Nota sobre a autora


A TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS E A POSSIBILIDADE DE VIVENCIÁ-LAS POR MEIO DA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA



Baixar 0.5 Mb.
Página38/48
Encontro04.03.2018
Tamanho0.5 Mb.
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   48
4.3 A TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS E A POSSIBILIDADE DE VIVENCIÁ-LAS POR MEIO DA INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA

Enfocar a teoria das inteligências múltiplas tem como objetivo refletir sobre sua contribuição na ação psicopedagógica de intervenção no processo de aprendizagem.



4.3.1 Inteligência

Podemos pensar que a inteligência é uma instância geradora de uma capacidade necessária para que, diante de conflitos e problemas, o ser humano consiga elaborar respostas que deem conta de sua resolução e ao mesmo tempo produza efeitos signi­ficativos para o meio no qual está inserido.

Observamos que o conceito de inteligência vem, ao longo do tempo, configurando-se sob diferentes enfoques. Dependendo da época, do lugar e da cultura a evolução dá um passo maior ou menor em relação a sua compreensão.

A seguir mostramos teorias e modelos cognitivos que justificam essa evolução.

Psicométrica – quantitativa;

Teoria genética – analítica/padrões universais;

Histórica-cultural – aprendizagem e desenvolvimento;

Sociocognitiva – experiência;

Inteligência artificial – equivalência e computador/mente humana;

Triárquica – tridimensional;

Modular – redes, módulos, inteligências.

Para Elizabeth Carvalho da Veiga e Emílio Garcia23, “Inteligência é o resultado da interação dos potenciais biopsicoculturais do homem, os quais evoluem a partir das influências recebidas ao longo de seu desenvolvimento”.

Tomando esses aspectos por base, é importante que a noção formada sobre a inteligência esteja respaldada pelo conhecimento das possíveis condutas aprendíveis do sujeito, dentro de determinado contexto sociocultural, em função das competências por ele adquiridas mediante uma atividade mental resultante de um conjunto de áreas cerebrais que funcionam e se modificam sistematicamente na inter-relação do sujeito com o meio ambiente.

As relações que se estabelecem entre as funções cerebrais e a inteligência não concebem o cérebro como um sistema fechado, com funções predefinidas, mas o configura como um sistema aberto, com plasticidade funcional, em constante interação com o meio, adaptando-se a diferentes necessidades e servindo a diversas funções estabelecidas no desenvolvimento humano.

A teoria das inteligências múltiplas, de Howard Gardner24, é uma teoria modular que comunga desse pressuposto, pois concebe o cérebro como um sistema múltiplo, em que as inteligências funcionam de maneira particular em cada pessoa e sempre combinadas, sendo independentes em grau ­significativo, isto é, o alto nível de capacidade em uma inteligência não significa um nível igualmente alto em outra.

Não existem duas pessoas que tenham o mesmo perfil de inteligências, pois estas surgem da combinação da herança genética da pessoa e de suas condições de vida, de uma cultura e uma época, logo, todos desenvolvem uma combinação exclusiva de inteligências. A evolução do homem está equipada com as inteligências que se podem mobilizar e conectar em função das inclinações do sujeito e das preferências de sua cultura. O ponto chave na teoria das inteligências múltiplas é que existem muitas maneiras de ser inteligente dentro de cada uma das inteligências. Essa teoria mostra a rica diversidade das formas em que os indivíduos podem apresentar cada inteligência. Um sujeito pode não ser superdotado em nenhuma das inteligências, porém a especial e única combinação de suas capacidades dá a ele uma identidade singular.

O surgimento dessa teoria deve-se à insatisfação de ­Gardner25 com a definição do poder da mente humana reduzida a uma visão tradicional, que considera a inteligência como única e representada por um valor numérico denominado QI – quociente de inteligência. Para ele, a inteligência vai além da concepção monolítica; ele adota uma visão pluralista, que descreve a competência cognitiva como um conjunto de inteligências cientificamente definidas. A inteligência é algo que se modifica e desenvolve em função das experiências que o indivíduo tem ao longo de seu desenvolvimento, isto é, ela é resultado de fatores biológicos e ambientais.



Baixar 0.5 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   48




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual