Universidade Federal Fluminense


UMA DISCURSSÃO SOB A INCLUSÃO DE PESSOAS PORTADORAS DE



Baixar 1.22 Mb.
Página292/334
Encontro27.05.2018
Tamanho1.22 Mb.
1   ...   288   289   290   291   292   293   294   295   ...   334
UMA DISCURSSÃO SOB A INCLUSÃO DE PESSOAS PORTADORAS DE

NECESSIDADE ESPECIAL NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

Mauricio Barbosa de Paula

Francisca Deiva Moura Montenegro Reis

Resumo: Este trabalho tem como objetivo apresentar uma discurssão sob a inclusão de Pessoas Portadoras de Necessidade Especial (PPNE), nas aulas de Educação Física Escolar mostrando a contribuição, os benefícios e as dificuldades encontradas pela disciplina e pelos professores para que esta possa incluir a todos, portadores ou não de necessidade especial.

Muitas escolas não estão preparadas para atender uma PPNE, seja pelas instalações físicas, seja pelo despreparo dos professores ou ainda pelo desinteresse e preconceito. É fato que a PPNE ainda depara-se com a dificuldade de inclusão nas escolas comuns e nas classes ditas regulares. A inclusão é um direito assegurado por lei a PPNE e são muitos os benefícios tanto para este como para o aluno dito “normal”. Os dois têm a oportunidade de aprender com as diferenças individuais exercitando o respeito, a cidadania, a cooperação e a integração dentro da diversidade humana. A Educação Física muito contribui para o desenvolvimento do domínio motor, autonomia e integração da PPNE na sociedade. A PPNE, assim como o aluno dita “normal” necessita de atividades físicas especializadas que atendam as suas limitações. E apesar do número de professores preparados para trabalhar com a PPNE ainda ser pequeno, a inclusão se legitima na escola e nas aulas de Educação Física Escolar, desenvolvendo ao máximo suas potencialidades, fazendo-a conquistar condições de vida as mais próximas possíveis da outra pessoa, gerando um sentimento de pertencer na sociedade, que, aliás, é um direito de todos. Não existem receitas nem tão pouco manuais e sim o professor preparado e consciente que entende que a inclusão é facilitadora do processo de ensino-aprendizagem e que, portanto, o professor deve ser flexivel fazendo as adequações necessárias à participação de todos.

A Educação física escolar que tem como meta a inclusão do aluno na cultura corporal de movimento é de extrema importância na formação integral do aluno, sendo ele portador ou não de alguma necessidade especial.

Na escola ,presume-se que todos, sem exceção, devem participar do cotidiano escolar, em escolas ditas comuns e nas classes ditas regulares, onde deve ser desenvolvido o trabalho pedagógico que sirva a todos, indiscriminadamente (Edler Carvalho, 1998).

Sabemos que muitos professores de Educação Física não estão preparados parta atuar com o PPNE (Pessoa Portadora de Necessidade Especial), já que não receberam em sua formação conteúdos que os auxiliassem a incluir o PPNE em sua aulas, estimulando a sua adaptação e autonomia.

Este trabalho tem como objetivo discutir a inclusão do PPNE nas aulas de Educação Física.

Apesar da lei no. 9394/96 que legitima a inclusão dos PPNES na educação regular sabemos que muitas escolas não estão preparadas para atender o aluno PPNE. Os motivos vão desde o despreparo dos professores até a inadequação das instalações físicas.

Mesmo caminhando a passos lentos a escola vem ampliando a inclusão e permanência dos PPNES nas classes regulares de ensino, afinal ele é tão digno e merecedor da educação como qualquer outro aluno. Isso não tem sido fácil já que nossa sociedade se mostra preconceituosa, seletiva e discriminadora.

A inclusão escolar é uma processo que contribui para construção de um novo tipo de sociedade, através de transformações nos ambientes físicos (espaços internos e externos, equipamentos, aparelhos e utensílios, mobiliários e meios de transportes), na mentalidade das pessoas e também dos PPNEs. Esse processo refere-se a diversidade de sistemas sociais, possibilitando que essa fração populacional se prepara para assumir papéis na sociedade. É também um processo bilateral no qual a pessoa com necessidades educativas especiais e a sociedade, buscam, em parceria, equacionar problemas, decidir sobre soluções e efetivar a equiparação de oportunidades para todos expressando um modelo social da deficiência repousando em princípios até então incomuns. São eles: a) aceitação e celebração das diferenças sociais; b) valorização de cada pessoa; c) convivência dentro da diversidade humana; d) aprendizagem através da cooperação; e) cidadania com qualidade de vida (Caputo & Ferreira 1998).

Mas o que é incluir? E o que é um PPNE? Segundo consta no dicionário LUFT Incluir é: 1) abranger; compreender. 2) inserir; introduzir. 3) fazer parte. Podemos dizer, segundo vários autores como Arthur Moreira da Silva Neto que Pessoa Portadora de Necessidade Especial (PPNE), são todas as pessoas que precisam de métodos, recursos, e procedimentos especiais durante o seu processo de ensino-apredizagem. Sendo assim, podemos citar como PPNEs pessoas que apresentam: deficiência sensorial, deficiência motora, deficiência cognitiva, altas habilidades, transtornos psicomotores, doenças crônicas, transtornos de personalidade, autismo psicose, síndrome de Down, deficiência múltipla, inadaptação social, dependência química, dentre outras.

A Educação Física adaptada é uma área da Educação Física que tem como objetivo de estudo a motricidade humana para as PPNEs, adequando metodologias de ensino para o atendimento às características de cada portador de deficiência, respeitando suas diferenças individuais ( Duarte & Werner , 1995).

A Educação Física adaptada foi regulamentada através da resolução 3/87 do Conselho Federal de Educação que prevê a atuação do professor de Educação Física com PPNES, por isso sabermos que muitos professores atuantes na escola não se sentem preparados por não terem sido contemplados com a disciplina em seu curso. Os Parâmetros Curriculares Nacionais esclarecem que “deve se analisar o tipo de necessidade especial que o aluno tem, pois existem deferentes graus de limitações, que requerem procedimentos específicos. Embora existam inúmeros cursos de aprofundamento, de especialização, de mestrado, de doutorado no país que preparam professoras de Educação Física para atuarem na área de Educação Física Adaptada, nos contextos onde não houver professores preparados para atuar com esse tipo de população é necessário que haja orientação médica e, em alguns casos a supervisão de um especialista em fisioterapia, neurologista, psicomotricista ou psicólogo, pois as restrições de movimentos, posturas e esforços podem implicar graves riscos”.

É notório e significativo a importância e os benefícios que a inclusão dos PPNES nas aulas de Educação Física trazem tanto para ele quanto para os alunos dito “normal”.

Para as PPNES participar de uma aula de Educação Física significa Ter a sua auto-estima e a auto-imagem desenvolvida e melhorada, estimula a independência, o convívio e integração com outras pessoas, a possibilidade de relacionar-se com o seu próprio corpo, além de uma oportunidade de testar suas possibilidades, previnir-se contra deficiências secundárias e integrar-se consigo mesmo e com a sociedade.

Para o aluno dito normal o convívio com os PPNES, fazem refletir, perceber e aceitar as diferenças individuais como um atributo e não como um obstáculo. Aprendem que todos têm o direito de pertencer, e não de ser excluído.

A participação de todos nas aulas de Educação Física, crianças e jovens, especiais ou não proporcionam a oportunidade de serem valorizados e de se integrarem no mesmo mundo. Segundo Pedrinelli (1994), “todo o programa deve contar desafios a todos os alunos, permitir a participação de todos, respeitar suas limitações, promover autonomia e enfatizar seu potencial no domínio motor”.

Silva & Krug (1999) dizem que o aluno portador de necessidades educativas especiais necessita de atividades físicas e especializadas tanto quanto o aluno considerado normal. Salientam que um bom trabalho na área de Educação Física ajuda o aluno PPNE amenizando as suas frustrações, entretanto o trabalho para Ter bons resultados tem que ser bem planejado e executado. Destacam ainda que o profissional que opta por esse trabalho tem que boa formação teórica, isto é, um bom conhecimento na área de Educação Especial e de Educação Física e, acima de tudo, Ter muita força de vontade, garra e amor. Desta forma, a Educação Física poderá tornar-se um processo facilitador das PPNES na escola.

Sendo desta forma a PPNE deve ser apresentado ao grupo “aluno normal” como uma pessoa normal com algumas necessidades diferenciadas das demais. Sendo trabalhado com esse aluno atividades que possibilitem a interação com o grupo estimulando e motivando-o. Cabe ao professor propor atividades que todos sejam capazes de desenvolver adequando-as, adaptando ambientes, materiais e recursos, para que a PPNE possa efetivamente participar das aulas e ser beneficiada, atendendo assim a proposta de inclusão de todos, portadora ou não de necessidade especial nas aulas de Educação Física.





Baixar 1.22 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   288   289   290   291   292   293   294   295   ...   334




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual