Entidade Educacional Com Jurisdição Nacional


Quando falhamos no testemunho cristão - Gênesis 31.19



Baixar 95.04 Kb.
Página29/38
Encontro27.05.2018
Tamanho95.04 Kb.
1   ...   25   26   27   28   29   30   31   32   ...   38
7. Quando falhamos no testemunho cristão - Gênesis 31.19.

Jacó fora criado recebendo os ensinamentos de seu pai Isaque, "o Filho da Promessa", e portanto sabia como deveria agir para com sua família a fim de que, pelo seu testemunho, pudessem ser abençoados. Jacó falhou. Cometeu os mesmos erros de seus pais e seu testemunho distorcido influenciou negativamente a sua família, o que permitiu que no coração de sua mais amada esposa persistisse a idolatria a ponto dela roubar uma imagem de seu pai, Labão, para não romper o vínculo com suas origens religiosas.

Devemos assumir o nosso compromisso e o nosso papel como sacerdotes, o sacerdócio universal, para as nossas famílias. O nosso testemunho não pode ter outra influência que não seja a de coibir o pecado e desafio à salvação. Não podemos remediar ou demonstrar conivências com os pecados de nossos familiares. Cada dia que deixamos passar em falha testemunhal, de certo resultará em noites de amarguras e lágrimas quando virmos os nossos filhos, esposos e esposas, nossos familiares em geral, enchafurdados no lamaçal do pecado a passos largos para o inferno.

Conclusão:

Amados, a família é bênção de Deus para nós. Quando ajustada aos parâmetros da palavra de Deus é base que fornece solidez à sociedade e faz triunfar o ser, pois não há sucesso na vida que aplaque a amargura do fracasso na família.

Não podemos permitir que os fatores alistados aqui prejudiquem nossas famílias. Na família cristã, temente a Deus e fiel a Jesus Cristo não há lugar para disputas egocêntricas, para adultérios ou para a prostituição conjugal. Tais situações são pecaminosas e devem ser extirpadas do seio da família. Na família evangélica, que sabe a maneira correta de iniciar um casamento, não há espaço para mentiras e desonestidade, para preferências afetivas discriminatórias ou para um testemunho de esparrela. Somos o sal da terra. Somos o povo da santidade e das realizações benfazejas e por isso, devemos implantar na sociedade o padrão de Deus para as famílias a partir da vivência em mutualidade e espiritualidade contagiantes.

Devemos colocar nossas vidas e famílias no altar para que sejamos transformados por Deus em instrumentos de bênçãos para nossos lares. Devemos ser viabilizadores e facilitadores da boa convivência familiar, mesmo que isso nos exija renúncias doridas ou ruminar das afrontas. Devemos fazer tudo o que for possível, até mesmo nos permitirmos à transformações radicais na personalidade e na ideologia, para que nossos lares vivam motivados pelo amor manifestado por Jesus na cruz.


Somos, para a nossa família, os promotores do amor que nos possibilita vivermos em família para o louvor e glória do nosso Deus.



Baixar 95.04 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   25   26   27   28   29   30   31   32   ...   38




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual