Dados internacionais de Catalogação na Publicação (cip)


-Sugestione-se pelo positivo



Baixar 1.4 Mb.
Página125/126
Encontro06.04.2018
Tamanho1.4 Mb.
1   ...   118   119   120   121   122   123   124   125   126
10-Sugestione-se pelo positivo.
Qual é o poder de um feiticeiro vudú, de um curandeiro africano, um pai de santo; qual a magia desses pastores de seitas evangélicas alternativas, ou de um malandro qualquer que explora a credulidade do povo com truques de prestidigitação lingüística ou manipulação de símbolos?

É simplesmente o poder de sugestão. Eles induzem em pessoas emocionalmente indefesas, que estão em busca de um placebo para aliviar suas dores físicas ou morais, estados internos que as fazem sentir-se bem ou mal. Tecnicamente, eles têm tanto poder quanto você e eu. Mas os pobres diabos que caem em suas garras acreditam que aquelas coisas estranhas que estão acontecendo em suas fisiologias são realmente fruto das artes mágicas que eles praticam. Nunca vi um paralítico de verdade sair andando de uma seção dessas, mas já vi pessoas entrarem em verdadeiros transes e tomarem garrafas inteiras de pura aguardente e depois se apresentarem como se tivessem tomado apenas água; já vi pessoas rolarem pelo chão com manchas vermelhas pelo corpo inteiro, como se estivessem sendo queimadas vivas.

O mesmo processo é utilizado por alguns praticantes de PNL para fazer com que seus clientes se tornem “fire-walkers”, – caminhantes sobre brasas – inútil demonstração do poder de uma técnica poderosa, que foi desenvolvida para fins muito mais nobres.

Tudo ocorre pelo poder infinito que tem a sugestão. Essa é a força que cura e também que mata. Ela corresponde à crença nas infinitas possibilidades que o ser humano tem para superar os obstáculos que surgem à sua frente.

Essa crença tem sido testada, todos os dias, por pessoas sensíveis e bem intencionadas. Elas desenvolvem técnicas alternativas no tratamento de doenças emocionais, minorando o sofrimento de milhares de pessoas. Quem pode negar o bem feito às pessoas que as procuram, por pessoas como o médium Chico Xavier, a Mãe Menininha do Gantois, o “espírito do Dr. Fritz”, o Padre Donizetti, que nos anos cinqüenta atraia multidões a Tambaú, no interior de São Paulo, graças às curas milagrosas que fazia? E o Padre Cícero Romão Batista, o padroeiro dos nordestinos, e inúmeros outros curandeiros e milagreiros que sempre aparecem pelo mundo afora, bem como os praticantes de terapias alternativas, não reconhecidas oficialmente, mas que funcionam, às vezes, até com mais eficiência que as terapias oficiais?
A verdade é que tudo é realizado pelo poder da sugestão. Há muita coisa dentro dos processos neurológicos que orientam nossos comportamentos que nós ainda não sabemos como funciona. Mas parece que inconsciente, quando “adota” uma crença, não há razão que o faça agir contra ela. Tudo passa a ser uma ordem e ele não sossega enquanto não a vê cumprida. E quando o organismo não consegue cumpri-la, sobrevém aquele sentimento de culpa, aquela sensação de incômodo, de autopiedade, de impotência, que é o prenúncio da depressão. Se assim é, cabe a nós mesmos escolher como, quando, com o que, e por quem queremos ser sugestionados. Afinal de contas, não é outra coisa que buscamos quando procuramos um padre para perdoar os nossos pecados, um pastor para nos aconselhar, um psicólogo ou um psiquiatra que nos ajude a superar nossas dores psíquicas, uma cigana, um tarólogo ou qualquer outro praticante de artes afins para “ler” o nosso destino.Tudo que queremos é ser sugestionados, tudo que buscamos é alguém que nos diga o que precisamos ouvir para fortalecer a nossa auto-estima, aumentar a nossa confiança, robustecer o nosso ego, induzir-nos alguma crença que nos ajude afinal, a encontrar a melhor resposta.

Assim sendo, se temos que nos sugestionar, e isso nós fazemos automaticamente todos os dias, mesmo não querendo, então porque não nos sugestionarmos sempre pelo positivo ao invés de pelo negativo? Por que ficar pensando que seremos assaltados na primeira esquina, por que ficarmos imaginando que, irremediavelmente contrairemos uma doença incurável qualquer dia desses, por que ficarmos cogitando que a nossa renda possa cair até o limite de não podermos mais nos sustentar, por que....?

O melhor conselho de todos os tempos foi dado por Jesus no Sermão da Montanha. Ele disse que não ficássemos gastando toda a nossa energia psíquica com preocupações materiais, pois elas seriam providas naturalmente, uma vez que Deus deu a todos nós os recursos suficientes para dar conta disso. Se ele fez isso com as aves do céu e com os lírios dos campos, por que não faria o mesmo conosco?

O que ele quis dizer com isso é que nós não precisamos temer a pobreza, nem a doença, nem qualquer outra desgraça que possa ocorrer em nossa vida, pois o nosso organismo é estruturado com recursos suficientes para fazer face a tudo isso. Nele há defesas naturais que nos protegem em caso de necessidade, o quer dizer que temos recursos físicos e psíquicos insuspeitados que podem ser mobilizados quando deles precisarmos.

Como se diz em PNL, todas as pessoas têm os recursos necessários para serem eficientes nas respostas que precisam dar à vida. Só não podemos adotar estados negativos que impeçam a mobilização desses recursos. É isso que acontece quando permitimos que o nosso estado físico compactue com um estado psíquico completamente prostrado. Nessa condição, não se pode esperar outra coisa além da falência total do sistema.

Escolher nossos estados internos e, em conseqüência, como agiremos externamente, é uma decisão de cada ser humano. Só nós mesmos podemos decidir como queremos nos sentir. Exerça a sua opção de escolha por algo que realmente o motive. Escolha o positivo, pois o negativo já tem mercado mais que suficiente.



Apenas como informação, saiba que cada emoção “procura” um lugar no corpo para se manifestar. Preste atenção no que acontece com você quando se emociona. Por exemplo, note que:

  1. Você joga sua raiva nas mãos e pés impulsionando a reação de agressão;

  2. O medo aciona as fibras musculares impulsionando a ação defensiva ou paralisando a atividade muscular;

  3. A felicidade atua sobre os músculos internos e externos, especialmente os que trabalham o sistema cárdio-vascular, causando relaxamento, tranqüilidade, e também, dependendo do estímulo, exaltação que impulsiona à ação;

  4. O amor atua sobre os músculos e os nervos. Provoca estimulação parassimpática, trazendo calma, satisfação, tranqüilidade, receptividade;

  5. A surpresa busca os músculos oculares para se manifestar. Estimula a atenção, abre os olhos para a luz.

  6. A repugnância age principalmente sobre a pele e os órgãos dos sentidos. (língua, nariz). Repercute no rosto e nos lábios.

  7. A tristeza busca principalmente os nossos músculos, o sistema vascular e as vísceras. Por isso, ela nos deixa prostrados e sem energia, pois diminui o metabolismo do organismo causando depressão e perda de entusiasmo;

  8. A inveja procura os músculos do sistema digestivo e dos membros superiores para se manifestar. Por isso aquela sensação desagradável na região do estômago e a perda de tonalidade nos braços, prostrando-os (dor de cotovelo).




    1. Faça um inventário de suas experiências internas, evocando momentos em que você experimentou tais sentimentos. Verifique em que lugar do seu corpo elas se alojam.




    1. Faça um teste, trocando de lugar essas sensações. Por exemplo: se a tristeza parece se alojar no peito ou na garganta, causando aquele nó característico, imagine que ela é um objeto qualquer que lhe causa repugnância e tire-o daí colocando-a, por exemplo, na língua ou nos condutos olfativos. Verifique o gosto e o cheiro que ela tem. Você ainda quer continuar com um negócio desses dentro de você?




    1. Existe alguém que o magoou e quando você pensa nele (a) o seu corpo “sente” aquela mágoa? Pense nessa pessoa e na experiência desagradável que teve com ela. Ache o lugar no seu corpo onde a mágoa se manifesta. Está na parte alta do tórax? Na garganta? Imagine que essa mágoa é uma coisa asquerosa, daquelas que você nem quer ver na sua frente. Uma lesma, um sapo, uma barata, etc. Você quer continuar abrigando essa “coisa” dentro do seu corpo? Então tire-a de dentro de você. Agora você já sabe como fazer isso e não nenhuma razão para continuar a sofrer com sentimentos que não lhe fazem bem algum.




Baixar 1.4 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   118   119   120   121   122   123   124   125   126




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino médio
ensino fundamental
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
oficial prefeitura
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
ciências humanas
Conselho regional
ensino aprendizagem
Colégio estadual
Dispõe sobre
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Componente curricular
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
conselho estadual