Uso Indevido de Drogas por Universitários Resumo Simpósio



Baixar 22,6 Kb.
Página1/6
Encontro17.10.2018
Tamanho22,6 Kb.
  1   2   3   4   5   6



PREVENINDO O ABUSO DE DROGAS ENTRE UNIVERSITÁRIOS: UM NOVO DESAFIO À UNIVERSIDADE.

Wânier Ribeiro – Centro Universitário Newton Paiva/ Belo Horizonte


Resumo: Os apontamentos trazidos neste trabalho se constituem em resultados parciais de uma pesquisa de Doutorado em Educação, em desenvolvimento, que visa analisar o papel da Universidade diante do abuso de drogas por universitários e, neste contexto, as possíveis contribuições da abordagem fenomenológica em educação para intervenção sobre o fenômeno.

Introdução


Atualmente, o uso de drogas é visto como um problema de ordem mundial. Dados levantados pela Nações Unidas (ONU) entre 1998 a 2001, revelam que 185.000.000 (cento e oitenta e cinco milhões) de pessoas utilizam drogas ilícitas em todo o mundo, o que corresponde a 3,1% da população global e a 4,3% dos indivíduos com média acima de 15 anos de idade. (UNDCP, Global Illicit Drug Trends, 2002)

O contexto universitário traz uma amostra ainda mais contundente do abuso, principalmente, entre os universitários iniciantes, aumentando o índice de consumo, que chegaria a 90%, com uma prevalência de 11,2% para a dependência (Silva, 2003). Pesquisas norte-americanas revelam que quatro estudantes morrem a cada dia em acidentes ligados a bebidas alcoólicas e outros 192 são vítimas da embriaguez violenta. Dos 8 milhões de estudantes universitários dos Estados Unidos, quatro em cada grupo de cinco ingerem álcool, abusivamente, sendo os primeiros dois anos de faculdade os mais críticos. (Jornal O Tempo, 2002)

Parece pertinente colocar que o alto consumo de drogas pelo público universitário não tem seu determinante no ambiente acadêmico, mas no reflexo do consumo que aumenta na sociedade, potencializado na faixa etária jovem devido ao período de instabilidade emocional, característico dessa fase de desenvolvimento humano (Erikson, 1987).

Desse modo, a escola, especialmente a que reúne este público, passa a se constituir num lócus visado de consumo e daí o maior peso de sua responsabilidade educativa e social sobre a questão.

Diante desse contexto avalia-se: como a educação formal poderá contribuir para a intervenção preventiva do uso de drogas por universitários? E nesta perspectiva educativa, quais as contribuições da abordagem fenomenológica hermenêutica para intervenção sobre o fenômeno?


: anteriores
anteriores -> Formação de professores e pesquisa: metodologias de participação, colaboração e autoformação
anteriores -> MediaçÃo da aprendizagem no ensino de psicologia de educaçÃo sob a perspectiva de reuven feuerstein: uma pesquisa-açÃo no curso normal nível médio
anteriores -> A influência da família na construçÃo da noçÃo de lucro na criança trabalhdora de rua de curitiba
anteriores -> EducaçÃo científica e atividade grupal na perspectiva sócio-histórica
anteriores -> O aprender do adulto: contribuições da teoria histórico-cultural
anteriores -> As implicaçÕes das emoçÕES, dos afetos e dos sentimentos na prática pedagógica a partir da psicologia sócio-histórica
anteriores -> Referências bibliográficas
anteriores -> Da inovaçÃo técnica à inovaçÃo edificante: o ensino de Didática em questão
anteriores -> O estágio supervisionado na formaçÃo do(A) professor(A) de educaçÃo física
anteriores -> RepresentaçÕes de alfabetizaçÃo em discursos escolares: harmonia entre palavras proferidas e coisas feitas


Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal