Ústav románských jazyků a literatur


Literatura moderna e Cultura: discurso crítico



Baixar 377.75 Kb.
Página6/23
Encontro06.04.2018
Tamanho377.75 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   23

3.1 Literatura moderna e Cultura: discurso crítico

A postura crítica no discurso literário tem sido desenvolvida ao longo de toda a história da literatura conforme os acontecimentos sócio-culturais de cada uma das sociedades. Com a evolução das nações modernas a crítica na literatura modifica o seu modus operandi e podemos afirmar que, hoje em dia, a maneira com que é adoptada não tem sido tão explícita como antigamente. Devido a este facto achamos pertinente estabelecer a definição mais concreta para o termo crítica como sendo um dos marcos mais emblemáticos da escrita moderna, cultivada também por José Cardoso Pires.

Naturalmente que o conceito de crítica não se aplica única e exclusivamente ao acto de denunciar uma realidade indesejável, ao protesto relativo a uma determinada ordem sócio-cultural ou uma oposição à política, que iniciou a estirpe da «literatura participante» ou «engajada». Para além da vigilância em relação às revelações ideológicas dominantes que formam a linguagem comum, compreendemos sob a postura crítica uma atitude de indagação da literatura a respeito da sua própria eficácia como o discurso crítico. Por outras palavras a literatura moderna mantém um sentido autocrítico e desta maneira evita a mistificação de si mesma e do próprio poder que, em princípio procura subverter, enquanto a crítica.

Devemos afirmar que a reflexão sobre a si mesma aparece como a condição elementar para um texto literário poder engendrar o discurso crítico, ou seja, uma posição da diferença, da subversão ao código comum. Esclarecemos estas afirmações com o pensamento da crítica brasileira Leyla Perrone Moisés:


A obra escreve-se e lê-se como um exercício de crítica e de autocrítica. Presente na gênese desta escritura, a crítica a engendra e a forma. O que a caracteriza e lhe dá a sua originalidade e a sua modernidade, é o facto de ser antes de mais uma crítica do significante, que atinge o significado por ricochete, e de modo mais certeiro do que se este fosse directamente visado.15
Estas considerações são necessárias porque queremos iniciar a leitura da obra de José Cardoso Pires com o ensaio Cartilha do Marialva. É importante a observação que como ensaísta, o autor apresenta-se como o crítico da cultura portuguesa. Ao revelar esta posição do escritor, porém, não implica que se possam analisar os seus textos de ficção da mesma maneira e com os mesmos princípios que o ensaio. Além disso, a forma crítica não se produz igualmente em todos eles, ainda que se mantenha o traço fundamental da escrita cardoseana.


Baixar 377.75 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   23




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual