Província da África Austral – Sector de Moçambique


Leitura do documento Água da Rocha, em Manila



Baixar 352.92 Kb.
Página27/72
Encontro28.11.2019
Tamanho352.92 Kb.
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   ...   72
25.Leitura do documento Água da Rocha, em Manila
Ano de Espiritualidade Marista
web page 08/08/2008
Dia 16 de Junho de 2008, dento das celebrações dos 60 anos da província, tivemos, no Colégio Marista de Manila, uma primeira sessão sobre o livro Água da Roca. Dia 17 foram realizadas mais duas sessões com os alunos maiores.

Esta sessão foi dedicada aos professores da escola. Era um conjunto de 160 professores. Não é fácil manter a atenção de 160 professores durante muito tempo. Por isso optamos sobretudo por um trabalho em grupo. Depois de uma breve apresentação da história do documento, os professores foram chamados à atenção do desejo da Comissão expresso no último parágrafo do seu texto. O livro deve servir para: 1) enriquecer a oração; motivar a reflexão; 3) inspirar a acção. O que estávamos vivendo no Colégio e o que os Irmãos e Leigos Maristas viveriam estes 12 dias nas Filipinas respondia a esse desejo da Comissão. A sessão tinha começado com uma oração baseada no livro; o exercício que se faria ao longo das duas horas e meia de trabalho, sobretudo a actividade em grupos, seria um momento de reflexão; as 17 intervenções programadas nas diferentes obras maristas do sector eram também um claro exemplo de acção e iniciativas inspiradas por Água da Roca.

Os professores foram divididos em 15 grupos de 11 pessoas cada um. Cada grupo devia ler à volta de 10 números cada um. Em meia hora o livro estava lido. A cada grupo se pediam três coisas: 1) escrever as ideias importantes recolhidas na leitura anotando as intuições teológicas e religiosas aí presentes; 2) as impressões recolhidas deviam preparar o terreno para escrever um pequeno artigo para a página WEB; 3) ao partilhar no grande grupo, cada grupo estava absolutamente proibido de relatar tudo o que tinham encontrado, mas devia limitar-se a UMA ideia fundamental, UMA SÓ, importante para a Espiritualidade Marista. O resultado foi o seguinte:

Grupo 1 (nº 1-10): A espiritualidade marista é uma espiritualidade de paixão por Deus e de compaixão pelos demais (AdR, 1)

Grupo 2 (nº11-18): Ao beber dos rios de água viva, nós nos convertemos também em água viva para os outros (AdR, 14)

Grupo 3 (nº 19-29): Os três lugares são indispensáveis para viver a Espiritualidade Marista (AdR, 20) e a Eucaristia fo9nte e ponto mais alto da vida cristã condiz-nos ao centro da vida espiritual marista (AdR, 23).

Grupo 4 (nº 30-43): O espírito de família, característica importante da Espiritualidade Marista (AdR, 30-32) não pode prescindir hoje da presença feminina que enriquece o modo de nos relacionarmos e de definir o nosso apostolado (AdR, 31) (Obs: 90% da Assembleia era composta por mulheres).

Grupo 5 (nº 44-52): Maria pode ajudar-nos a responder às questões existenciais que nos colocamos (AdR, 48): como ela somos chamados a viver na fé e na confiança a erupção de Deus nas nossas vidas (AdR, 51).

Grupo 6 (nº 53-64): Como Marcelino podemos encontrar Deus em todas as situações. O mundo deve ser para nós um lugar de encontro com Deus, de missão e de santificação (AdR, 64)

Grupo 7 (nº 65-70): Uma espiritualidade de contemplação e de acção: à medida que nossas vidas se centram em Deus também nos enchemos de compaixão e nos sentimos impulsionados ao serviço dos necessitados (AdR, 70)

Grupo 8 (nº 71-79): A nossa oração tanto pessoal como comunitária é apostólica; recolhe as penas e as alegrias, as angústias e as esperanças daqueles que Deus pões no nosso caminho (AdR, 77).

Grupo 9 (nº 80-90): A Eucaristia está no centro das nossas vidas. Viver eucaristicamente é saber-nos acolhidos, abençoados por Deus, disponíveis e oferecidos aos demais (AdR, 86)

Grupo 10 (91-102): A mesa do Senhor é um símbolo central de comunhão e doação pessoal, assim como a mesa de La Valla é um poderoso símbolo de família e de serviço para a comunidade que Marcelino criou (AdR, 90-91). Nós somos essa comunidade.

Grupo 11 (103-113): A experiência de dar e de receber desafia-nos a combater a nossa tendência ao individualismo (AdR, 108) e faz-nos compreender que não podemos desenvolver-nos em plenitude senão estamos comprometidos com os outros (AdR, 109).

Grupo 12 (114-123): As palavras irmão e irmã expressam de um modo muito rico o estilo Marista de viver as relações entre as pessoas. Ser irmão ou irmã é um modo de se relacionar que inspira confiança nas pessoas e lhes dá esperança (AdR, 119).

Grupo 13 (124-134): Maria mostra-nos que, tanto a contemplação como a acção são elementos indispensáveis da Espiritualidade Marista (AdR, 131).

Grupo 14 (135- 143): Desejamos ser a memória visível e permanente do amor e da presença misericordiosa de Deus junto às pessoas: sinais vivos da ternura do Pai. Vivendo com Deus, aprendemos a ser como Ele: pastor, amigo, companheiro fiel (AdR, 137).

Grupo 15 (144-152): Quando a nossa missão está concluída, avançamos para outros lugares que exigem a nossa presença. Esta dimensão da espiritualidade Marista inspira milhares de Maristas a responderem com generosidade ao chamamento da Missão Ad Gentes (AdR, 149-150).

_________________
Manila, 29 de Junho de 2008



Baixar 352.92 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   ...   72




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual