Unifae – centro universitário franciscano do paraná


Os Teoremas e Axiomas do Neopatrimonialismo



Baixar 386,23 Kb.
Página38/50
Encontro02.03.2019
Tamanho386,23 Kb.
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   50
4.9 Os Teoremas e Axiomas do Neopatrimonialismo.

Lopes de Sá (2003a) diz que essa nova corrente se preocupou em estabelecer um método para que se possa compreender o que ocorre com a riqueza patrimonial. Nesse sentido, buscou as “relações lógicas” que fazem com que a riqueza sofra transformações, isto é, procurou compreender o porque dessas mudanças, as quais são realidades espelhadas em anotações que os registros contábeis oferecem.

Ainda por Lopes de Sá (2003a) Para essa doutrina, os registros e demonstrações são considerados meros instrumentos para ensejar estudos.

Dessa forma, constituíram-se axiomas e teoremas, partindo das seguintes realidades lógicas, segundo Lopes de Sá (2003a):




  1. A necessidade humana gera uma finalidade para conseguir meios patrimoniais que visem a suprir o que se precisa;

  2. Os meios patrimoniais constituem uma substância ou riqueza (patrimônio) das “células sociais” (empresas e instituições);

  3. A riqueza não se move por si mesma, necessitando de agentes motores para isto e estes se encontram dentro (administradores, executores etc.) e fora das “células sociais” (natureza, sociedade, mercado, tecnologias etc.);

  4. Ao se movimentar a riqueza se transforma;

  5. Toda movimentação enseja o exercício de uma função (uso dos meios patrimoniais);

  6. A função é, pois, a decorrência do uso ou movimento do meio patrimonial através da ação de um agente motor interno ou externo;

  7. Quando a função anula a necessidade, pelo movimento, produz a eficácia (consegue-se o que se deseja);

  8. Existem funções definidas com finalidades específicas, estas constituindo sistemas que agem todos ao mesmo tempo e de forma autônoma, em interação, constituindo, assim, um universo patrimonial em movimento.

O Neopatrimonialismo tem seus axiomas (os quais são verdades que não precisam ser demonstradas), Lopes de Sá (2002a) os determinou:




  1. A Contabilidade estuda o patrimônio das empresas e instituições (tais empreendimentos são células sociais);

  2. O patrimônio se movimenta;

  3. O movimento patrimonial cria variações ou transformações;

  4. O patrimônio não se move por si mesmo, necessitando de CAUSAS AGENTES que atuam sobre ele;

  5. A finalidade das transformações é, normalmente, suprir necessidades das células sociais;

  6. O patrimônio é o meio para satisfação das necessidades e quando ele se movimenta exerce a sua FUNÇÃO;

  7. As funções suprem necessidades que se grupam em SISTEMAS;

  8. Tais SISTEMAS são os que visam de forma AUTÔNOMA, mas INTERDEPENDENTE, suprir necessidades de: pagamentos (liquidez), resultados (resultabilidade), equilíbrio (estabilidade), vitalidade (economicidade), eficiência (produtividade), riscos (invulnerabilidade) e dimensão correta (elasticidade);

  9. Quando a função supre a necessidade ocorre a EFICÁCIA;

  10. Quando a eficácia é permanente e crescente se produz a PROSPERIDADE;

  11. Quando todas ou a maioria das células de uma sociedade humana está em estado de prosperidade a sociedade estará também (essa a grande missão da ciência contábil).

Pelos axiomas do Neopatrimonialismo, verifica-se a busca pela análise holística das transformações patrimoniais, abandonando a antiga visão limitada da Contabilidade de simplesmente registrar os créditos e débitos dos acontecimentos das instituições.

As células sociais são citadas por Lopes de Sá (2002) como: “(...) o lar, a prefeitura, a escola, o hospital, o clube, a mercearia, a padaria, são algumas das células sociais (como o são muitos milhões de empresas e instituições), mas, todas estão compostas de pessoas e patrimônio (...)”.

Lopes de Sá (2002) ainda menciona que, a eficácia das células sociais depende de como a riqueza é gerida; e esses modelos de gestão para atingir a eficácia são matérias decorrentes de estudos contábeis.

Lopes de Sá (2002) aponta o futuro da humanidade totalmente dependente da Contabilidade expressando: “sendo a Contabilidade a ciência do patrimônio é ela quem se incumbe de ditar a eficácia das células sociais e quando todas as células forem eficazes também a sociedade o será. (...) Não será exagerado afirmar que o futuro da sociedade depende do futuro da Contabilidade”.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   34   35   36   37   38   39   40   41   ...   50


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal