDUCAÇÃO (1996) 18
2.0 - O ensino regular: inclusão social do deficiente nesse contexto 20

Construção de uma rede de apoio frente à inclusão escolar 21


2.1 – OBJETIVOS 26

2.2.- MÉTODO 26

2.3.- SUJEITOS

26

3.0 - COLETA DE DADOS



28

3.1- RESULTADOS

28

3.2 - CATEGORIAS 29

31

3.3- DISCUSSÃO DAS CATEGORIAS

38

4.0 – CONSIDERAÇÕES FINAIS

40

4.1- REFERÊNCIAS

42

ANEXOS


  1. Introdução

Toda pesquisa está vinculada a um determinado foco de interesse acerca de um determinado assunto.

Nosso olhar nesse estudo focadalizou-se especificamente na atuação das equipes multidisciplinares frente à inclusão social dos 1portadores de necessidades especiais (PNE),que segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) são: “Indivíduos que apresentam dificuldades de natureza física, psíquica e/ou que necessitam de quaisquer cuidados especiais”. ( 2002, p.57).

Nosso grupo de pesquisa ficou mobilizado em investigar como se configura a atuação de equipes multidisciplinares na inclusão social das pessoas com necessidades especiais no contexto escolar. Antes de entrarmos em contato, especificamente com a atuação desta equipe é primordial compreender o que é inclusão social e como ela vem sendo entendida no mundo atual.

A inclusão social seja em que contexto for, deve ser entendida como um processo paulatino e gradual, nunca isolado e sim um processo conjuntamente construído.
“ a inclusão social no âmbito da educação é uma questão de direitos humanos, e os indivíduos com deficiências devem fazer parte das escolas, as quais devem modificar seu funcionamento para incluir todos os alunos.” STAINBACK(1999, p.21)
Em nossa pesquisa investigamos como se estabelece a atuação e a relação desses profissionais da equipe multidisciplinar entre si e como constroem vínculos com o deficiente em busca da inclusão e inserção no contexto de uma escola regular.

O conceito de inclusão é bastante recente. Temos que lembrar que até o inicio do século XX, os indivíduos portadores de necessidades especiais eram colocados à margem da sociedade. Acreditava-se que não teriam condições de acompanhar as exigências do contexto de uma escola regular, e que acabariam por atrapalhar o rendimento de outros alunos, portanto não era visado o fenômeno da inclusão.

Hoje o mundo globalizado possibilita um entendimento social inclusivo com inúmeras possibilidades de transformação e criações inovadoras.

Nosso ponto de interesse em desbravar esse tema surgiu a partir da afirmação de Stainback(1999, p.23), de que “ Para que esse movimento de inclusão ocorra no âmbito escolar são necessários diversos apoios que impulsionem esse movimento inclusivo.” Nosso interesse foi de investigar quais são esses apoios e de nos aprofundarmos no conhecimento da atuação de alguns deles:

A rede na qual todos os envolvidos na escola, também os alunos deveriam estar integrados e afinados com a proposta inclusiva.

O trabalho de uma equipe multidisciplinar que planejaria estratégias para inclusão integrada das pessoas com necessidades especiais no contexto escola. Porém essa equipe multidisciplinar é o objeto de nosso estudo, que nos levou a procurar conhecer como atua no movimento de inclusão escolar das pessoas com necessidades especiais.

A equipe multidisciplinar pode ser definida como um grupo de profissionais que atua de forma conjunta em um mesmo ambiente de trabalho, utilizando-se de comunicações interligadas. Na equipe multidisciplinar há uma soma dos conhecimentos setorizados de forma que cada profissional possa colaborar igualmente no processo de inclusão, cada um com seu conhecimento específico.

“A atuação da equipe multidisciplinar na escola, se o trabalho for bem feito e integrado entre os profissionais, é muito importante para inserção do PNE nesse contexto.” (MALDONADO, 2003 p. 28 )


A questão é, será que existe consciência interdisciplinar nesta equipe? Será que o núcleo familiar do deficiente é ouvido por essa equipe? Será que nas estratégias de atuação dessa equipe frente à inclusão, o estado emocional do deficiente é levado em consideração?

Nossa pesquisa tem como público alvo profissionais integrantes de equipes multidisciplinares ligados à inclusão escolar e a finalidade é auxiliar professores e profissionais da educação a lidarem melhor com as diferenças e proporcionar uma reflexão sobre a possibilidade de ensinar e aprender com as diferenças. Uma afirmação nos instigou no propósito de nossa investigação

“Para que o contexto da escola regular consiga realizar a inclusão dos portadores de necessidades especiais de uma forma qualificada é necessário, uma equipe que auxilie os profissionais dessa escola a entender os mecanismos da inclusão dos PNEs e qual a melhor estratégia de trabalho que essa escola poderá oferecer a esse PNE, somente com a participação integrada de cada profissional dessa equipe, realizando a orientação indicada com a escola o PNE poderá ser inserido nesse contexto de maneira ,,,adequada.”

(WERNECK. 1997, p.47)

A afirmação supracitada pautou o cerne da nossa pesquisa, nosso intuito foi fazer uma reflexão juntamente com a comunidade acadêmica, sobre a importância da constituição sólida desta equipe de profissionais dentro do processo inclusivo do deficiente no âmbito escolar.





Baixar 300 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   42




©psicod.org 2022
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
conselho nacional
concurso público
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
ensino médio
minas gerais
seletivo simplificado
Conselho nacional
oficial prefeitura
terapia intensiva
Curriculum vitae
Boletim oficial
direitos humanos
Concurso público
Universidade estadual
saúde mental
educaçÃo infantil
educaçÃo física
saúde conselho
Centro universitário
Conselho regional
Poder judiciário
assistência social
santa maria
Excelentíssimo senhor
ciências humanas
Atividade estruturada
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
Dispõe sobre
ensino aprendizagem
recursos humanos
outras providências
Conselho municipal
secretaria municipal
catarina prefeitura
público federal
educaçÃo universidade
psicologia programa
Serviço público
Componente curricular
Corte interamericana