Ao falarmos em comportamento organizacional, falamos em comportamento humano



Baixar 280.02 Kb.
Página1/11
Encontro03.03.2019
Tamanho280.02 Kb.
#30240
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11

MOTIVAÇÃO

Ao falarmos em comportamento organizacional, falamos em comportamento humano. A maneira como o homem se comporta tem relação direta com aquilo que o motiva , o impulsiona ou não a adotar comportamentos assertivos, passivos ou até mesmo agressivos.



O impulso à ação pode advir de um estímulo externo (provindo do ambiente) ou pode ser originado de um estímulo interno- relacionado aos processos mentais do indivíduo. Em virtude de as pessoas serem diferentes, as necessidades humanas motivadoras do comportamento humano produzem padrões de comportamento que variam de indivíduo para indivíduo.Assim, a necessidade causa uma tensão que por sua vez gera uma ação. Ao ser satisfeita a necessidade chegamos ao equilíbrio interno, no entanto ao sermos estimulados nos deparamos novamente com outra necessidade e o ciclo motivacional se efetiva.


Há de se atentar a possibilidade do ciclo não se efetivar em virtude de frustações a partir do surgimento de uma necessidade. Nesses casos,a tensão irá encontrar uma obstáculos para sua liberação, utilizando, nesse sentido, algumas válvulas de escape a exemplo do contexto social social (agressividade, descontentamento, tensão emocional, apatia, indiferença etc.). Assim como, do aspecto fisiológico (tensão nervosa, insônia, repercussões cardíacas ou digestivas, entre outras) e do psicológico.

A motivação é o resultado das atitudes adotadas pela administração, voltadas para a satisfação e o bem estar de seus funcionários, tendo como base, recompensas e benefícios oferecidos aos empregados, que podem ser materiais e não materiais. A motivação é abordada em conceitos e teorias, demonstrando a importância de o líder impulsionar seus liderados de forma a expandir o desempenho humano na organização.Como a motivação está diretamente relacionada com as necessidades e desejos das pessoas, sua importância cresce à medida em que ocorre um aumento no nível educacional e há uma melhoria na qualidade de vida de um determinado idividuo, grupo ou sociedade.

 

De acordo com MEGGINSON, MOSLEY, PIETRI ( 1998) a motivação é caracterizada como o processo de induzir uma pessoa ou grupo, cada qual com necessidades e personalidades distintas, a atingir os objetivos da organização, enquanto tenta também atingir os objetivos pessoais.



As recompensas citadas anteriormente podem ser :

  • recompensas intrínsecas = sentimento de realização, auto estima.

  • recompensas extrínsecas = dadas por agentes exteriores - promoção, elogio - fundamentais para a autorealização das pessoas

Diante do apresentado, podemos compreender a motivação a partir de duas abordagens de teorias lançadas a respeito do tema. Temos as teorias de processo e as teorias de conteúdo. Esta, tenta explicar a motivação a partir do que pode possibilitar o comportamento humano. Aquela, a partir de como se pode favorecer esse comportamento.




Baixar 280.02 Kb.

Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11




©psicod.org 2022
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
conselho nacional
concurso público
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
ensino médio
minas gerais
seletivo simplificado
Conselho nacional
oficial prefeitura
terapia intensiva
Curriculum vitae
Boletim oficial
direitos humanos
Concurso público
Universidade estadual
saúde mental
educaçÃo infantil
educaçÃo física
saúde conselho
Centro universitário
Conselho regional
Poder judiciário
assistência social
santa maria
Excelentíssimo senhor
ciências humanas
Atividade estruturada
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
Dispõe sobre
ensino aprendizagem
recursos humanos
outras providências
Conselho municipal
secretaria municipal
catarina prefeitura
público federal
educaçÃo universidade
psicologia programa
Serviço público
Componente curricular
Corte interamericana