Herculano thiago batista santana costa neto


Historia de las Drogas III



Baixar 150.39 Kb.
Página29/31
Encontro28.11.2019
Tamanho150.39 Kb.
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   31
______. Historia de las Drogas III. Madrid: Alianza Editorial, 2004.
FEDOTOV, Yury. World Drug Report. 2013. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2017.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio Básico da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988. 214 p.
______. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Curitiba: Positivo, 2000.
______. Dicionário Eletrônico Aurélio Século XXI. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira e Lexikon Informática, 1999. Versão 3.0. 1 CD-ROM.
FLANDRIN, J. L.; MONTANARI, M. História da Alimentação. [S.l.: s.n.], 1998.
FOGAÇA, Jennifer Rocha Vargas. "Óxi - Uma droga mais devastadora e letal que o crack"; Brasil Escola. Disponível em . Acesso em: 07 nov. 2017.
FRAIZ JUNIOR, Silas Varella. Substâncias Psicotrópicas. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2017.
FREITAS, A. G. T. Estudos sobre as novas leis de violência doméstica contra a mulher e de tóxicos. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2013.
GARCIA, Girvany Xavier. Justiça Restaurativa: uma abordagem dos direitos e garantias fundamentais do ofensor. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2017.
GATELY, I. Tabaco: a cultural history of how na exotic plant seduced civilization. [S.l.: s.n.], 2001.
GIGLIOTTI, Analice; BESSA, Marco Antônio. Síndrome de Dependência do Álcool: critérios diagnósticos. In: Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 26, suplemento 1, maio, 2004.
GOMES, Luiz Flávio; CUNHA, Rogério Sanches. Legislação Criminal Especial: ciências criminais. 2. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2010. 6 v.

GOODMAN & GILMAN. As bases farmacológicas da terapêutica. 11. ed. [S.l.]: Mcgraw Hill Education, 2007.


GRECO FILHO, Vicente. Tóxicos: prevenção e repressão. 10. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1994.
______. Tóxicos: prevenção e repressão. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 1995.
______. Tóxicos: prevenção e repressão. 14. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.
HISTÓRIA das Drogas. Revista Galileu. Especial n. 3, ago. 2003. Disponível em: >. Acesso em: 27 set. 2017.
HOMAN, M. M. Beer and Its Drinkers: na ancient near eastern love story. [S.l.: s.n.], 2004.
JACCOUD, Myléne. “Princípios, Tendências e Procedimentos que Cercam a Justiça Restaurativa”. In: SLAKMON, C.; VITTO, R de; PINTO, R. Gomes (Org.) Justiça Restaurativa: coletânea de artigos. Brasília, DF: Ministério da Justiça; PNUD, 2005. p. 169.
JESUS, Damásio de. Direito Penal: parte geral. 34. ed. São Paulo: Saraiva, 2013. V. 1.
KATZ, S.; VOIGT, M. Bread and Beer: early use of cereals human diet. [S.l.: s.n.], 1986.
KELINA, E. Drogadição Hoje: indivíduo, família e sociedade. Porto Alegra: Artes Médicas, 2001.
LARINI, L. Toxicologia. 2. ed. [S.l.]: Manole, 1993.
LAUAR, Helio.  Política Nacional de Saúde Mental: observações criticas da Associação Brasileira de Psiquiatria. ABP-Associação Brasielira de Psiquiatria,  2001. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2017.
LEAL, César Barros. Justiça Restaurativa: amanhecer de uma era: aplicação em prisões e centros de internação de adolescentes infratores. Curitiba: Jaruá, 2014.
LIMA, Mariana Araguaia de Castro Sá. Classificação das Drogas. Mundo Educação. 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2017.
 LIMA, Eloisa Helena de. Educação em saúde e uso de drogas: um estudo acerca da representação da droga para jovens em cumprimento de medidas educativas2013. p. 26. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2017.
LOPES, Marco Antônio. Drogas: 5 mil anos de viagem. Revista Super Interessante, ed. 223, fev. 2006.
MARIA, Roque. Dependência química: noções básicas de dependência química. 2013. p. 435. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2017.
MARTINS, A. G. Lourenço. Historia Internacional da Droga. ENCOD, 17 dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2017.
MENDANHA, Fabiano Alves. A Justiça restaurativa como uma possível alternativa ao poder judiciário para dispensar um tratamento mais humanitário aos usuários e dependentes de drogas. 2016. 121 f. Tese (Mestrado) - Curso de Direito, Universidade Federal do Tocantins, Palmas, 2016. Cap. 6.
MCGOVERN, P. Visionary Plants and Ecstatic Shamanism. [S.l.: s.n.], 2004.
MORAES, Alexandre de; SMANIO, Gianpaolo Poggio. Legislação Penal Especial. 10. ed., 3. reimp. São Paulo: Atlas, 2008.
MORRIS, Alisson. Criticando os críticos: uma breve resposta aos críticos da Justiça Restaurativa. In: SLAKMON, Catherine et al. (Org.) Justiça Restaurativa. Brasília, DF: MJ; PNUD, 2005. p. 442.
NOGUEIRA, Cláudio Martins. Drogas o que elas podem fazer com você. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2017.
NOVELINO, Marcelo. Direito Constitucional. 2. ed. São Paulo: Método, 2008.
NUCCI, Guilherme de Souza. Leis Penais e Processuais Penais Comentadas. 5. ed. rev. atual. e ampl. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2010.
OGA, S. (Ed.). Fundamentos de toxicologia. São Paulo: Atheneu, 1996.
OLSON, Kent R. Manual de toxicologia. 6. ed. Rio Grande do Sul: Amgh, 2014.
ORGANIZAÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS. O UNODC e a resposta às drogas. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2017.
______. Relatório Mundial sobre Drogas 2017. Disponível em: . Acesso em: 08 nov. 2017.
ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Classificação Estatistica Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – CID 10. São Paulo: EDUSP,1995.
PALLAMOLLA, Raffaella da Porciunda. Justiça restaurativa: da teoria à pratica. São Paulo: Ibccrim, 2009. p. 54.
PASSAGLI, Marcos. Toxicologia Forense: teoria e prática. 3. ed. Campinas, SP: Millennium, 2011.

PASSAGLI, Marcos; MARINHO, Pablo Alves. Controle de Dopagem. In: PASSAGLI, Marcos et al. Toxicologia Forense: teoria e prática. 3. ed. Campinas, São Paulo: Millennium, 2011. Cap. VIII, p. 225 - 240.



PEREIRA, José Martins. Manual de Gestão Pública Contemporânea. São Paulo: Atlas, 2007.
RELATÓRIO Mundial sobre Drogas 2012 do UNODC. Disponível em: . Acesso em: 24 ago. 2017.
RODRIGUES. Relatório Mundial sobre Drogas 2012 do UNODC. 1993. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2017.
RODRIGUES, T. Tráfico, guerra e proibição. In: LABATE, B. C. et al. (Org.). Drogas e cultura: novas perspectivas. Salvador: Edufba, 2013. p.88.
SANTOS, Adriano Alves dos. Lei de Drogas - Evolução Histórica e Legislativa no Brasil. 2010. Disponível em:. Acesso em: 02 set. 2017.
SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 34. ed. rev. e atual. São Paulo: Malheiros, 2011.
SILVA, Rafael Damasceno Ferreira e. A Lei 11.343/06 e a Nova Política de Drogas no Brasil. In: Âmbito Jurídico, Rio Grande, n. 51, mar. 2008. Disponível em: . Acesso em: 03 set. 2017.
SOARES, Luiz Eduardo. A Favor da Legalização das Drogas, 2015 Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2017.
SOUZA, Fatima. História das Drogas no Brasil. 2014. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2017.
SUDBRACK, M. F. O.; FLEURY, E. M. F.; COSTA, L. F. Prevenção ao uso Indevido de Drogas: diga sim à vida. Brasília, DF: Cead/UNB; Senado, 2000.
TARSO, Araújo. Almanaque das Drogas. Um guia informal para o debate racional. São Paulo: Leya, 2012.
THUMS, Gilberto; PACHECO, Vilmar. Nova Lei de Drogas: crimes, investigação e processo. 3. ed. Porto Alegre: Verbo Jurídico, 2010.
TUPPER, K. W. Ayahuasca, Entheogenic Education & Public Policy. [S.l.: s.n.], 1991.
VALDÉS III, L. J. (et al.) Studies of Salviadivinorum (Lamiaceae), na Hallucinogenic Mint from The Sierra Mazatexa in Oaxaca. Central Mexico, 1987.
VINADÉ, T. F. Redução de danos na atenção primária à saúde: construindo a potência do encontro. In.: MINOZZO, F.; FRANÇA, S.P. (Org.). A detecção e o atendimento a pessoas usuárias de drogas na rede da Atenção Primária à Saúde: módulo 7. Brasília, DF: Secretaria Nacional de Políticas sobre drogas, 2009. p. 63-73.
WAISELFISZ, J. J. Mapa da Violência 2011. Os Jovens do Brasil. [S.l.]: Instituto Sangari/MJ/SENASP, 2012.
WASSON, R. G.; HOFMANN, A.; RUCK, C. A. P. The Road to Eleusis: unveiling the secret of the mysteries. [S.l.: s.n.], 2008.
ZAFFARONI, E.R. Em Busca das Penas Perdidas: a perda de legitimidade do sistema penal. Tradução de Tânia Romero Pedrosa. Rio de Janeiro: Revan, 1991. p. 245-246.
ZEHR, Howard. Justiça restaurativa: teoria e prática. Tradução de Tônia Van Acker. São Paulo: Palas Athenas, 2012.



Baixar 150.39 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   31




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual