O livro de Ouro da Igreja Gnóstica



Baixar 401.5 Kb.
Página8/10
Encontro06.04.2018
Tamanho401.5 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
Pistis Sophia Desvelada

  • A Liturgia da Igreja Gnóstica

  • Centenas de Conferências

  • Ensinamentos de Lábios a Ouvido

  • Monastérios, ou vida conventual, onde irmãos gnósticos se preparam eclesiasticamente e como missionários para subir ao Altar do Sacrifício pela humanidade. Os monastérios gnósticos são autênticas escolas brancas, onde se ensina e pratica a Ciência, a Filosofia, a Arte e a Religião universal aos aspirantes ao Adeptado. Cada monastério está dirigido por um Abade Renunciante, que é o veículo imediato de Nosso Senhor o Cristo Samael, para cumprir e fazer cumprir todos os postulados ensinados pelo Nosso Patriarca Samael.

    • As escolas gnósticas são veículos de preparação e instrução de todas as instituições e Igrejas Gnósticas do mundo, com suas câmaras abertas ao público, que servem de ante-sala à Segunda Câmara, desenvolvendo-se as diferentes escolas gnósticas, segundo suas notas particulares, níveis de Ser dos instrutores missionários, abades e diretores institucionais

    • Representantes da Igreja Gnóstica integrados pelo Patriarca, Arcebispos, Bispos e Sacerdotes

    • O matrimônio gnóstico

    • A Igreja Gnóstica entrega, através de Pistis Sophia, a Bíblia gnóstica, a chave da regeneração física e espiritual da alma, com:

    1. Batismo da Água, símbolo prático do Sahaja Maithuna, ou Magia Sexual, realizado por casais devidamente constituídos.

    2. Batismo de Fogo.

    3. Um Batismo do Espírito Santo.

    4. Uma Unção Eucarística como está ratificado no livro 5º de Pistis Sophia.

    • A Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores e físico com seu representante legal o Venerável Mestre Samael Aun Weor, é a única possuidora e dona do 5º Evangelho, os quase setenta livros Tijitlis escritos de punho e letra pelo Patriarca Samael.

    • A Igreja Gnóstica, com seus livros Psicologia Revolucionária, A Grande Rebelião e Revolução da Dialética, entrega por meio de seu representante legal, o maior legado de psicologia gnóstica às almas da Terra, com a dialética e a didática exata para compreender e captar o profundo significado de cada um dos Eus que carregamos dentro para aprender a julgar, arrepender-nos, negociar com a Lei Divina e aniquilar o Eu Psicológico que carregamos dentro em sua totalidade.

    • A Igreja Gnóstica, como fonte regeneradora e creadora para a humanidade, tem a finalidade única, através de seu grande patriarca, Venerável Mestre Samael, de crear Homens, crear Deuses Solares.

    • Para isto, através dos Tijitlis: O Mistério do Áureo Florescer, O Matrimônio Perfeito e Mistérios do Fogo, entrega didática e dialeticamente toda a doutrina do Super-Homem, do sábio uso da energia creadora sexual, e como através dela por meio da transmutação podemos crear os Corpos Solares para encarnar o ÍNTIMO, integrar a Pérola Seminal e desenvolver a totalidade do Embrião Áureo, para que se realize e se integre em nosso Ser o Mistério do Áureo Florescer.

    • A Igreja Gnóstica, através de Nosso Senhor o Cristo Samael, entrega o Tijitlis, o Livro Sagrado que contém o mapa, o caminho, o sendeiro que há de levar-nos ao supremo lugar da Luz, dali onde a Luz se encontra, ao Absoluto mesmo. Esta obra maravilhosa está intitulada cmo As Três Montanhas.


    56
    A Meditação Sobre a Morte do Eu Psicológico

    ( 22 Passos para a Morte do Eu Psicológico )
    O Eu Psicológico, ou diríamos, o Golias da Cabala hebraica, com seus milhões de Filisteus, eus brigões, assassinos, embriagados, luxuriosos, gritões etc., disputam uma terrível batalha em nosso interior contra o SER.

    O Eu Psicológico é o Inimigo Secreto que todos levamos dentro e tem seu centro de gravidade demoníaca na anatomia oculta do osso coxígeo. Samael Aun Weor nos disse que no cóccix temos um átomo supermaligno que dirige todas as atividades do Satã Interior. O átomo maligno é também a Medusa Infernal, com todas suas milhares de serpentes psicológicas que como cabelos sinistros fazem parte de sua horrenda cabeça. Obviamente, a Medusa é a personificação de nosso Eu psicológico e todos nossos Eus.

    A cabeça de legião, inquestionavelmente, é uno, Mara, é três, é sete e é muitos, ou seja, o Ego pluralizado.

    O Eu psicológico, como causa, se processa, existe, agita e alimenta cada um dos 49 níveis da mente.

    A Luz e as Trevas interiores disputam o poder no caos ígneo espermático da existência. No sexo se realiza a grande batalha entre Anjos e Demônios.

    Afortunadamente, irmãos gnósticos, graças à grande Lei Cósmica, aos irmãos do Círculo Consciente da Humanidade Solar, temos o “Guerreiro dos Deuses” conosco, o V. M. Samael Aun Weor, ensinando-nos a doutrina gnóstica através de suas obras de sabedoria, onde nos entrega a chave sacra de todos os impérios.



    SUGESTÕES:
    Sugerimos escalar, subir, através da imaginação criadora e da vontade consciente de nosso Ser, degrau por degrau, a escada da meditação.

    Sugerimos que não se intente passar até a seguinte escala, até que se aja dominado a anterior.

    Sugerimos, antes de iniciar a prática, tomar consciência pura, unitotal, do seguinte mecanismo psicológico:


    • auto-observação

    • auto-análise

    • auto-exploração

    • auto-reflexão

    • auto-descobrimento

    • auto-compreensão

    • auto-aniquilação

    Livros de referência: Psicologia Revolucionária, Revolução da Dialética, A Grande Rebelião, Pistis Sophia.

    Estudar reflexivamente, através da meditação, os capítulos das obras de nosso Mestre Samael Aun Weor, citados acima.

    Sugerimos a nossos Sacerdotes Gnósticos que promovam a meditação diária entre grupos que dirigeme que estas sejam para beber o vinho da Luz no cálice perfeito da concentração.



    AUTO-DESCOBRIMENTO:
    Nos diz o V. M. Samael Aun Weor que seria inconcebível a eliminação dos diversos elementos inumanos que em nosso interior carregamos, radicalmente, as causas intrínsecas de nossos defeitos psicológicos.

    Estas causas intrínsecas personificam o EU PSICOLÓGICO.

    Irmãos gnósticos, não basta, não é suficiente, capturar um defeito, discenir sobre ele, observá-lo em suas diferentes manifestações e logo pedir a morte do defeito a Divina Mãe sem previamente não termos compreendido a causa e a causa intrínseca de sua complexa manifestação.

    Conhecer um robô humano em sua totalidade não é suficiente. É necessário conhecer e compreender a inteligência que o criou e a causa profunda que motivou a esta inteligência negativa a criação.

    O V.M. Samael Aun Weor, comenta:

    “Só mediante os dois aspectos definidos que citaremos, poderemos dar-nos a dita de lograr a desintegração de todos esses elementos causais, que em uma e outra formas podem conduzir-nos à eliminação definitiva dos elementos indesejáveis e a causa que personifica esses erros”.

    “Os dois aspectos são: arrependimento mais profundo e os respectivos negócios com os Senhores da Lei, através do Cristo Íntimo”.

    Os Eus-Causas têm complexidades espantosamente difíceis, e somente o Cristo Íntimo, baseado em trabalhos concientes e padecimentos voluntários, pode eliminar as causas de nossos erros.

    A Consciência Solar, integrada com o Cristo, a compreensão absoluta, o arrependimento mais sincero e os sérios negócios com os Senhores da Lei, são o passo definitivo para pedir logo a eliminação dos Eus Causais. No Mundo Causal, o Cristo Íntimo passa por todas as torturas e amarguras de sua via-crúcis.

    Tendo em conta este trabalho do Cristo Íntimo, e considerando que nosso ego psicológico tem sido criado com energia sexual mal-usada, somente apelando conscientemente ao Cristo e à nossa Divina Mãe, pedindo-lhes que empunhem a Lança de Eros, podemos morrer de momento a momento.

    O conjunto de agregados psíquicos formam o Ego, em raízes causais, e estas têm sua origem no rasgo psicológico.

    Cada faceta psicológica, cada Eu, cada elemento infra-humano, com sua essência condicionada, tem sua própria origem-raíz causal emanada do Rasgo.

    Explica-nos o V. M. Samael que os Eus-Causais estão vinculados às Leis de Causa e Efeito. Não pode existir causa sem efeito, nem efeito sem causa, isto é irrefutável. A origem única da causa e efeito o encontramos no Eu psicológico.

    Obviamente, os Eus-Causais se acham intimamente associados a determinadas dívidas karmicas.

    Cada manifestação definida do Ego, através de qualquer um dos CINCO CILINDROS da máquina humana, tem sua Causa Causarum no Eu psicológico.

    Cada atuação nefasta de um dos tantos elementos infra-humanos que carregamos em nosso interior criará novos defeitos negativos, e estes, por sua vez, outras causas que trarão novos efeitos e assim sucessivamente, vinculando-os à Lei do Destino, ao Karma, fazendo-nos a vida trágica e dolorosa em cem por cento.

    Tendo em conta que são milhares de agregados psíquicos, é lógico que sejam milhares as causas que os estimulam a manifestar-se. Qual será A Causa? Qual será a inteligência maligna que os faz existir? E qual será o centro de gravidade tenebrosa desses elementos causais? Indubitavelmenteo Eu psicológico.

    O mais crítico desta questão é que cada um de nós, em nosso interior, carregamos o Eu psicológico.



    PROCESSO PARA A COMPREENSÃO:

    Sem compreensão não pode haver eliminação. Para compreender é necessário submeter o Eu Psicológico à MEDITAÇÃO DA MORTE DO EU, capturar o íntimo sentido de sua manifestação, arrepender-nos, julgá-lo e por último pedir sua eliminação. Sentá-lo no banco dos acusados e através da lei dos opostos, dos extremos, reflexionando profundamente no Eu, fazê-lo ver, a ele mesmo, todos os erros, sofrimentos, amargura, problemas etc., que temos cometido por causa dele em toda nossa existência, até conhecê-lo totalmente e reflexionar também em seu oposto. Que seria de nossa vida se este defeito houvesse sido eliminado, se não existisse? Que virtudes, que partes do Ser se manifestariam? E assim, com a reflexão evidente do Ser neste julgar, analizando os dois extremos, chegaremos ao centro, ao TAO, à compreensão.



    OS 22 PASSOS PARA A MORTE DO “EU”:



    1. Auto-Observação:

    Através deste sentido de nosso Ser, na auto-vigilância, de instante em instante, como soldado em época de guerra, veremos aflorar os Eus. O auto-descobrimento e a captura de um dos tantos agregados psíquicos, será motivo suficiente para entrar em meditação.


    1. Asana:

    Postura cômoda do corpo, sentado ou encostado. Relaxamento físico e psíquico.


    1. Oração:

    Entrega total ao Ser, mediante diálogo interior, com toda alma e coração, para que o Ser seja quem realize este trabalho.


    1. Retrospecção:

    Reconstruir, unicamente, a última cena, comédia ou tragicomédia, com a ajuda da Chave de Sol (sujeito, objeto e lugar), onde o Eu atuou.


    1. Centro de gravidade do Eu:

    Mediante a análise psicológica, indagar, intuir, com exatidão matemática, qual dos cinco centros é o centro de gravidade, guarida ou lugar onde habita o Eu, e investigar com que centros o nível polifacético tem vínculos.


    1. Possessão:

    Quando o defeito toma mando de nossa máquina, cérebro, sentidos etc., definir por qual dos veículos de expressão, pensamento, palavra e ação se expressa o elemento psicológico. Fazer-nos conscientes de quando, como e porque se apossa de nós o Eu.


    1. Causas externas que provocam a saída do Ego:

    Definir com exatidão mediana, que “Eus” de esposos (as), filhos, família, amigos, irmãos gnósticos, situações, eventos, coisas, comportamentos de outros, fazem aflorar como ímã o Ego que levamos dentro; conscientizar que estas causas externas são o maravilhoso espelho onde podemos ver-nos tal como somos.


    1. Causas internas que provocam a saída do Ego:

    Quando o Ego sai de nossas profundidades, quando o Rasgo aflora, quando os Eus afins, efígies, representações, apetites, ânsias, desejos, inibições, recordações etc., surgem, que circunstâncias provoca.


    1. Que danos causa ao exterior:

    Que danos causa o Eu ao tomar possessão de nossa máquina e ao fazer-nos atuar como bestas, até o esposo (a), filhos, familiares, sociedade, instituição, irmandade gnóstica, coisas, animais etc.


    1. Que danos causa ao interior:

    Que danos até o interior deixa a ação do Eu do nosso zoológico interior: estancamento, descenso de nível do Ser, impedimento no desenvolvimento espiritual, perda da memória-trabalho, mau karma, dor, sofrimento, fortificação do Ego etc.


    1. O poder da besta:

    Fazer-nos conscientes mediante a reconstrução da tragicomédia, da intensidade da força VENENIOOSKIRIANA, com que se expressa a “Besta”. Ver sua forma, tamanho, intuir sua periculosidade, poder, capacidade de ação etc., analisar a que Leis, círculos infernais pertence, peso atômico, etc.


    1. Estado físico, moral e espiritual:

    Estado físico, moral e espiritual em que nos deixa depois de atuar o Ego: esgotamento, nervosismo, debilidade, alteração emocional, desconcerto moral, dor, arrependimento, etc.


    1. Canção psicológica:

    Por quanto tempo depois de manifestado o defeito psicológico ficou “ressoando”, durante que tempo ficou a recordação da cena. Se a canção psicológica se volta obsessiva ou intermitente.


    1. Que efeitos e que novas causas concretas:

    Que efeitos e que novas causas concretas se criaram ao atuar de tal ou qual maneira, que complicações e que problemas nos criou o defeito psicológico, dentro e fora de nós.


    1. Compreensão do Eu psicológico:

    Se já compreendemos nosso Eu psicológico durante esta meditação reflexiva, perceber o profundo significado do mesmo e o compreenderemos melhor em outras facetas, manifestações e representações.




    1. Auto-descobrimento:

    Auto-descobrimento do Eu-Causa específico que originou a manifestação do agregado psíquico. A revelação do Eu-Causa aflora do minuncioso trabalho anterior: degrau por degrau, e suplicando para a Divina Mãe e ao Cristo para que nesta parte do trabalho mostre-nos.


    1. Arrependimento:

    A esta altura da meditação aflorará o KAOM Interior, a voz da consciência que fará brotar a chispa do arrependimento. O anelo sincero de liberar-nos, de emancipar-nos desta inútil vestidura que nos condiciona, a nossa essência condicionada dentro de dito defeito psicológico despertará o anelo da liberação.


    1. Respectivos negócios com os Senhores da Lei:

    Invocar com nossa essência a nossa Mãe Kundalini e a nosso Senhor o Cristo Íntimo.

    Suplicar-lhes que através da polícia do karma e os anjos de nosso Pai Jeú, capturem, do centro que pertence a nossa essência embutida dentro desse Eu, o tiremos do centro e sejamos apresentados ante o Senhor Anúbis e os 42 juizes do karma.




    1. Julgamento:

    Com lágrimas na alma e nos olhos, com ansiedade e angústia infinitas, imploramos perdão, misericórdia, por haver criado o demônio que nos “condiciona”. Pedimos perdão ao Ser e a Suas partes por todos os delitos cometidos através dessa vestidura diabólica do Eu.

    Enumeramos os delitos cometidos.

    Imploramos ao Cristo e à nossa Mãe Kundalini que realizem os respectivos negócios com a Lei para que a Roda do Destino e a Roda do Leão da Lei girem a nosso favor, como se indica em Pistis Sophia, e, assim, esse espírito imundo, o Eu que nos escraviza, seja aniquilado, decapitado, desintegrado totalmente, e nossa Essência seja separada para sempre deste demônio e seja integrada à porcentagem de consciência não condicionada, para assim ir formando a PÉROLA SEMINAL.

    Ver a Essência que vai ser liberada, integrada, fusionada com o Ser, com o Cristo e com Devi Kundalini, trazer a imagem do demônio qua a caracteriza, cantar KRIM enquanto é decapitado, aniquilado e incinerado.




    1. Imaginação e vontade na aniquilação:

    Identificar-nos conscientemente, com Imaginação e Vontade em vibrante harmonia com o Cristo Íntimo e nossa Divina Mãe Kundalini, pedindo-lhes que empunhem a Tocha de Eros para queimar o Eu compreendido neste trabalho.


    1. Aniquilação:

    Logo, os matrimônios gnósticos, quando pratiquem a Transmutação na Forja dos Cíclopes, trarão conscientemente o mesmo demônio, e quantas vezes seja necessário suplicar a Devi Kundalini e ao Cristo que o aniquilem radicalmente.

    No instante da aniquilação, quando se empunhe a Lança de Eros, cantar o mantra KRIM como se indica no livro O Mistério do Áureo Florescer.




    1. A contratransferência:

    Pedir intensamente à Mãe Kundalini que nos mostre e desintegre a contratransferência, ou resistência, que cada um dos agregados psicológicos tem.



    • Petição especial:

    Pedir à nossa Divina Mãe Kundalini que restabeleça a porcentagem de consciência liberada mediante a aniquilação, para assim ir formando o Centro Permanente de Gravidade, a Pérola Seminal, qualificando-a por seu nome; se é a luxúria, o que está condicionado será a Castidade e a Pureza.

    • O rasgo psicológico:

    O V.M. Samael Aun Weor, em suas obras escritas e numa cátedra a estudantes em preparação, no Monastério de Guadalajara, expôs amplamente suas análises sobre o Rasgo Psicológico que a cada um nos caracteriza.

    Obviamente, irmãos, que depois de cinco anos de sérios e rigorosos trabalhos contra o Ego, poderão realizar a seguinte prática para descobrir o Rasgo Psicológico que os caracteriza:

    Deverão realizar um exercício de retrospecção muito profundo e detalhando os acontecimentos dos últimos cinco anos vividos, suplicando, através da oração, ao Cristo e à Mãe Divina para que nos mostre o Rasgo Psicológico.

    Se combinará a oração ao Cristo nesta meditação retrospectiva. Assim, mediante a observação interior, o Chela (discípulo) verá, no espelho cristalino da Imaginação de seu Ser, certas e determinadas cenas, comédias e tragicomédias que mais têm se destacado nesses anos, personificadas por um Eu determinado e definido, que vem sendo o rasgo psicológico.

    Este exercício durará o tempo que se requer, até completá-lo totalmente. Pode-se realizá-lo por partes, pois, em uma só meditação retrospectiva, para nosso atual estado, seria impossível.

    Assim, o Ser revelará no Espelho da Imaginação a medusa psicológica que nos caracteriza.

    Chegando ao auto-descobrimento do Rasgo Psicológico, qualificando-o por seu nome e conhecendo a virtude que o condiciona, se iniciará a etapa da análise, reflexão, discernimento e julgamento, até lograr a compreensão absoluta do Rasgo Psicológico e de suas manifestações causais através dos Eus que carregamos dentro. Capturado seu profundo significado, arrependidos, iniciamos o julgamento e posteriormente sua eliminação total, radical, na Frágua Acesa de Vulcano.

    * * *
    Bibliografia:



  • 1   2   3   4   5   6   7   8   9   10




    ©psicod.org 2020
    enviar mensagem

        Página principal
    Universidade federal
    Prefeitura municipal
    santa catarina
    processo seletivo
    concurso público
    conselho nacional
    reunião ordinária
    prefeitura municipal
    universidade federal
    ensino superior
    ensino médio
    ensino fundamental
    Processo seletivo
    minas gerais
    Conselho nacional
    terapia intensiva
    oficial prefeitura
    Boletim oficial
    Curriculum vitae
    seletivo simplificado
    Concurso público
    Universidade estadual
    educaçÃo infantil
    saúde mental
    direitos humanos
    Centro universitário
    educaçÃo física
    Poder judiciário
    saúde conselho
    santa maria
    assistência social
    Excelentíssimo senhor
    Atividade estruturada
    ciências humanas
    Conselho regional
    ensino aprendizagem
    Colégio estadual
    Dispõe sobre
    secretaria municipal
    outras providências
    políticas públicas
    ResoluçÃo consepe
    catarina prefeitura
    recursos humanos
    Conselho municipal
    Componente curricular
    psicologia programa
    consentimento livre
    ministério público
    público federal
    conselho estadual