Universidade do estado de santa catarina



Baixar 1,16 Mb.
Página1/5
Encontro14.03.2018
Tamanho1,16 Mb.
  1   2   3   4   5



UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS

Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias




Data: 26/08/2016

Disciplina: Teorias de Aprendizagem

Mestrando/a: J M S ( colocar o nome completo)

Profa. Tatiana Comiotto


ENSINO DE FUNÇÕES NO ENSINO SUPERIOR: UMA ABORDAGEM CONSTRUTIVISTA

Dados de identificação:


  • Nome da instituição: Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

  • Endereço: Rua Paulo Malschitzki, 200 - Zona Industrial Norte, Joinville - SC

  • Iniciais do nome da professora: E. B. A.

  • Disciplina observada: Cálculo Diferencial e Integral I – CDI I

  • Nível de Ensino: Ensino Superior


1 INTRODUÇÃO

Este relatório apresenta as observações feitas em uma turma de Cálculo Diferencial e Integral I (CDI-I), da Graduação, no Centro de Ciências Tecnológicas da Universidade do Estado de Santa Catarina. A escolha da turma aconteceu por se tratar de área de interesse da autora, e também pelo fato da disponibilidade e aceite da professora E.B.A.

Aqui, tem-se o objetivo de relatar os fatos observados na aula e tentar relacionar a prática do professor e sua postura em sala, com alguma corrente teórica que orienta a organização de situações de ensino e de aprendizagem. Essas correntes sendo estudadas na disciplina de Teorias de Aprendizagem do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências, Matemática e Tecnologias - PPGECMT.

Para analisar as interações que são construídas entre o professor, os estudantes e os conteúdos trabalhados, inicialmente foi feito um levantamento bibliográfico utilizando o método de pesquisa estado da arte. Este tipo de levantamento permite realizar um balanço do estado de coisas vigente numa determinada área do conhecimento, além disso,

O Estado da Arte pode significar importante contribuição na constituição do campo teórico de uma área do conhecimento, pois, além de identificar os aportes significativos da construção da teoria e prática pedagógica, podem apontar as restrições sobre o campo em que se move a pesquisa e as experiências inovadoras como alternativas para solução de problemas. (FREITAS; PIRES, 2015, p. 640).
A identificação dos trabalhos que compuseram o corpus de análise foi feita, via internet, na base de dados BVS Psicologia Brasil, por meio dos descritores: Ausubel; Construtivismo; Ensino. Esses descritores foram selecionados depois da observação feita em sala de aula, que a princípio eram os que mais se encaixaram na prática da professora.

O primeiro descritor usado na pesquisa foi “Ausubel”, nessa plataforma, na opção “Bases em texto completo”, encontrando 35 resultados:



Quadro 1: Relação de trabalhos encontrados para o descritor “Ausubel”.

PePSIC

SciELO

9

30

Fonte: Produção da autora.

No portal do SciELO, por aparecerem mais resultados, acrescentou-se mais o descritor “Ensino”, ficando então com 21 trabalhos, os quais foram lidos os resumos, porém, nenhum foi selecionado, uma vez que não condiziam com este relatório. Já na no portal PePSIC foi selecionado o artigo “Contribuições de David Ausubel para a intervenção psicopedagógica”, pois retrata sobre a teoria, aplicação e contribuições de Ausubel, principalmente com relação a aprendizagem.

O segundo descritor utilizado foi “Construtivismo”, novamente, na opção “Bases em texto completo”, encontrando 144 resultados:

Quadro 2: Relação de trabalhos encontrados para o descritor “Construtivismo”.


PePSIC

SciELO

26

118

Fonte: Produção da autora.

No portal PepSIC foram lidos todos os resumos, e selecionados dois para utilização neste relatório, pois se assemelhavam mais com esta proposta: “Desenvolvimento e aprendizagem: da perspectiva construtivista à socioconstrutivista”, e “O Construtivismo na prática de professores de ciências: realidade ou utopia?”.

No portal SciELO, adicionou-se o descritor “Ensino” para filtrar melhor artigos, assim, ficando com 39, e desses foi escolhido: “Sobre o processo de construção do conhecimento: o papel do ensino e da pesquisa”, porque fala sobre os processos de ensino e aprendizagem baseados no Construtivismo.

Os títulos das produções selecionadas e os respectivos resumos, encontram-se no Quadro 3:



Quadro 3: Produções selecionadas e seus respectivos resumos, de acordo com o Estudo da Arte.

Título

Resumo

Contribuições de David Ausubel para a intervenção psicopedagógica.

Este trabalho teve como objetivo compreender os conceitos de David Ausubel e a sua interferência na aprendizagem enquanto construção cognitiva, no campo da Psicopedagogia. A pesquisa oferece uma reflexão sobre o referencial teórico, a fim de trazer benefícios para a prática profissional psicopedagógica. Conclui-se que, para Ausubel, o sujeito já tem uma história, sendo esta a base para uma aprendizagem significativa. O profissional deve estar atento ao fazer intervenção, levando em consideração a formação da estrutura cognitiva do indivíduo, trazendo importantes contribuições para diversas áreas do conhecimento, principalmente, para o campo da Psicopedagogia.

Desenvolvimento e aprendizagem: da perspectiva construtivista à socioconstrutivista

Esta pesquisa teve por objetivo apresentar uma interpretação da perspectiva construtivista e socioconstrutivista do desenvolvimento e da aprendizagem, no que se refere aos primeiros conceitos de adição e de subtração, de números inteiros. A principal hipótese da perspectiva construtivista assenta no pressuposto de que a confrontação entre os esquemas dos diferentes níveis de elaboração do sujeito desencadeia o desequilíbrio cognitivo do qual resultam conflitos e contradições. Em relação a essa problemática, essa perspectiva postula ainda que a construção do conhecimento ocorre por aproximações sucessivas, sendo a objetividade do pensamento obtida por meio de descentrações cognitivas, ao longo de todo o processo de desenvolvimento e aprendizagem, o que implica reconstruções sucessivas das estruturas mentais, através do mecanismo de equilíbrio - desequilíbrio - equilíbrio, entre o sujeito e o objeto.

O Construtivismo na prática de professores de ciências: realidade ou utopia?

Este artigo comenta que o Construtivismo é um referencial teórico de origem Psicológica e Epistemológica que parte da premissa do sujeito como construtor de seus próprios conhecimentos. E, esta ideia tem implicações para o ensino escolar, as quais, atualmente, são apresentadas aos professores por um Construtivismo pedagógico ou educacional e por slogans que deixam entrever a valorização do aluno por sua atividade de construção, sendo o professor apenas um "facilitador" deste processo. A autora observa a presença de princípios construtivistas em aulas observadas, oportunamente, não o tempo todo, em um ensino entendido como "tradicional". E, conclui que não há uma prática construtivista, mas existem elementos construtivistas na prática docente.

Sobre o processo de construção do conhecimento: o papel do ensino e da pesquisa

O trabalho enfatiza a necessidade da precisão dos termos utilizados na constituição dos saberes para a melhor avaliação da aprendizagem, focalizando, em especial, as noções de construção do conhecimento, e de conhecimento. Reflete, em seguida, sobre o chamado Construtivismo e sobre o papel das instituições de ensino quanto aos objetivos do ensino e da pesquisa. Diz que o docente deve buscar excelência no ensino, assim como o pesquisador, na pesquisa. Considera como ensino não apenas a transmissão do já conhecido, mas o processo que leva à capacidade de observação e de reflexão crítica. Comenta que o bom ensino que deve ocorrer como formação de referenciais e desenvolvimento da capacidade de avaliação, que vai ser fundamental para a produção científica e tecnológica. Mostra ainda serem exigências da pesquisa científica, metodologia adequada, originalidade, dedicação e investimento financeiro. Chega então à conclusão de que o processo da aprendizagem não se confunde com o da produção científica, mas que deve antecedê-lo necessariamente.

Fonte: Produção da autora
2 METODOLOGIA

As observações foram feitas durante quatro aulas de 50min cada, realizadas em dois dias, a primeira no dia 17 de agosto de 2016 e a segunda no dia 19 de agosto de 2016. Durante a observação realizou-se anotações pessoais em algumas folhas do que estava acontecendo na turma.

No primeiro dia da observação a docente E.B.A no início da aula pediu para os alunos se juntarem em grupos para resolverem uma atividade, ela entregou uma cópia para a autora também, que se encontra no Apêndice B. Nesse dia estava iniciando o conteúdo de funções.

Durante a atividade, as equipes ficavam chamando a professora para tirar algumas dúvidas pontuais, as quais ela sempre respondeu, e, após o término das atividades, ela foi ao quadro resolver junto com os alunos, utilizando os recursos do quadro e giz, datashow – projetando as questões e também algumas respostas e gráficos que ela tinha construído no software Geogebra e no Excel.

No segundo dia de observação, os recursos utilizados foram os mesmos, e a aula procedeu de forma similar ao primeiro dia, a professora entregou mais uma folha com exercícios envolvendo funções para os alunos resolverem.




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal