Ano II – Edição Especial nº 07 :: Assédio Moral e Assédio Sexual 1ª Parte



Baixar 0.76 Mb.
Página45/72
Encontro28.11.2019
Tamanho0.76 Mb.
1   ...   41   42   43   44   45   46   47   48   ...   72
volta ao índice

O tratamento desrespeitoso que o supervisor dispensou ao reclamante é “assédio moral”, também conhecido como ato de menoscabo à dignidade do empregado, praticado por superiores hierárquicos. Cuida-se de cadeia de atitudes que têm sido alvo de estudos e de repúdio, vez que consubstanciam atitudes nocivas no ambiente de trabalho, pois sem relação com o objeto do contrato de trabalho - a prestação de serviços em si -, atingindo a dignidade da pessoa do trabalhador. Ainda que no contrato de trabalho a subordinação do empregado seja elemento necessário ao próprio reconhecimento da relação jurídica de emprego, isso não confere ao empregador e seus prepostos a prerrogativa de submeter o empregado, dispensando-lhe tratamento que importe o vilipêndio do ser em si mesmo. É direito jusfundamental da pessoa a inviolabilidade da honra e imagem, assegurado o direito à indenização pelo dano moral decorrente de sua violação (art. 5º, inciso X, da Constituição Federal).

Trata-se de empregado que labora para a ré desde 20-11-95, e à época do ajuizamento da reclamatória, em 03-05-05, ainda permanecia trabalhando. O assédio moral causou sensação de impotência ao reclamante. As habituais ofensas às quais o autor era submetido traduziram agressão à sua dignidade. Há lesão de natureza moral; o assédio moral praticado no curso do tempo, bem como o nexo causal, estão comprovados. As conseqüências negativas na esfera pessoal da vítima e na sua estrutura psíquica, vale dizer, o dano, são presumíveis, já que atingiram diretamente a honra subjetiva e objetiva do reclamante.

A reclamada é empresa de grande porte, contando com centenas de empregados em organização bem estruturada e, por certo, bem assessorada juridicamente, assim como assistida por consultorias em sua atividade-fim, o que denota capacidade econômica plena na atuação no mercado. Considera-se, portanto, que a indenização arbitrada em primeiro grau é insuficiente tanto no sentido reparatório do dano, quanto no sentido punitivo.

Assim, dá-se provimento ao recurso do reclamante para majorar a indenização por danos morais para R$ 15.000,00, considerando a gravidade do dano, o porte da empresa reclamada e o caráter punitivo-educativo da medida.

(...)




Baixar 0.76 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   41   42   43   44   45   46   47   48   ...   72




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
oficial prefeitura
minas gerais
terapia intensiva
Conselho nacional
Boletim oficial
Curriculum vitae
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ciências humanas
ensino aprendizagem
outras providências
secretaria municipal
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
Dispõe sobre
catarina prefeitura
Colégio estadual
recursos humanos
Conselho municipal
consentimento livre
ministério público
conselho estadual
público federal
psicologia programa
Serviço público