O sentido e o significado, na intervençÃo docente, À luz da ciência da motricidade humana



Baixar 182 Kb.
Página7/7
Encontro06.04.2018
Tamanho182 Kb.
1   2   3   4   5   6   7
Bibliografia

ALVES, Rubem. Por uma educação romântica. 5. ed. Campinas, SP: Editora Papirus, 2004.

BASSO, Itacy Salgado. Significado e sentido do trabalho docente. In: O professor e o ensino: novos olhares. 2. ed. Cadernos Cedes, Campinas, ano XIX, nº 44, p. 19-32, Agosto, 1999.

DUARTE, Newton. Formação do indivíduo, consciência e alienação: o ser humano na psicologia de A. N. Leontiev. In: A psicologia de A. N. Leontiev e a educação na sociedade contemporânea. Caderno Cedes, Campinas, v. 24, nº 62, p. 44-63, Abril, 2004.

FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. 4. ed. São Paulo: Editora Scipione, 1994. (Coleção Pensamento e Ação no Magistério)

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da práxis. São Paulo: Cortez Editora – Instituto Paulo Freire, 1995.

LEONTIEV, Alexei N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

______. Actividad, consciencia e personalidad. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1983.

LEVI-STRAUSS, Claude. Mito e significado. Lisboa: Edições 70, 1989. (Colecção Perspectiva do Homem)

PIMENTA, Selma Garrido & LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Editora Cortez, 2004. (Coleção docência em formação. Série saberes pedagógicos)

SÉRGIO, Manuel. Para uma epistemologia da motricidade humana: prolegómenos a uma nova ciência do homem. 2. ed. Lisboa: Compendium, 1994b.

______. Epistemologia da motricidade humana. Lisboa, Cruz-Quebrada: Edições Faculdade de Motricidade Humana - Universidade Técnica de Lisboa, 1996.

______. Um corte epistemológico: da educação física à motricidade humana. Lisboa: Instituto Piaget, 1999a. (Colecção Epistemologia e Sociedade)

TAVARES, Manuel Viegas. (et al) Motricidade humana: 2001 – a odisseia do homem. In: O sentido e a acção. Lisboa: Instituto Piaget, 1999. (Colecção Epistemologia e Sociedade)



VAYER, Pierre. A lógica da vida e educação. Lisboa: Instituto Piaget, 1999. (Colecção Horizontes Pedagógicos)

1 SÉRGIO, Manuel. Alguns olhares sobre o corpo, op. cit., p. 57.

2 Definir o que é o significado é um dos problemas da semiótica, que constitui o campo da semântica. Como explica Ferdinand de Saussure a concepção de significado não se limita apenas às questões de nomenclatura da língua ou do que um objecto significa e traz como referência. Embora, os significados, enquanto tais, referem-se à estrutura da língua de uma dada cultura, que traz implícito também determinados sentidos. Temos então, o significado linguístico como categoria da linguagem e, também, o sentido que são os valores que se assumem, como categorias comunicativas, dentro de uma cultura específica, ou seja, o significado cultural. No que se refere ao sentido, esse termo não pode ser confundido apenas como o significado, equivalendo o quer dizer, de um dado termo, de uma palavra e de uma proposição, ou ainda, como experimentar sensações com os órgãos do sentido (visão, tacto, audição, etc.) e uma dada direcção peculiar. Na presente tese o sentido é estudado sob o aspecto do significado incluindo a relação e a coordenação do sinal com o objecto, sendo que o sinal é o signo, por meio do qual se representa algo. Há que respeitar a famosa distinção, proposta por Gottlob Frege, que existe entre o significado e o sentido, pois não pode ter uma redução do sentido ao significado, tampouco uma redução do significado ao sentido. Mas, também não podemos ignorar a complexidade dialógica que se estabelece entre ambos. O significado e o sentido voltam-se para o desvelar da representação que uma pessoa traz de uma coisa, de um objecto, de um acontecimento, de um sinal, de uma palavra, ou de um acto em si. Sentido é o que chamamos em português «significação», isto é, a conotação de um termo. Sob esse aspecto o mesmo objecto pode ter dois sentidos (significações), como o tradicional exemplo do que acontece com o planeta Vénus: estrela da manhã, a última a desaparecer com a aurora, e estrela da noite, a primeira a aparecer no final da tarde. Considera-se também a teoria da significação proposta por Husserl, que leva em conta […] o que é expresso como núcleo idêntico em variedade de vivências individuais diferentes. Na condição da vida humana o sentido e o significado são questões abertas e relativas a cada pessoa e em particular diante da percepção do objecto, da coisa ou do facto em si. Uma obra de arte, um jogo, uma dança, ou qualquer aspecto da cultura pertencem aos processos vitais e têm valores significativos, pois fazem parte da vida. Sentido e significado está relacionado à peculiaridade ontológica da realidade, que se revela enquanto complexidade processual. SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1986. E ainda, MORA, José Ferrater. Dicionário de filosofia. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1991. p. 360-369 passim.

3 Cf. SÉRGIO, Manuel. 1996, p. 118; 1999a, p. 172.

4 Idem, Ibidem.

5 Cf. SÉRGIO, Manuel. 1996, p. 142; 1999a, p. 217.

6 PIMENTA, Selma Garrido & LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. São Paulo: Editora Cortez, 2004. (Coleção Docência em Formação; Série Saberes Pedagógicos) p. 156.

7 TAVARES, Manuel Viegas. (et al) Motricidade humana: 2001 – a odisseia do homem. In: O sentido e a acção. Lisboa: Instituto Piaget, 1999. (Colecção Epistemologia e Sociedade) p. 193.

8 PIMENTA, Selma Garrido & LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência, op. cit., p. 158.

9 TAVARES, Manuel Viegas. Motricidade humana: 2001 – a odisseia do homem, op. cit., p. 191.

10 ALVES, Rubem. Por uma educação romântica. 5. ed. Campinas, SP: Editora Papirus, 2004. p. 124.

11 Idem, Ibidem.

12 VAYER, Pierre. A lógica da vida e educação. Lisboa: Instituto Piaget, 1999. (Colecção Horizontes Pedagógicos) p. 13.

13 FREIRE, João Batista. Educação de corpo inteiro: teoria e prática da educação física. 4. ed. São Paulo: Editora Scipione, 1994. (Coleção Pensamento e Ação no Magistério) p. 112-114 passim.

14 O tema que inclui relações entre a diversidade cultural e o percurso educativo já foi enunciado por educadores, tais como: Paulo Freire e Georges Snyders. O primeiro educador aqui referenciado, ao construir sua pedagogia da autonomia, referiu-se à cultura popular e à cultura erudita letrada. O segundo educador utilizou a expressão cultura primeira, para cultura que se adquire no âmbito da vida cotidiana, por exemplo: revistas, jornais, televisão, cinema, vídeo, Internet, música, teatro, etc. Ele também faz alusão à cultura de massas e diz que essa é a cultura do nosso tempo, e ainda, à cultura elaborada, para a cultura que é própria da escola, que se apresenta sistematizada e organizada progressivamente. Maiores aprofundamentos sobre os temas, cultura primeira, cultura de massas e cultura elaborada pesquisar em: SNYDERS, Georges. Pedagogia progressista. Coimbra: Editor Livraria Almedina, 1974.

15 Cf. SÉRGIO, Manuel. 1994b, p. 155; 1996, p. 162; 1999a, p. 271.

16 LEVI-STRAUSS, Claude. Mito e significado. Lisboa: Edições 70, 1989. (Colecção Perspectiva do Homem) p. 14.

17 GADOTTI, Moacir. Pedagogia da práxis, op. cit., p. 242.

18 LEONTIEV, Alexei N. Actividad, consciencia e personalidad. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1983. p. 83.

19 DUARTE, Newton. Formação do indivíduo, consciência e alienação: o ser humano na psicologia de A. N. Leontiev. In: A psicologia de A. N. Leontiev e a educação na sociedade contemporânea. Caderno Cedes, Campinas, vol. 24, nº 62, p. 44-63, Abril, 2004. p. 50.

20 LEONTIEV, Alexei N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978. p. 96.

21 Idem, Ibidem, p. 273.

22 Nota-se claramente, a partir das aulas observadas, que as intervenções pedagógicas das professoras se traduzem num conjunto de ações intencionais e conscientes destinadas a finalidades específicas de ensino, sendo essas dirigidas ao estudo e não ao brincar. Todas as professoras observadas insistem em usar o termo: “estudar”.

23 BASSO, Itacy Salgado. Significado e sentido do trabalho docente. In: O professor e o ensino: novos olhares. 2. ed. Cadernos Cedes, Campinas, ano XIX, nº 44, p. 19-32, Agosto, 1999. p. 26.

24 LEPECKI, Maria Lúcia. A vida íntima das palavras. Super Interessante, Portugal, nº 99, Julho, 2006. p. 20.

Catálogo: eventos -> conpef -> conpef3 -> trabalhos -> ordem -> 04.07
eventos -> Perfil e formação doS tUtores de uma universidade pública da região centro-oeste 1
eventos -> Libro de resúmenes de plenarias, minicursos, ponencias y mesas redondas XII congreso de Lingüística Sistémico-Funcional de América Latina (alsfal) Asociación de Lingüística Sistémico-Funcional de América Latina
eventos -> A importância da atuaçÃo da fisioterapia dentro do núcleo de apoio à saúde da família. Ana Karine C. B. de Paula Gomes¹
eventos -> Título do trabalho
eventos -> Adolescência, sexualidade e autoconhecimento: um relato de experiência do pibid – psicologia ventura, Jaqueline Souza¹; fernandes, Ronan Carlos da Cunha²; costa, Jaqueline Batista de Oliveira³
04.07 -> Jogos de construçÃo nas aulas de educaçÃo física: alternativa pedagógica para aquisiçÃo de competências leitora e escritora
04.07 -> A educaçÃo física e o desenvolvimento moral

Baixar 182 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual