Portal de Conferências Resultado Plenária


Psicologia, no cotidiano, por uma sociedade mais democrática e igualitária



Baixar 27.67 Kb.
Página2/3
Encontro04.03.2018
Tamanho27.67 Kb.
1   2   3
Psicologia, no cotidiano, por uma sociedade mais democrática e igualitária.

Estadual - 2º Contribuições éticas, políticas e técnicas do processo democrático e de garantia de direitos.

Proposta-2)

Apoiar e articular junto aos movimentos sociais da População em situação de rua a produção e divulgação de informações acerca dessa condição.
Proposta-3)

Fortalecer e publicizar o compromisso ético-político da categoria com os Direitos Humanos;


Proposta-4)

Manter espaços de debate em conjunto com comunidades tradicionais e seus saberes, como forma de respeito a diferentes visões de mundo e possibilidades de existência;


Proposta-5)

Fortalecer o debate e ampliar espaços, através de GTs e comissões, junto à população LGBT na defesa dos direitos dessa população, possibilitando a superação de preconceitos e situações de violência;


Proposta-6)

Fortalecer o papel da Psicologia na construção de diretrizes nas políticas públicas;


Proposta-7)

Ampliar o debate sobre a interdisciplinaridade e transdisciplinaridade, reconhecendo a complexidade do fenômeno humano.

Proposta-8)

Monitorar o cumprimento das regulamentações existentes, nos órgãos públicos, relacionadas ao estabelecimento do número mínimo de profissionais, bem como incentivar o estabelecimento dessas regulamentações, considerando as questões éticas, políticas e técnicas da profissão e da categoria.


Proposta-9)

Reafirmar o caráter laico da Psicologia e do Estado nos espaços de prática da(o) profissional da Psicologia, vinculando tal debate à questão ética e técnica profissional, bem como nas políticas públicas.


Proposta-10)

Promover ações profissionais de psicólogos(as) em Comunidades tradicionais e grupos sociais vulneráveis;


Proposta-12)

Elaborar eventos pela COE e COF no interior do PR sobre questões éticas, pois muitos(as) psicólogos(as) desconhecem procedimentos éticos, bem como os preceitos do Código de Ética;

Proposta-13)

Aprofundar a discussão sobre a questão de violência doméstica contra mulheres, elaborando fôlderes, cartilhas explicativas com orientações sobre denúncias e tratamento psicológico;


Proposta-14)

Promover ações conjunta com CRP e Sindicato para orientar os(as) psicólogos(as) sobre atuação profissional e direitos trabalhistas esclarecendo dúvidas sobre a função do CRP e sindicato;


Proposta-15)

Apoiar eventos científicos para estudantes de Psicologia com ênfase na formação política;


Proposta-16)

Que o CRP08 faça ações políticas, necessárias junto ao governo Estadual no sentido de fazer cumprir a lei 15.075 de 04 de maio de 2006, que autoriza, porém não obriga a implantação do programa de atendimento psicopedagógico e social em todas as unidades escolares que integram a rede de ensino público.


Proposta-17)

Fomentar o compromisso do profissional psicólogo na manutenção de sua psicoterapia pessoal durante seu exercício. (Regional e Nacional)


Proposta-18)

Incentivar a produção científica através da abertura de espaços de publicação e divulgação dos trabalhos desenvolvidos pelos Psicólogos. (Eventos, revista científica, premiações, entre outros).


Proposta-19)

Garantir a articulação do sistema conselhos em prol da produção de informações sobre os Direitos Humanos, bem como, realizar campanhas unificadas pelo sistema conselhos (Federal e Regionais), garantindo a produção de conhecimento, na lógica de atuação dos observatórios de direitos, sobre o papel da Psicologia diante das práticas de violação de direitos humanos em parceria com movimentos e entidades de defesa dos direitos dos usuários das políticas públicas.


Proposta-20)

A partir do reconhecimento da centralidade do racismo na sociedade brasileira, o Sistema Conselhos deve realizar, em conjunto com outras entidades, o mapeamento das/os psicólogas/os negras/os, garantir que a temática seja abordada de forma transversal em relação aos diversos campos de atuação e processos de trabalho da Psicologia e promover orientações e referências ao exercício profissional que estejam orientadas pelas prerrogativas da Resolução 18/02, a qual deve ser amplamente divulgada para a categoria.

Proposta-23)

Ampliar o debate entre o Sistema Conselhos de Psicologia, o meio científico-acadêmico e a categoria profissional, acerca da expansão do campo da Psicologia e de suas práticas profissionais.


Proposta-24)

Aproximar o CRP dos Conselhos de Controle Social, Municipais e Estaduais, e de suas Comissões/Câmaras Temáticas, a fim de participar mais ativamente das políticas públicas que se relacionem com a Psicologia.


Proposta-26)

Promover eventos em parceria com IES e centros de pesquisa para divulgar as produções científicas da Psicologia e fomentar investimentos financeiros para a pesquisa produzida por estudantes e profissionais.


Proposta-27)

levantar pautas emergentes da prática profissional que demandam maior produção científica, visando estabelecer uma relação dialética de produção de conhecimento com a análise dos novos campos da psicologia e das fragilidades teórica e técnicas, em parceria com outras instituições.


Proposta-28)

Que o Sistema Conselhos fomente e institucionalize a discussão de gênero e diversidade sexual com a categoria, considerando marcadores sociais como raça, classe, idade, deficiência, territorialidades, a fim de contribuir para desconstrução dos papéis papeis sociais atribuídos ao gênero e suas interseccionalidades que promovem discriminação e violência, com a finalidade de incluir a pauta de gênero nas políticas públicas.


Proposta-30)

Promover o diálogo na categoria e com estudantes de Psicologia para fazer avançar a compreensão sobre a Resolução CFP 001/99 e a nota técnica sobre o processo transexualizador e demais formas de assistência às pessoas trans na perspectiva da despatologização da transexualidade e dos direitos humanos.


Proposta-31)

Tendo em vista a centralidade dos debates de gênero e sexualidade nessa conjuntura que defenda os direitos das minorias políticas, como mulheres e LGBTs, e a partir da recorrente requisição da psicologia, como ciência e profissão, a atuar nesse contexto. E, também, a partir da constatação de que as comissões de direitos humanos não dão conta do aprofundamento necessário dessa temática (dada a diversidade de suas frentes de atuação), construir comissões de Gênero e Sexualidade vinculadas a cada Conselho Regional, para que possa acumular – do ponto de vista teórico-técnico-científico – sobre as contribuições da Psicologia diante dessas temáticas.

Proposta-32)

Promover o diálogo da Psicologia com outras categorias, entidades do movimento social e representações de órgãos públicos, das diversas esferas, acerca das políticas públicas, das pessoas convivendo com HIV/AIDS, buscando enfoque em políticas da juventude. Reafirmar a necessidade da presença de profissionais psicólogos em todas as políticas públicas e equipamentos específicos que operacionalizam a política referente a HIV/AIDS.

Proposta-33)

Fortalecer e ampliar ações que defendam a inserção da(o) profissional da Psicologia na rede pública de ensino.


Proposta-34)

Fomentar o debate e a conscientização sobre a medicalização da infância e sociedade.


Proposta-36)

Reafirmar a Psicologia enquanto área da saúde.


Proposta-37)

Unir forças com as demais áreas da saúde para um diálogo alinhado frente à promoção da Saúde e contra o “ato médico”.


Proposta-38)

Desenvolver ações que promovam o debate sobre diversidade sexual, racial, de classe e condição de desenvolvimento, a fim de contribuir para a inclusão nas diferentes áreas de atuação do Psicólogo.


Proposta-39)

Estabelecer uma Política de articulação com órgãos gestores de convênios, planos de saúde, Sindicatos, visando fortacer os direitos trabalhistas do profissional de psicologia.


Proposta-40)

Desenvolver e aprimorar estratégias de mobilização e sensibilização das entidades ligadas à psicologia para continuo acompanhamento e posicionamento frente às diversas formas de violações, violências, discriminações ocorridas na sociedade brasileira, construindo estratégias políticas consistentes e articuladas a partir de análise de conjunturas possibilitando desenvolver estratégias e intervenções de curto, médio e longo prazo, colaborando assim para uma sociedade mais justa, democrática, garantidora de direitos e valorizando mediações de conflitos e outros modos pacíficos de resoluções de conflitos.


Proposta-41)

Estimular e, em parceria com as IES, acompanhar o desenvolvimento de pesquisas e projetos (se possível, interdisciplinares) que ofereçam respostas mais efetivas quanto aos métodos, técnicas e intervenções da Psicologia nas suas diversas áreas de atuação.

Proposta-42)

Promover eventos em parceria com IES e centros de pesquisa visando a divulgação e visibilidade das produções científicas da Psicologia, visando realizar contínuo intercâmbio com as produções científicas na área da psicologia, contribuir para o fomento de investimentos financeiros para a pesquisa, bem como desenvolver metodologias de incentivo aos estudantes e profissionais para a pesquisa científica.


Proposta-43)

Criar através da Comissão Científica, revista e informes científicos, disponibilizando espaço para pesquisadores da área de Psicologia com a Comissão editorial própria.


Proposta-44)

Estimular o debate entre a categoria e a sociedade sobre os processos de medicalização e patologização da vida, em especial no âmbito da Saúde Mental, visando a análise do impacto de tais processos na vida da população e a construção de diretrizes intersetoriais, envolvendo, dentre outros, profissionais da Saúde Educação e assistência social;


Proposta-45)

Regulamentar documento para orientar os processos de concursos públicos na área de psicologia


Proposta-46)

Criar e renovar mecanismos de conhecimento e divulgação de práticas realizadas no âmbito das políticas públicas;


Proposta-47)

Ampliar o debate junto ao Poder Judiciário e criar espaços de atuação do Psicólogo frente ao processo de Judicialização da Vida;


Proposta-48)

Ampliar o debate junto ao Poder Judiciário e ao Conselho Tutelar para a criação de novas alternativas no processo de administração de conflitos, apresentando discussões sobre as formas pelas quais a Psicologia pode efetivamente contribuir nesse contexto e sobre as implicações do processo de judicialização da vida;


Proposta-49)

Melhorar a comunicação das sedes setoriais com as comarcas;


Proposta-50)

Dialogar com as diretorias da Câmaras de comércio do Paraná;


Proposta-51)

Verificar as condições de trabalho dos psicólogos no âmbito da Saúde Suplementar, visando promover o diálogo para a regulamentação da prestação de serviço do psicólogo às operadoras de planos de saúde;

Proposta-52)

Criar uma cartilha de orientação para a correta atuação técnica e ética para os profissionais da Psicologia Clínica;


Proposta-53)

Articular com outros Conselhos Profissionais a construção de critérios para a confecção de relatórios multiprofissionais nos diversos âmbitos de atuação;

Proposta-54)

Criar e manter espaços permanentes para construção de posicionamentos técnicos, éticos e políticos sobre a atuação da Psicologia em Comunidades Terapêuticas;


Proposta-55)

Criar e manter espaços permanentes para construção de posicionamentos técnicos, éticos e políticos sobre a atuação do psicólogo nas políticas públicas nas regiões de fronteira.


Proposta-56)

apoiar a adequação da Normativa 78/2014, referente à avaliação psicológica para registro e porte de arma de fogo, considerando a realidade, diferenciando os critérios avaliação e acompanhamento dos profissionais da área de segurança;


Proposta-57)

Apoiar o estabelecimento de critérios específicos para avaliação psicológica de vigilantes não armados;


Proposta-58)

Verificar a legalidade da obrigatoriedade da exigência de comprovação de adimplência no CRP no ato da inscrição para concurso público.





Baixar 27.67 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual