Psicologia aplicada a administraçÃO



Baixar 0.64 Mb.
Página14/14
Encontro03.03.2018
Tamanho0.64 Mb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14
Conclusão: nós temos influencias externas, mas também internas que influenciam nosso comportamento.
Case: Betty Vinson

  • Quais os possíveis motivos para que a Vinson tenha deixado as coisas chegarem a este ponto de desonestidade?

    • Ordem do superior

    • Risco de demissão

    • Lealdade à empresa

    • Escalada gradual (foi cometendo o crime aos poucos)

    • Pressão

      • Socialização: contexto social incide a desonestidade

      • Racionalização: é criar justificativas para comportamentos inadequados em relação a suas atitudes.

        • Cooptação: incentivos que levam indiretamente à desonestidade. [Ex.: prescrição médica. Na farmácia, o farmacêutico cadastra o crm do médico em relação a prescrição daquele determinado medicamento, e isso é repassado para os laboratórios, que acabam dando benefícios aos médicos, para que assim estes prescrevam mais medicamentos daquele laboratório].

        • Incrementalismo: introduzido a um ato de desonestidade bem leva. Entretanto leva a uma dissonância cognitiva (desalinhamento entre atitude e comportamento). Para resolver esse desalinhamento leva a uma racionalização para justificar aquele determinado comportamento. Ex.: Fui desonesta por ordem do meu chefe.

MANOBRANDO MECANISMOS INTERNOS



  • Estratégias:

    • Negação da responsabilidade: a justificativa é de que a pessoa não teve escolha para realizar aquela atividade

    • Negação da culpa: As pessoas são convencidas que não haverá consequências ruins pelas suas ações. Como o ato não foi doloso, então não é desonesto.

    • Negação de vitima: as pessoas justificam suas culpas argumentando de que foi merecido o que aconteceu.

    • Ponderação social: comparação social relativa, ou seja escolhe referentes muito negativos, o que o torna seu ato menos lesivo (pequenininho); ou compara com todo mundo (eu fiz, mas todo mundo faz também)

    • Lealdade: fez em prol de algo muito maior. Ex.: ser conivente com um ato, para não denunciar o outro.

    • Balanceamento de açoe: Balancear seu ato negativo com os atos positivos que já realizou, ou seja, neutraliza o ato desonesto. Ex.: eu chego atrasado todos os dias, no entanto trabalho até mais tarde e também no final de semana.


Baixar 0.64 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   14




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual