Projeto Málaga


UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA SOBRE O PROJETO ROMA - MÁLAGA



Baixar 0.69 Mb.
Página7/50
Encontro06.04.2018
Tamanho0.69 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   50
UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA SOBRE O PROJETO ROMA - MÁLAGA.

Prof. Nicola Cuomo.
Organizar uma investigação resulta numa ocasião de reflexão rigorosa, especialmente quando sua realização prevê a colaboração entre especialistas de diversas áreas e epistemologias.

Inclui raciocinar sobre a determinação de acordos entre pessoas, profissionais e instituições. Sobre processos e estratégias para lembrar linguagens e categorias interpretativas diversas. Assim como decidir que instrumentos se utilizarão para apresentar e avaliar os dados. Definir as prioridades dos itinerários de investigação. De modo que tudo isso constitua já, por si só uma investigação.

No Projeto Roma - Málaga, a área pedagógica representa uma dimensão na qual não existem finalidades nem instrumentos de diagnóstico, o que se busca são critérios para observar as competências, o “saber fazer” das crianças com trissomia-21.

Nosso trabalho busca a estreita colaboração e integração inter - institucional que precisam os pais, as associações familiares, os mestres, a escola; do mesmo modo que com o âmbito da investigação ( Universidades, Hospitais, Escolas,... ). De maneira que se constitua um campo de investigação, de reflexão dinâmica e rico em dados, oportunidades teóricas, metodológicas e operativas.

Como aponta Schon: “... a resposta que mais me fascina é a idéia de um tipo de colaboração na investigação: os investigadores universitários deveriam ajudar os profissionais a descrever, analisar e criticar seus conhecimentos baseados na prática. E a elucidar, analisar e raciocinar, de nova forma sobre os dilemas e situações difíceis da prática”.

Como já mencionei, o trabalho de investigação e intervenção operativa multidisciplinar resulta numa dimensão fundamental, tanto para enfrentar uma problemática dos diversos pontos de vista, como para determinar uma rede operativa que permita sair da “ilha feliz e infeliz” na qual existe o risco de cair se trabalha-se em estruturas e ciências separadas.

É fundamental determinar relações funcionais entre profissionais e instituições tanto para o rigor científico como para determinar “caixas de ressonância”que favoreçam e potencializem a circulação de dados, de informações, de experiências.

Uma característica de nosso trabalho consiste em documentar de forma personalizada os processos, enquanto que é preciso documentar as experiências para poder determinar “redes” internacionais de cooperação, confrontação e verificação; através da comparação de itinerários de atualização e formação que proponham na prática estas “redes”.

Nossa maneira de abordar os problemas fica justificada previamente por nosso posicionamento teórico e operativo. Tudo isso nos tem ajudado e nos ajuda a organizar as experiências de maneira que seja possível comunicá-las.

Portanto, nossa investigação tem documentado processos de indagação, do mesmo modo que os projetos respondem à necessidade de formar profissionais com competência que lhes permitam realizar redes de intercâmbio de experiências, de provocar situações de cooperação e discussão. Que saibam organizar e documentar suas experiências de maneira que possam ser divulgadas, transmitidas, aproveitadas e confrontadas por profissionais que tenham habilidade para se comunicar.

Uma característica de nosso trabalho consiste em documentar de forma personalizada sua documentação, os processos, enquanto que é preciso documentar as experiências para poder determinar, através da comparação de itinerários de atualização e de formação que proponham na prática “redes” internacionais de cooperação e confrontação e verificação.

Desta forma, documentamos os processos e as teorias seguidas evidenciam nossa atitude experimental que nos tem ajudado e nos ajuda a organizar as expriências de maneira que seja possível comunicá-la a todos,

A investigação pedagógica nos últimos anos, tem podido concretizar os pressupostos epistemológicos e as metodologias para poder cooperar sem nenhuma sensação de inferioridade com os outros profissionais e em centros de investigação onde antes era excluída e ignorada. E isto, graça a colaboração entre a medicina e a psicologia, assim como a responsabilidade científica compartilhada.

Para poder converter as hipóteses em projetos operativos é fundamental a capacidade de colaborar, o rigor científico, a especificidade de papéis e da linguagem utilizada, a responsabilidade de cada profissional durante a investigação.

É através de uma “atitude experimental” que pode-se realizar uma integração das competências das diversas áreas especificando instrumentos, uma linguagem comum e responsabilidades, determinando reflexões epistemológicas e as bases teóricas e metodológicas que tem orientado a prática educativa.

O que queremos experimentar, em primeiro lugar nesta investigação multidisciplinar, têm sido os processos, os critérios e as estratégias pelas quais os distintos profissionais com diversas responsabilidades científicas, com diversas formação e linguagem, chegariam, com o tempo, a lembrar instrumentos, métodos, códigos... de maneira que salvaguarde sua especificidade disciplinar, intervenham de modo integrado.

O trabalho multidisciplinar deve adquirir a capacidade de selecionar uma multiplicidade de dados, estruturando-os e desestruturando-os em hipóteses que geram muitas possibilidades interpretativas.

Estas seqüências de intuições e deduções poderiam nos levar a confrontar diversos modos de observar fenômenos simultaneamente, mantendo a atenção no fluxo de informação que se está produzindo.

A complexidade que a experiência de investigação multidisciplinar propõe pode se viver como um grande obstáculo para a reflexão e a busca.

Na realidade, é um recurso que tem que saber utilizar para evitar reducionismos tentando encontrar explicações “claras”.

Se deve evitar buscar um objeto perdido num lugar escuro e distante, debaixo de um farol, somente porque ali há luz. É mais importante ter uma clara compreensão dos princípios gerais sem pensar nestes como se fossem leis fixas.

Para o pensamento criativo é mais importante ver o bosque que as árvores; o estudioso se encontra no perigo de alcançar somente as árvores. O cientista, com uma mente madura, raciocinará muito sobre uma grande quantidade de material científico, não o que somente tem acumulado detalhes técnicos, e sim que tenha adquirido uma visão suficiente para dividir o bosque.




Baixar 0.69 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   50




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual