Diretoria de pesquisa



Baixar 345.29 Kb.
Página8/8
Encontro04.03.2018
Tamanho345.29 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8
GRAU DE PARENTESCO

ESTADO CIVIL

ESCOLARIDADE

Mães

10

União estável

7

Fund. Completo

2

Avós

2

Solteiras

3

Fund. Incompleto

3







Casadas

1

Médio Completo

4







Divorciadas

1

Médio incomp.

3

Tabela 2: Descrição das participantes (2)

OCUPAÇÃO

RENDA FAMILIAR

CIDADE ONDE MORA

Do lar

9

Até 1 salário min.

3

Belém

11

Professora

1

Mais de 1 salário min.

7

Ananindeua

1

Estudante

1

De 2 a 3 salários min.

1







Agricultora

1













ESTRESSE PARENTAL

Das 12 cuidadoras, apenas 11 responderam ao pré teste, que corresponde ao nível de estresse das cuidadoras antes da intervenção. Na tabela 3 é possível encontrar o escore total obtido através da aplicação do PSI e o valor das três sub escalas, isto é, função paterna, relacionamento pai-filho, e comportamento do filho.



Tabela 3: Descrição do nível de estresse das participantes

CUIDADORAS

SUBSCALAS













FP

RPF

CF

Escore total

Simone

32

25

34

91

Celina

19

22

34

75

Lilia

23

16

28

67

Hilda

22

16

27

65

Telma

43

20

31

94

Maureana

43

20

38

101

Mylena

49

23

41

113

Laiane

30

19

25

74

Jeisiane

28

21

36

85

Irlana

32

27

33

92

Carolina

27

25

22

74

Minetto (2006) escreve que o stress total de um pai reflete as tensões que ocorrem nas áreas de angústia pessoal, tensões decorrentes da interação dos pais com o filho, e as tensões que surgem nas características comportamentais da criança. Para Mineto, as cuidadoras que apresentam nível de estresse acima do escore total, sugerem a probabilidade de abuso, rejeição ou episódios de dano físico advindos do sentimento de frustração. O risco de abuso da criança também deve ser considerado no contexto do escore de estresse total e nas outras sub-escalas. Para o Escore total, o ponto de corte que indica um nível de estresse preocupante é 94, esse resultado é alcançado a partir da soma das 3 subescalas, o instrumento foi aplicado em 11 cuidadoras, e 3 apresentaram uma pontuação acima de 94. Isso significa que as 3 cuidadoras apresentam as tensões referentes à junção de algumas caracteristicas das três subescalas, podendo ocasionar maus tratos, rejeição, etc. O nível de estresse do cuidador influencia diretamente no cuidado à criança de modo geral e particularmente quando esta é portadora de alguma deficiência como a paralisia cerebral.

A subescala função paterna determina o sofrimento que o progenitor está enfrentado no exercício do papel de pai, envolve fatores pessoais que estão diretamente relacionados ao desempenho nas funções de um pai (Mineto, 2006). Na subescala função paterna, o ponto de corte 33 é considerado um nível elevado, nesse caso existe uma insatisfação do pai no exercício de sua função, insatisfação essa que geralemnte é resultante de fatores externos como a falta de apoio social e a relação com o conjuge. A partir dos dados coletados, pode-se identificar que 3 das 11 cuidadoras apresentam nível de estresse acentuado.

Segundo Minetto (2006) a sub-escala relação pais/filho centra-se na percepção que os pais têm de como seu filho está atendendo ou não às expectativas que tinham sobre ele, e o grau de fortalecimento que o pai oferece ao filho. Nessa subescala, o ponto de corte 28 é considerado alto, nesse caso nenhuma das cuidadoras demonstra insatisfação no que diz respeito às expectativas sobre a criança, mesmo não sendo estas atendidas em sua totalidade.

Mineto (2006) escreve que sub-escala característica do filho diz respeito a algumas das características básicas do comportamento da criança que a torna mais fácil ou difícil de controlar. Estes traços estão, muitas vezes, enraizados no temperamento da criança, mas também incluiu uma série de padrões aprendidos, esses padrões podem ser definidos como comportamento desafiador, desobediência e conduta inadimplente. Nessa subescala o ponto de corte 37 é considerado alarmante. Das 11 cuidadoras, 2 apresentaram pontuação acima de 37 o que significa que um dos fatores estressores é o comportamento da criança.



CONCLUSÃO

O trabalho se propôs a tratar da importância do estado emocional do cuidador em relação à criança com paralisia cerebral, tendo em vista as diversas circunstâncias que promovem variados níveis de estresse nestes cuidadores.

Acredita-se que além disso identificou-se fatores estressores, tais como na maioria dos casos a dedicação exclusiva à criança e ao lar, sem muito apoio social. Sendo assim a pesquisa mostra que a relação familiar, relação marido e mulher, e o bem estar do cuidador refletem nos cuidados dedicados à criança com PC, podendo ter resultados positivos e negativos dependendo do ambiente em que ela está inserida.

ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

Conforme o proposto na pesquisa, os dados obtidos no pós teste e no folow up serão analisados e apresentados no período seguinte da pesquisa, assim como será dado continuidade ao levantamento bibliográfico.



REFERÊNCIAS

ALI, M. R. et al. (1994). Parents of mentally retarded children: personality characteristics and psychological problems. Social Behavior and Personality, v. 22, p. 41-52, 1994.

Araujo, A. E. & Galvão, C. (2007). Desordens neuromotoras. In Terapia Ocupacional: fundamentação e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 328-337.

Baladi, A. B., Castro, N. M., & Morais Filho, M. C. (2007). Paralisia cerebral. In A. C. Fernantes (org). AACD Medicina e Reabilitação: principios e práticas. São Paulo: Artes Médias, 15-34.

Ferrareto, I.,& Souza, A. M. C. (1998). Paralisa Cerebral – aspectos práticos. São Paulo: Editora Memnon.

Gazzaniga, M. S. & Heatherton, T. F. (2005). Ciência Psicológica: mente, cérebro e comportamento. Porto Alegre: Artmed.

Gianni, M. A. (2003). Paralisia cerebral. In E. Teixeira, F. N. Sauron, L. S. B. Santos, M. C. Oliveira (Orgs). Terapia ocupacional na reabilitação física. São Paulo: Roca, 89-100.

Hagberg B, Hagberg G, Olow I. (1984). The changing panorama of cerebral palsy in Sweden. IV. Epidemiological trends. ActaPaediLipp, M. E. N. (1996). Estresse: conceitos básicos. In: Lipp, M. E. N. Pesquisas sobre estresse no Brasil: saúde, ocupações e grupos de risco. (p. 17-31). Campinas: Papirus.

Malagris, L. E. N. (1996). Estresse e úlceras gastroduodenais: interações clínico-psicológicas. In: Lipp, M. (org.). Pesquisas sobre estresse no Brasil: saúde, ocupações e grupos de risco. (p. 83-108). São Paulo: Papirus. atrScandinavica; 73:433-40.

Mancini, M. C. (2004). Gravidade da paralisia cerebral e desempenho funcional. Revista Brasileira de Fisioterapia, 8(3), 253-260.

Minnes, P. (1998). Mental retardation: the impact upon the family. Em J. A. Burack, R.M. Hodapp& E. Zigler (Orgs.), Handbook of mental retardation and development (pp. 693-712). Cambridge: Cambridge University Press.

ROSENBAUM, P. et al. (2007)A report: the definition and classificationof cerebral palsy april 2006. Developmental Medicine and Child Neurology, [S.l.], v. 49, n. 2, p. 8-14, 2007.

Selye, H.(1965). Stress: a tensão da vida. São Paulo: Ibrasa.

DIFICULDADES

Em relação à pesquisa, as dificuldades encontradas foram relacionadas ao uso do instrumento PSI (Índice de Estresse Parental) pois no momento da análise dos dados encontrei dificuldades pontuais no que diz respeito à carência de informações sobre o instrumento, pois o mesmo é novo e não muito conhecido no Brasil.



ANEXO A – Inventário Sóciodemográfico (ISD)

Universidade Federal do Pará

Programa de Pós Graduação em Teoria e Pesquisa do Comportamento

Laboratório de Ecologia do Desenvolvimento


INVENTÁRIO BIOSOCIODEMOGRÁFICO
*SOMENTE APLICAR COM O CUIDADOR PRINCIPAL DA CRIANÇA


  • INFORMAÇÕES SOBRE O ATENDIMENTO




  • Aplicador: _________________________________________ Data _____/_____/____

  • Questionário respondido por: ( 1 ) mãe ( 2 ) pai ( 3 ) responsável _______________ ( ) Materno ( ) Paterno

  • Ano de início do atendimento na instituição: ___________

  • Frequência de atendimento por semana: ______________

  • Contato___________________________________________________________________

  • COMPOSIÇÃO FAMILIAR ESTENDIDA DA CRIANÇA (INCLUI-SE SOMENTE PAI, MÃE E IRMÃOS MESMO NÃO MORANDO NA CASA)



Nome

Idade

Gênero

Grau de parentesco

Coabita

1












S

N

2













S

N

3













S

N

4













S

N

5













S

N

6













S

N

7













S

N

Você tem algum familiar que mora no mesmo bairro? ( ) Sim. Quem?_______________________( ) Não




  • CUIDADORES PRINCIPAIS

Cuidador Principal I

  • Nome:____________________________________________________________________________________

  • É cuidador de outra pessoa com alguma necessidade? ( ) Sim Qual?_____________________ ( ) Não Vínculo: _____________________

  • Situação civil: (1) casado (2) desquitado ou separado judicialmente (3) divorciado (4) viúvo (5) solteiro (6) União estável

  • Escolaridade: (1) sem instrução (2) fundamental incompleto (3) fundamental completo (4) Médio incompleto (5) médio completo (6) superior incompleto (7) superior completo

  • Ocupação/local:___________________________________________________________________________

  • Religião: _________________________________ Etnia auto relatada: _______________________________ Naturalidade (estado): __________________ Cidade onde mora:_______________________________



Cuidador Principal II

  • Nome:____________________________________________________________________________________

  • Grau de parentesco relatado:________________________________________ Idade: ___________________

  • É cuidador de outra pessoa com alguma necessidade especial? ( ) Sim Qual?_______________________ ( ) Não

  • Situação civil: (1) casado (2) desquitado ou separado judicialmente (3) divorciado (4) viúvo (5) solteiro (6) União estável

  • Escolaridade: (1) sem instrução (2) fundamental incompleto (3) fundamental completo (4) Médio incompleto (5) médio completo (6) superior incompleto (7) superior completo

  • Ocupação/local:___________________________________________________________________________

  • Religião: _________________________________ Etnia auto relatada: _______________________________ Naturalidade (estado): _____________ Cidade onde mora:________________________________



  • Moradia: (1) Casa própria. Como adquiriu?___________________ (2) casa alugada (3) casa cedida (4) outros: ______________

  • Tipo de construção: (1) Alvenaria (2) Madeira (3)Barro (4)Mista (5) Material reaproveitado ( 6 ) Outros_____________________________________

  • Tipo de piso: (1) madeira (2) lajota (3) cimento (4) barro/terra

  • Nº de cômodos: ________ Quais:____________________________________________________________

  • Tem banheiro interno? (1) sim (2) não

  • Equipamentos e móveis: (1) Geladeira (2)Televisão (3)Rádio (4)Telefone fixo (5)Telefone celular (6)Microcomputador (7) Microcomputador com acesso à internet (8) Motocicleta para uso particular (9) automóvel para uso particular

  • Características da rua: (1) asfalto (2) terra batida (3) paralelepípedo

  • No trecho da sua rua que a criança transita tem calçada? (1) Sim. ( ) Não. É regular? ( ) S (N )

  • Veículo utilizado para transportar a criança: (1) coletivo (2) motocicleta (3) carro (4) bicicleta (5) van (6) barco (7) Outros.: __________________________

  • Quem custeia o transporte do seu filho? (1) família nuclear (2) Parentes (3) Amigos (4) Programas assistenciais

  • Energia elétrica: (1 ) sim (2 ) não

  • Abastecimento de água: (1) rede geral ( 2 ) poço artesiano ( 3 ) poço ( 4 ) rio/nascente

  • A Água recebe algum tipo de tratamento? ( 1 )Sim. Qual?______________________________ (2) Não

  • Há coleta de lixo domiciliar: ( ) Sim ( ) Não

  • Destino do esgoto domiciliar: ( ) Rede Pública ( ) Céu aberto ( ) Fossa

  • Renda Familiar Mensal: ( ) sem rendimento ( ) até 1 salário mínimo ( ) mais de um a dois salários mínimos ( ) mais de dois a três salários mínimos ( ) mais de 3 a 5 salários mínimos ( ) mais de 5 a 10 salários mínimos ( ) mais de 10 a 20 salários mínimos ( ) mais de 20 salários mínimos

  • Beneficiária de algum programa do governo? ( ) Sim ( ) Não

  • Se sim, quais?_________________________________________________________________________

  • 19. Equipamentos comunitários próximos da residência: (1) Escola (2) Posto de saúde (3) Quadra de esportes ( 4) Clube ( 5 ) Centro Comunitário ( 6 ) Praça ( 7 ) Igreja (8) Posto policial (9) Outros_____________

  • CARACTERÍSTICAS SÓCIOECONÔMICAS



  • CARACTERÍSTICAS ECONÔMICAS

  • DADOS DA CRIANÇA COM PARALISIA CEREBRAL

Identificação

  • Nome: ____________________________________________________________________________

  • Peso: ______

  • Posição na prole: (1) 1º (2) 2º (3) 3º (4) 4º

  • Tipo de família: (1) casal sem filhos (2) casal com filhos (3) mulher sem cônjuge com filhos (4) família recombinada (5) família extensa

  • Problemas de saúde associados? (1) Sim (2) Não Qual? __________________________________

  • Recebe atendimento multiprofissional em outra instituição? ( ) Sim Qual? _____________ ( ) Não

  • Plano de saúde complementar: (1) Sim Qual? ___________________ (2) Não


Histórico dos pais da criança

  • Tempo de união dos pais quando a criança nasceu: __________

  • Houve separação? ( ) Sim. Que idade a criança tinha? ________( ) Não

  • Se houve separação, mantém contato com os pais? ( ) Sim. Frequência? ___________________ ( ) Não

  • Tem outro filho(a) com alterações de desenvolvimento? (1) sim (2) não

  • Qual? ____________________________________________________________________________


Diagnóstico

  • GMFCS: (1) Nível I (2) Nível II (3) Nível III (4) Nível IV (5) Nível V

  • Que profissional suspeitou que o seu filho pudesse ter paralisia cerebral?_________________________

  • Que idade a criança tinha quando diagnosticada: ( ) 0 a 12 meses ( ) 13 a 24 meses ( ) 25 a 36 meses ( ) 37 a 48 meses

  • Quem recebeu a noticia: _______________________________________________________________

  • Após o diagnóstico quanto tempo levou para iniciar o primeiro atendimento especializado: ________________________________________________________________________________________

  • Quais profissionais fizeram os primeiros atendimentos: ________________________________________

  • Que profissionais realizam o atendimento atualmente (registrar frequência): ________________________________________________________________________________________

  • Causa da paralisia: (1) pré-natal. O que ocorreu: __________________________________

(2) perinatal. O que ocorreu: __________________________________

(3) pós-natal. O que ocorreu: __________________________________

(4) não sei

Escolaridade


  • Frequenta a escola: (1) Sim (2) Não

  • Tipo de escola frequentada: (1) pública (2) privada

  • Série: (1) Educação infantil (2 ) Ensino fundamental I ( 3) Ensino Fundamental II (4 ) Ensino Médio ( 5)

  • Participa do AEE: (1) Sim (2) Não, porque?______________________________________________

  • A escola apresenta adaptação a locomoção da criança? ( ) Sim. Qual?__________________ ( ) Não

ANEXO B – Índice de Estresse Parental (PSI)





Baixar 345.29 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual