Unifae – centro universitário franciscano do paraná


Neopatrimonialismo x Tecnologia do Fim do Século XX



Baixar 386,23 Kb.
Página22/50
Encontro02.03.2019
Tamanho386,23 Kb.
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   50
2.2.6 Neopatrimonialismo x Tecnologia do Fim do Século XX.

Apesar dos avanços tecnológicos ocorridos nos últimos anos de forma rápida e não se sabe até onde vão chegar, Lopes de Sá (2007, p.180) manifesta que:

É preciso preservar e defender a autonomia científica da Contabilidade como condição essencial para o progresso do conhecimento em Contabilidade.

A informática, a Telemática e a Cibernética derrotaram os pragmáticos, relegando a função normativa, demonstrativa e de registros a plano secundário, como simples instrumento que é, em nosso conhecimento, como parte de menor qualidade no contexto.

Que as informações se produzam subordinadas a um complexo doutrinário, nada temos a contestar, mas que se entenda a Teoria da Contabilidade como algo constituído dessa sistemática mecânica e de condições simplesmente automáticas e de menor expressão cultural é coisa que não conseguimos assimilar.

Diante desta postura, o progresso não terá limites, como afirmou Masi, como ele desejava realmente que a Contabilidade fosse observada em sua dignidade científica e que é a única competente para garantir o futuro de nosso conhecimento.

O que já foi exposto sobre o neopatrimonialismo deixa-nos uma idéia do que este pretende como proposta de valorização da Contabilidade; o que o futuro nos reserva, entretanto, não podemos seguramente prever, pois muitas modificações ainda haverá de suportar a constante marcha evolutiva do ser humano e suas condições de vida em comum.

O mundo atual parece estar longe do que os seres humanos pretendem como satisfação de suas necessidades materiais; a desigualdade social, o papel tão duvidoso do Estado em nossos dias, a farsa política, que cria um abismo entre tais fatores e a sociedade que os sustenta e justifica, tudo isso haverá de comportar mudanças que certamente influirão sobre todas as células sociais, âmbito no qual a Contabilidade tem como objeto a riqueza a serviço da eficácia (esta a concepção neopatrimonialista).

Entendo que, só quando todas as células sociais forem eficazes, a sociedade também o será, mas essa relação harmoniosa que deve existir na interação de célula e organismo parece-nos ainda distante de ser conseguido, em razão da incompetência, da ambição, da falta de sinceridade que tem prevalecido na correlação entre o indivíduo e o Estado e que Spencer já reclamava em sua obra mestra.

O axioma da eficácia, base do Neopatrimonialismo, vale para o aziendal, vale para o econômico, vale para o social, ou seja, é a forma de entender a Contabilidade de forma holística, como nos parece convir para a sociedade futura e, aí, então, sim, ter-se-á plantada a base de uma História da Prosperidade, como a do Patrimônio Eficaz a serviço de toda a humanidade.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   50


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal