Universidade federal de santa maria centro de artes e letras projeto pedag


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA



Baixar 6.65 Mb.
Página42/42
Encontro05.03.2018
Tamanho6.65 Mb.
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   42

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

CENTRO DE ARTES E LETRAS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

CURSO DE GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA EM LETRAS ESPANHOL/LITERATURAS

A DISTÂNCIA

RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS









1 - RECURSOS HUMANOS
Equipe de professores formadores e pesquisadores



Nome

IES

Vínculo Empregatício

Área de Atuação

Função(ões) no Curso

Titulação


1.

Ana Lourdes Fernandez

UFPEL

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Coordenador Adjunto

Mestre

2.

Eliana Rosa Sturza

UFSM

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

3.

Fernando Villaraga

UFSM

Efetivo

Literatura

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

4.

Ivani Cristina Fernandes

UFSM

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

5.

Ivana Ferigolo

UFSM

Substituta

Literatura

Pesquisador e/ou Formador

Mestre

6.

Luciana Montemezzo

UFSM

Efetivo

Literatura

Pesquisador e/ou Formador

Mestre

7.

María Pía Mendoza-Sassi

UFPEL

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

8.

Maria Teresa Marchesan

UFSM

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

9.

Sônia Fernandez

UFSM

Efetivo

Literatura

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

10.

Suzanne Rey Zanella

UFSM

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Coordenador Espanhol UFSM

Doutora

11.

Teresa Cabañas

UFSM

Efetivo

Literatura

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

12.

Elton Vergara

UFPEL

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Mestre

13.

Jorge Espiga

CEFET

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

14.

Mara Lemos

CEFET

Efetivo

Teoria do Conhecimento e Epistemologia

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

15.

16.


Jorge Luiz da Cunha

Ceres Karam Brum



UFSM

Efetivo

Sociologia da Educação

Pesquisador e /ou Formador

Doutor

17.

Jorge Luiz da Cunha

UFSM

Efetivo

História e Org. Edu. Brasileira

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

18.

Lorena Marquesan

UFSM

Efetivo

Psicologia da Educação

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

19.

Mara Lemos

CEFET

Efetivo

Filosofia da Educação

Pesquisador e/ou Formador

Doutora



20.

Cláudio Dutra

UFSM

Efetivo

Gestão da Escola e Planejamento Educacional

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

21.

Elizane Rompeloto

UFSM

Efetivo

Inclusão Social e Cidadania

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

22.

Luis Centeno do Amaral

UFPEL

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

23.

Nóris Eunice Pureza Duarte

UFPEL

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutora

24.

Jedson Dall Forno

UFSM

Efetivo

Ins. EAD

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

25.

Jedson Dall Forno

UFSM

Efetivo

Ins. Aces.Inf.

Pesquisador e/ou Formador

Doutor

26.

Márcia Corrêa

UFSM

Efetivo

Lingüística/Língua Espanhola

Pesquisador e/ou Formador

Doutora



2 - RECURSOS MATERIAIS




2.1 - Descrição da infra-estrutura de apoio:

2.1.1 - Produção de material didático

Conforme apresentado na introdução, o projeto prevê uma ampla utilização de materiais didáticos e objetos de aprendizagem baseados nas mídias digitais, com grande ênfase na promoção da interação, possibilitada pela Internet. A preparação destes materiais envolve um profundo conhecimento dos conteúdos teóricos a serem discutidos, aliado ao domínio técnico das ferramentas de produção destes materiais, bem como de uma visão estética e de comunicação. Assim, os materiais didáticos serão preparados pelos Professores Pesquisadores com o apoio de profissionais contratados para dar suporte tecnológico e/ou pedagógico e de bolsistas monitores que transitem entre as duas áreas.


Para a pesquisa e desenvolvimento destes materiais, cinco IES (Tabela 4) terão uma equipe técnica necessária para atender de forma compartilhada todos os projetos. Esta distribuição tomou a participação de bolsas de pesquisas das IES nos cursos envolvidos como parâmetro para a divisão. As instituições federais receberão equipamentos para montar esta estrutura de apoio, enquanto que as comunitárias irão utilizar os recursos já existentes.
Distribuição de pessoal para o apoio tecnológico


IES

Consultor tecnológico

Aux. Informática (bolsista monitor)

UFRGS

3

12

UCS

3

12

UFSM

2

8

FURG

1

4

UNISC

1

4

TOTAL

10

40

2.1.2 - Laboratórios e equipamentos de apoio pedagógico





Data:

_____/_____/_____ _____________________________



Coordenador do Curso


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

CENTRO DE ARTES E LETRAS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

CURSO DE GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA EM LETRAS ESPANHOL/LITERATURAS

A DISTÂNCIA

RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS (continuação)







Os laboratórios das práticas experimentais em XXX utilizarão a infra-estrutura descrever a infraesturutra específica para cada curso.



2.1.3 - Acervo de materiais didáticos e bibliográficos:

Cada pólo presencial terá um acervo bibliográfico básico a ser adquirido pela UCS e distribuído a todos os locais, em uma relação de 1 exemplar para cada 10 alunos, buscando-se atingir 3 títulos para cada disciplina. Além deste acervo básico as bibliotecas de todas as IES parceiras estarão disponíveis para os alunos matriculados no curso. Também estarão disponíveis para os alunos o material produzido pela TV Escola, bem como todos os materiais didáticos a serem produzidos pela Rede. A intenção destes bancos de materiais e referências bibliográficas é propiciar aos alunos/professores o acesso a eles, permitindo a melhoria da qualidade de suas atividades didáticas em sala de aula.


2.1.4 - Pólos presenciais

Entende-se por pólo presencial o local destinado a receber cursos a distância, que disponibiliza uma infra-estrutura básica para o desenvolvimento de atividades a distância e presenciais com laboratório de informática (dotado de computadores equipados e adequados para as atividades a distância, rede de internet, TV, vídeo, aparelho para DVD), biblioteca, sala dos tutores, sala da coordenação do pólo e da secretaria e salas para momentos presenciais (incluindo sala multimídia).


Assim, a existência dos pólos não é apenas para os momentos presenciais, mas é a maneira de garantir aos alunos acesso, por exemplo, ao computador e à rede de internet. Somente dessa forma os professores/alunos que não possuem esse acesso, terão um local para onde se dirigirem, a fim de realizarem suas atividades previstas nos cursos. Esses também serão locais de recebimento de assessoria e orientação de tutores presenciais, da coordenação e onde os alunos poderão se informar da logística de funcionamento do curso e interagir com seus colegas em trabalhos em grupos.
A estrutura dos laboratórios de informática em cada pólo irá conter:
computadores (conexão com Internet alta velocidade/ banda larga, porta USB, CD-Rom, placa de som, alto falantes e microfone); considerou-se uma relação de 4 alunos por máquina nos pólos que atendem até 60 alunos e de 5 alunos por máquina nos ppolos com mais de 60 alunos
- 1 computador (conexão com Internet alta velocidade / banda larga, porta USB, CD-Rom, leitor e gravador de DVD e CD, placa de fax modem, placa de som, placa de captura de vídeo, alto falantes e microfone)
- 1 web cam
- 1 impressora laser
- 1 impressora jato de tinta colorida
- 1 projetor multimídia
- 1 scanner (digitalizador de imagens)

- 1 quadro branco


- bancadas e cadeiras, prevendo-se 2 alunos por computador
A manutenção destes laboratórios fica sob a responsabilidade da IES ou Prefeitura municipal sob a qual está vinculado.

2.1.5 - Centrais de tutores

As Centrais de tutores serão estruturas instaladas nas IES para acomodar os tutores a distância. As Centrais serão de uso coletivo para todos os cursos da REGESD, de forma a otimizar a utilização destes recursos. Estas unidades contarão com computadores conectados à Internet e dotados de webcams e equipamentos periféricos de apoio. Para o cálculo do número de computadores para a Central de cada IES, foi feito o levantamento do número de tutores a distância para todos os cursos, a cada semestre. O número máximo em cada IES, ao longo de todo o curso foi dividido por 3 , considerando-se a possibilidade de utilização em três turnos. O número de computadores para as Centrais de Tutores de cada IES encontra-se na tabela abaixo. Os computadores para a UCS e UNISC serão comprados pela UFRGS e cedidos para as IES.



Distribuição de computadores para as Centrais de tutores

IES

Nº de máquinas

CEFET-RS

4

FURG

16

UCS

34

UERGS

4

UFPEL

9

UFRGS

30

UFSM

23

UNISC

7

Cada Central de tutores contará ,também, com uma linha telefônica DDG (0800), para o contato dos alunos com os tutores quando não houver possibilidade de utilização da Internet.


3 - Gerenciamento administrativo-financeiro

3.1 - Material Didático

A produção, edição e distribuição do material didático se dará dentro do mesmo contexto, aproveitando as capacitações originais de cada IES parceira; assim, apesar dos docentes de todas as universidades participarem na elaboração dos materiais didáticos digitais estará concentrada nas cinco IES listadas no item 2.1.1.




Data:

_____/_____/_____ _____________________________



Coordenador do Curso





UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

CENTRO DE ARTES E LETRAS

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

CURSO DE GRADUAÇÃO DE LICENCIATURA EM LETRAS ESPANHOL/LITERATURAS

A DISTÂNCIA

RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS (continuação)







Os guias didáticos impressos, a serem distribuídos aos alunos no início de cada semestre serão de responsabilidade da UFSM.


Será feito um grande esforço para atender a alunos com necessidades especiais. Para isto, os materiais didáticos serão preferencialmente elaborados em mais de um formato (texto simples, texto em HTML e gravações de áudio). No caso de documentos em HTML, serão utilizados avaliadores de acessibilidade (como o Da Silva – http://www1.acessobrasil.org.br/dasilva/dasilva.html), para verificar e corrigir as mudanças necessárias no código e garantir a acessibilidade dos materiais produzidos. O Da Silva é um avaliador é um software que detecta um código HTML e faz uma análise do seu conteúdo, verificando se está ou não dentro de um conjunto de regras sugerido pelo W3C/WAI.
Existe também a possibilidade de instalação programas leitores de tela (como o DosVox, desenvolvido em software livre) e ampliadores de tela (tipo lupa) para auxiliar àqueles com dificuldades visuais.


3.2 - Momentos Presenciais

Estão previstos os momentos presenciais abaixo listados, que poderão ser acrescidos de outros que se façam necessários, de acordo com as características de cada disciplina.


Apresentação das ferramentas de informática com as quais os professores/alunos irão interagir e trabalhar no decorrer do curso.
Distribuição e discussão do Guia do Aluno, a cada semestre.
Aulas práticas e seminários integradores ou de estágio
Avaliações a serem realizadas no decorrer do semestre

3.3 - Gestão, distribuição e aplicação de recursos.

A gestão administrativo-financeiro e a acadêmica serão realizadas de forma compartilhada no âmbito de todos os projetos apresentados pela REGESD, de forma a melhor utilizar e compartilhar os recursos disponíveis. O modelo proposto para esta gestão colegiada, com seus diversos níveis está detalhado no Anexo II.


Os recursos financeiros serão disponibilizados pelo MEC / FNDE através de convênios específicos e serão utilizados para a aquisição e instalação de equipamentos, material de consumo, produção de material didático e/ou digital, serviços de terceiros, pessoa jurídica, despesas com pessoal e passagens necessárias para a implementação da infra-estrutura, obedecendo ao cronograma físico-financeiro de execução, conforme definido nos Planos de Trabalho.
Para atingir as metas propostas no projeto serão observadas as normas vigentes para acompanhamento, controle dos procedimentos de licitação para a contratação da execução de serviços, aquisição de bens e equipamentos, assegurando os cumprimentos do projeto.






Data:

_____/_____/_____ _____________________________



Coordenador do Curso


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

COMISSÃO DE IMPLANTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DA UFSM

PARECER








PARECER REFERENTE AO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO DE

P/ Comissão de Implantação e Acompanhamento do Projeto Político-Pedagógico da UFSM




Data:

_____/_____/_____ _____________________________



P/CIAPPP DA UFSM


UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO - PROGRAD

PARECER








O Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura Letras Espanhol/Literaturas, decorre na necessidade de enquadramento a Diretriz Curricular aprovada pelo Conselho Nacional de Educação, bem como a adequação ao Projeto Político-Pedagógico Institucional.

O projeto proposto contempla em sua estrutura todos os elementos norteadores da inovação para o ensino das Ciências das Letras em Espanhol, dos quais incentiva e impõe, sistematicamente em sua implementação, a avaliação permanente.

Considerando a manifestação favorável da Comissão de Acompanhamento e Implantação do Projeto Político-Pedagógico da UFSM e tendo o Projeto obedecido os trâmites exigidos, com a observância da legislação/regulamentos vigentes, somos favoráveis a aprovação do mesmo nos moldes propostos.

     



Data:

_____/_____/_____ _____________________________

Pró-Reitor de Graduação




ANEXOS


Convênio de criação da Rede Gaúcha de Ensino Superior a Distância - REGESD

Proposta de gestão para os cursos da REGESD

Proposta de capacitação de professores e tutores para a REGESD

Anexo I - Convênio de Criação da Rede Gaúcha de Ensino Superior a Distância – REGESD

CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM AS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ABAIXO DISCRIMINADAS, COM A FINALIDADE DE CRIAR UMA REDE DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PARA O OFERECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM LICENCIATURA NA MODALIDADE A DISTÂNCIA - REDE GAÚCHA DE ENSINO SUPERIOR A DISTÂNCIA– REGESD.


O Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas, pessoa jurídica de direito público, inscrita no CNPJ sob o n° 88.288.105/0001-39, com sede na Praça 20 de Setembro, n° 455, em Pelotas, RS, doravante denominado CEFET-RS, representado neste ato pelo Diretor Geral Antônio Carlos Barum Brod; a Fundação Universidade Federal do Rio Grande, fundação pública, inscrita no CNPJ sob o n° 94.877.586/0001-10, com sede na Av. Itália Km 8 s/nº, em Rio Grande, RS, doravante denominada FURG, neste ato representada pelo Reitor, João Carlos Brahm Cousin; a Universidade de Santa Cruz do Sul, instituição comunitária mantida pela Associação Pró-Ensino em Santa Cruz do Sul - APESC, inscrita no CNPJ sob o n° 95.438.412/0002-03, com sede na Av. Independência, 2.293, em Santa Cruz do Sul, RS, doravante denominada UNISC, representada neste ato pelo Reitor, Vilmar Thomé; a Universidade de Caxias do Sul, instituição de ensino mantida pela Fundação Universidade de Caxias do Sul, inscrita no CNPJ sob o nº 88.648.761/0001-03, com sede na Rua Francisco Getúlio Vargas, 1130 - Bloco A, Bairro Petrópolis, em Caxias do Sul, RS, doravante denominada UCS, representada neste ato pelo Reitor, Isidoro Zorzi; a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, fundação pública de direito privado, criada pela Lei Estadual n° 11.646, de 10 de julho de 2001, com sede na Rua Sete de Setembro, 1156, em Porto Alegre, RS, inscrita no CNPJ sob o nº 04.732.975/0001-65, doravante denominada UERGS, neste ato representada pelo Reitor, Carlos Alberto Martins Callegaro; a Universidade Federal de Pelotas, pessoa jurídica de direito público, inscrita no CNPJ sob o n° 92.242.080/0001-00, com sede no Campus Universitário s/nº, em Pelotas, RS, doravante denominada UFPel, representada neste ato pelo Reitor, Antonio Cesar Gonçalves Borges; a Universidade Federal de Santa Maria, autarquia pública federal, com sede na Faixa de Camobi, Km 09, Campus Universitário, em Santa Maria, RS, inscrita no CNPJ sob o n. 95.591.764/0001-05, doravante denominada UFSM, representada neste ato pelo Reitor, Clovis Silva Lima; a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, autarquia pública federal, inscrita no CNPJ sob o n° 92.969.856/0001-98, com sede na Av. Paulo Gama, 110, 6° andar, em Porto Alegre, RS, doravante denominada UFRGS, neste ato representada pelo Reitor, José Carlos Ferraz Hennemann, têm entre si por certo e ajustado o seguinte:

CONSIDERANDO a necessidade de garantir a qualidade do ensino oferecido pelas Instituições de Ensino Superiores parceiras;

CONSIDERANDO que as ações entre os parceiros têm como premissas básicas a indissociabilidade entre o ensino a pesquisa e a extensão, a interinstitucionalidade entre os parceiros e a interdisciplinaridade dos cursos oferecidos;

CONSIDERANDO que o trabalho em rede otimiza e potencializa os recursos humanos e financeiros disponíveis nas instituições parceiras, fomentando a cooperação técnico-científico entre as partícipes;

CONSIDERANDO que para atingir as premissas acima se pressupõe:

- condições técnicas padrões nos pólos presenciais;

- a capacitação conjunta de tutores e professores;

- a constituição de uma identidade visual que caracterize e identifique os materiais didáticos da Rede;

- a manutenção de uma qualidade padrão nos materiais didáticos utilizados.

As instituições acima listadas resolvem criar a Rede Gaúcha de Ensino Superior a Distância – REGESD, nos termos e condições seguintes:



CLÁUSULA PRIMEIRA - Objetivo

Viabilizar o oferecimento de cursos de graduação em licenciatura, na modalidade a distância, por meio da utilização e otimização de recursos humanos, tecnológicos e materiais e contribuir para o aprimoramento do processo de ensino, pesquisa e extensão nas áreas relacionadas à modalidade a distância nessas Instituições de Ensino Superior (IES), tornando-as disponíveis por meios interativos, nos termos da legislação em vigor.



CLÁUSULA SEGUNDA – Das atividades

A REGESD desenvolverá atividades mediante planos de trabalho de cooperação técnica entre as partícipes, através da articulação de ações conjuntas, visando criar condições favoráveis à utilização da educação a distância. Os projetos a serem executados deverão ter a participação de pelo menos dois partícipes, devendo ter sido previamente avaliados e aprovados pelo Comitê Gestor.



CLÁUSULA TERCEIRA - Da Organização e Gestão

A REGESD será gerida pelo Comitê Gestor, composto por um representante legal de cada Instituição de Ensino conveniada; cada titular deverá ter, também, um suplente.



Subcláusula Primeira - O Comitê Gestor deverá elaborar no prazo de sessenta dias o Regimento da REGESD, que irá regulamentar seu funcionamento.

Subcláusula Segunda - Caberá ao Comitê Gestor definir as diretrizes principais para o planejamento e acompanhamento do desenvolvimento das atividades acadêmicas, técnico-científicas e administrativas da rede.

Subcláusula Terceira – Cada curso a ser oferecido deverá ter uma coordenação de curso e uma secretaria.

Subcláusula Quarta – Poderão ser criadas outras funções cujas atribuições e custeio estarão definidas nos Planos de Trabalhos dos projetos que as contemplam.

CLÁUSULA QUARTA – Da Divulgação

Qualquer ação promocional que utilize nomes, símbolos ou imagens de domínio da REGESD só poderá ocorrer mediante expressa autorização do Comitê Gestor.



CLÁUSULA QUINTA - Dos Recursos Financeiros

Os recursos financeiros para a realização dos projetos serão oriundos de descentralizações e convênios com o Ministério da Educação. Os valores, finalidades e responsabilidades referentes a cada projeto serão definidos em documentos específicos para cada atividade, cabendo ao Comitê Gestor sua aprovação.



Subcláusula Única – Recursos complementares de outras fontes poderão ser recebidos pela REGESD, com a interveniência do Ministério da Educação.

CLÁUSULA SEXTA - Da Vigência

O presente instrumento terá vigência de 5 (cinco) anos, contados a partir da sua assinatura, podendo ser prorrogado por interesse das signatárias.



CLÁUSULA SÉTIMA - Dos Casos Omissos

Caberá ao Comitê Gestor a resolução dos casos omissos não previstos neste instrumento, conforme disposto na Legislação aplicável, consultando por escrito as partes envolvidas.



CLÁUSULA OITAVA - Da Rescisão e das Alterações

O presente instrumento poderá ser alterado, exceto quanto ao seu objetivo, bem como rescindido em comum acordo entre as partícipes, ou a qualquer tempo, mediante notificação por escrito ou unilateralmente, desde que a parte rescindente comunique sua decisão por escrito, com antecedência mínima de trinta (30) dias, não prejudicando os trabalhos que estejam em curso.



CLÁUSULA NONA - Do Foro

Fica eleito o foro da Justiça Federal, Secção Judiciária do RS, em Porto Alegre, para dirimir as questões surgidas do presente instrumento e que não puderem ser decididas pela via administrativa, renunciando desde já a qualquer outro por mais privilegiado que seja. E por estarem assim justos e pactuados, assinam o presente instrumento em 8 (oito) vias de igual teor e forma, na presença das testemunhas abaixo assinadas que também o subscrevem para todos os efeitos legais.

Porto Alegre,



Antônio Carlos Barum Brod

Diretor-Geral do Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas - CEFET-RS





João Carlos Brahm Cousin

Reitor da Fundação Universidade

Federal do Rio Grande - FURG



Vilmar Thomé

Reitor da Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC






Isidoro Zorzi

Reitor da Universidade de Caxias do Sul - UCS





Carlos Alberto Martins Callegaro
Reitor da Universidade Estadual do
Rio Grande do Sul - UERGS


Antonio César Gonçalves Borges

Reitor da Universidade Federal de

Pelotas - UFPEL




Clovis Silva Lima

Reitor da Universidade Federal de

Santa Maria - UFSM




José Carlos Ferraz Hennemann

Reitor da Universidade Federal

do Rio Grande do Sul - UFRGS




Testemunhas:

______________________________ ______________________________

Anexo II - Proposta de gestão para os cursos da REGESD

Justificativa
Com o intuito de promover uma administração efetiva dos recursos necessários para a oferta de cursos de licenciatura a distância as Instituições de Ensino Superior, conjuntamente com a Secretária Estadual e as Secretarias Municipais de Educação do Estado do Rio Grande do Sul, firmaram um acordo de parceria interinstitucional. Esta parceria denominada de REGESD – Rede Gaúcha de Ensino Superior a Distância, será responsável pelas definições e orientações de caráter geral, propiciando um foro onde as instituições possam coordenar as ações estratégicas do consórcio.
Objetivo

Esta organização em parceria com o gerenciamento colegiado entre todas as IES, visa otimizar o compartilhamento de recursos humanos e materiais, na busca de uma capacitação conjunta, onde as potencialidades de cada parceiro são maximizadas.

Esta forma de organização dará suporte às atividades de gerenciamento dos recursos de tecnologias e de metodologias, conduzindo a oferta de cursos que atendam aos mesmos padrõessmos padrs de tecnologias e de metodologias, conduzindo a oferta que atendam aos de qualidade, independentemente da combinação qualidade, independentemente da combinaç de recursos presenciais, virtuais ou àe recursos presenciais, virtuais ou distância.
Organização

Como cada IES pode participar de forma diferenciada em cada um dos cursos oferecidos e cada curso pode ser oferecido por diferentes conjuntos de instituições, e todos compartilham os mesmos materiais, pólos e alguns recursos, isto exige que a capacitação dos profissionais envolvidos; produção de materiais didáticos; aquisição de equipamentos e sua manutenção; assistência técnica e segurança; preparação dos ambientes físicos e virtuais; desenvolvimento de sistemas de operacionalização e gestão; sejam planejados conjuntamente.

Para este atendimento o gerenciamento está dividido em quatro níveis: o da rede, o das IES, o dos cursos (coordenado por uma IES) e o dos pólos. Independente do nível, a função gerencial está mais vinculada às atividades de gestão, administrativas, financeiras, enquanto que a função coordenação vincula-se mais aos aspectos pedagógicos e acadêmicos.
1. NÍVEL DA REGESD

As instâncias neste nível são deliberativas formadas por representantes dos outros níveis organizacionais.



1.1. Comitê interinstitucional

Formado pelo coordenador de EAD/PROLIC (descrito no item 2.1) de cada IES parceira, de um representante da SE e de um da UNDIME.

Delibera sobre os aspectos afetos a todos os cursos de forma generalizada, tais como distribuição geográfica, administração e uso dos pólos; projeto pedagógico dos cursos; conceituação, seleção, capacitação e gerenciamento dos tutores; designação e capacitação de docentes; gerenciamento dos cursos; ambiente virtual de aprendizagem; processo de seleção e avaliação; critérios de diplomação; material didático; concessão de bolsas.

2. NÍVEL DAS IES

2.1 Coordenador de EAD/PROLIC

Coordenador acadêmico e operacional das ações do projeto PROLIC em cada IES. Representa a IES no Comitê Interinstitucional e junto ao MEC. Assume as funções de Coordenador de Capacitação nas IES que participam em menos de 3 cursos. Recebe bolsa de pesquisador durante todo o período do curso.



2.2 Gerente de Projeto

Responsável pela gestão administrativa e financeira da Rede. Ficará vinculado às IES que possuem uma maior movimentação financeira, apoiando aos responsáveis pela administração financeira da demais. UFSM e UFRGS terão dois Gerentes financeiros cada e UCS terá um. Pode ser um profissional contratado pela IES, recebendo R$ 2.000,00 por mês durante todo o período do curso.



2.3 Coordenador de Capacitação

Responsável pela organização da capacitação de tutores e professores em nível de rede. No caso das IES que participam de menos de 4 cursos, o Coordenador de EAD/Prolic assumirá estas funções. Esta não é uma função permanente, será exercida por um docente da IES que recebe bolsa de pesquisador durante 4 meses a cada semestre.



3. NÍVEL DOS CURSOS

3.1 Colegiado de Curso

Formado por representantes das IES que participam no curso (representatividade proporcional à participação da IES na docência do curso. Cada IES deverá designar um Coordenador Adjunto de Curso. O Coordenador de Curso é quem coordena o Colegiado, que é responsável pelo Projeto Político pedagógico do curso e é a instância que define o corpo docente do curso e suas responsabilidades.


3.2 Coordenador de Curso

É escolhido entre os membros do Colegiado de Curso, pertence à IES que coordena o curso e está vinculado ao Coordenador de EAD/PROLIC. É o responsável pela implementação e gestão do Projeto Político Pedagógico do Curso. Coordena os professores formadores das disciplinas. Coordena junto com os Gerentes dos Pólos (descritos no item 4) a implementação dos cursos nos pólos. Seleciona e acompanha, em articulação com os Coordenadores Adjuntos de Curso, os tutores a distância do curso. Seleciona e acompanha, em articulação com o Gerente de Projeto, os tutores a distância do curso. Docente da IES proponente do curso recebe bolsa de pesquisador durante todo o período do curso. A coordenação do curso durante os primeiros dois anos será exercida pelo coordenador responsável pela elaboração do projeto de curso.



3.3 Secretário de Curso

Administra o Curso junto ao Sistema Acadêmico e ao Ambiente Virtual de Aprendizagem – Moodle. Assessora o Coordenador de Curso e é responsável pela matrícula e acompanhamento dos registros acadêmicos dos alunos. Pode ser um profissional contratado pela IES que coordena o curso, recebendo R$ 600,00 mensais durante todo o período do curso.


3.4 Coordenador Adjunto de Curso

Representa sua IES no Colegiado de Curso. Responsável pela interlocução entre o Coordenador de Curso e os docentes de sua IES. Seleciona e acompanha, em articulação com o Coordenador de Curso, os tutores a distância do curso. O Coordenador Adjunto de Curso da IES que tem um envolvimento de mais de 25 % de docentes em relação ao total de docentes do curso terá direito a uma bolsa de professor formador a partir do semestre efetivo de início do curso.



4. GERENTE DE PÓLO

Seleciona os tutores presenciais conjuntamente com o Gerente de Projeto. Coordena os tutores presenciais e é responsável pela infra-estrutura do pólo (salas de aula, biblioteca, laboratório de informática; laboratórios específicos; etc.). Apóia as atividades didático-pedagógicas e possibilita a convivência entre alunos e tutores. Responsável pela organização de estágios, supervisões e visitas técnicas. Quando o pólo pertence a uma IES, será contratado um coordenador de pólo para cada 90 alunos daquele pólo, recebendo R$ 600,00 mensais. Estas funções podem variar, dependendo da estruturação do pólo




Anexo III - Proposta de curso de capacitação de professores e tutores para a REGESD

A proposta de capacitação para os professores e tutores que irão atuar nos cursos de licenciatura a distância oferecidos pela REGESD está baseada nos mesmos princípios que irão nortear a formação dos professores/alunos, sobretudo em relação a interdisciplinaridade, contextualização, interação e aprendizagem pela ação. Para isto pretende-se realizar um evento presencial único envolvendo todos os professores engajados com todas as licenciaturas oferecidas pela Rede. Além de propiciar os objetivos acima citados, esta estratégia acarretará uma melhor utilização dos recursos, cujos custos estarão diluídos em todos os projetos.



A capacitação consta de 3 momentos: um presencial com todos os integrantes de todos os projetos; um a distância, utilizando o(s) ambiente(s) virtual(is) de aprendizagem; e um último presencial reunindo os professores por IES. O primeiro momento presencial será de imersão, com duração de três dias, organizado pela UFRGS, com participação de todas as IES. Logo a seguir ocorrerá a parte a distância, com duração de 40 horas, no ambiente Moodle. A última parte ficará a cargo de cada IES, com seus professores e tutores.

Baixar 6.65 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   42




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa