As contribuiçoes das teorias de piaget e vygotsky para a área da educaçÃO



Baixar 60 Kb.
Página7/8
Encontro04.03.2018
Tamanho60 Kb.
#123
1   2   3   4   5   6   7   8
O construtivismo em sala de aula
Emilia Ferrero psicóloga e pesquisadora argentina, foi uma das estudiosas influenciadas pelas teorias de Piaget e Vygotsky, ela desenvolveu o chamado método construtivista de ensino aprendizagem. No construtivismo o ensino aprendizagem é entendido como um processo social de caráter ativo, em que o conhecimento é fruto da construção social e ativa do aluno. O professor é um agente mediador entre o aluno e a sociedade, e o aluno por sua vez, é um sujeito ativo na construção de seu desenvolvimento. A concepção construtivista oferece ao professor um referencial para a reflexão e fundamentação das decisões que toma no planejamento de uma aula. Esse referencial está baseado nos seguintes pressupostos, segundo Ferrero citada por La Taille: “Aprender não é o resultado do desenvolvimento, mais é o desenvolvimento cognitivo ou aquisição do conhecimento”.

Portanto aprendizagem requer do aluno reflexão, criatividade, participação, e auto-organização das informações recebidas. Sendo assim, cabe ao professor permitir que os alunos coloquem suas próprias perguntas, gerem suas próprias hipóteses e testem sua validade.

O desequilíbrio facilita a aprendizagem. Assim, os “erros” precisam ser percebidos como resultado de concepção do aluno e, portanto, não podem ser minimizados ou ignorados.

O professor precisa criar situações desafiadoras em contextos significativos ao aluno, permitindo que ele explore várias possibilidades, mesmo que sejam contraditórias ou falsas. As contradições, que fazem parte do processo de aprendizagem, são depois esclarecidas, exploradas e discutidas.

O raciocínio abstrato é a força motora da aprendizagem, ou seja, estamos sempre buscando organizar e generalizar experiências ou conhecimentos por meio de representações simbólicas. Por isso, proporcionar ao aluno discussões, experiências, execução de projetos auxiliares no desenvolvimento desse raciocínio abstrato em concreto.

A comunicação entre os elementos do processo educativo estimula o pensamento. Assim, a sala de aula deve ser vista como uma comunidade educativa engajada em atividades de discussão, reflexão e tomada de decisões. Os alunos e não os professores, são responsáveis pela defesa, prova, justificativa e comunicação de suas idéias para a comunidade da sala de aula. Essas idéias serão aceitas à medida que fizerem sentido para a comunidade.

Baseado nisso, podemos dizer que a aprendizagem é um processo dinâmico que envolve a interação do aluno com o meio e, para que ela ocorra é necessário que o professor dê a devida atenção aos fatores que motivam o aluno a aprender. Também é necessário em entendimento por parte do professor, pois cada conhecimento serve de base ou pré-requisito para a aquisição do seguinte: o professor deve estimular todas as formas de participação dos alunos para que no processo de interação social todos participem do desenvolvimento cognitivo da criança.



Baixar 60 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8




©psicod.org 2022
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
conselho nacional
concurso público
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
ensino médio
minas gerais
seletivo simplificado
Conselho nacional
oficial prefeitura
terapia intensiva
Curriculum vitae
Boletim oficial
direitos humanos
Concurso público
Universidade estadual
saúde mental
educaçÃo infantil
educaçÃo física
saúde conselho
Centro universitário
Conselho regional
Poder judiciário
assistência social
santa maria
Excelentíssimo senhor
ciências humanas
Atividade estruturada
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
Dispõe sobre
ensino aprendizagem
recursos humanos
outras providências
Conselho municipal
secretaria municipal
catarina prefeitura
público federal
educaçÃo universidade
psicologia programa
Serviço público
Componente curricular
Corte interamericana