Questões sobre psicologia do desenvolvimento


Kohlberg – julgamento moral



Baixar 331.5 Kb.
Página47/55
Encontro04.03.2018
Tamanho331.5 Kb.
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   55
Kohlberg – julgamento moral
Começa a partir, mais ou menos, dos 16 anos os estágios 5 e 6 da moralidade pós-convencional que pode ser alcançada na vida adulta. Entretanto, grande número de pessoas jamais consegue atingir este nível em que os valores morais são aceitos conscientemente.

No estágio 5, o certo e o errado dependem de padrões aprovados pela sociedade como um todo. A pessoa sente que tem obrigação de obedecer à lei, mas entende que as leis não são absolutas. Podem ser mudadas, se todos concordarem. Orientação para o contrato social, as ações são orientadas por princípios elaborados de comum acordo como essenciais ao bem-estar público; a pessoa adere aos princípios para manter o respeito de companheiros e, portanto, o auto-respeito. Nesse estágio, a preocupação é com o respeito da comunidade e de si próprio, mas do que com a cadeia. Exemplos de respostas para o caso Heinz: “Sim, pois se ele deixasse sua mulher morrer seria por causa do medo, e não uma coisa racional. Ele perderia o auto-respeito e provavelmente o respeito dos outros também”, ou “Não, se ele violasse a lei, ele perderia o respeito dos outros e o se si próprio por ter-se deixado levar pelas emoções esquecido o ponto de vista menos imediato”.

No estágio 6, as ações são orientadas por princípios éticos auto-selecionados, que geralmente valorizam a justiça, dignidade e igualdade; a pessoa adere aos princípios para evitar autocondenação. É quando a pessoa consegue vislumbrar vários lados de um assunto. Um princípio ético, por exemplo, seria a Regra Áurea, dada por Jesus: “Faça aos outros o que você gostaria que fizessem a você” (Mateus, 7:12) ou o imperativo categórico, de Kant: “Aja somente como você gostaria que todos agissem em situação idêntica”. Exemplos de respostas para o caso Heinz: “Sim, se ele não roubasse o remédio e deixasse sua mulher morrer, ele sempre se condenaria por isso depois. Ele não seria acusado e ter-se-ia mantido fiel à lei externa; mas ele não teria satisfeito seus próprios padrões de consciência. Roubando o remédio, Heinz estava obedecendo a um princípio universal: o valor da vida humana é maior que o da propriedade. Mas, ao mesmo tempo, ele deveria reconhecer que cometeu um ato de desobediência civil e deveria aceitar a punição por furto”, ou “Não se ele roubasse o remédio, mesmo que ele não fosse acusado por outras pessoas, ele poderia condenar-se a si próprio por ter violado seus padrões de honestidade”.




Baixar 331.5 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   43   44   45   46   47   48   49   50   ...   55




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual