Um pouco de nós



Baixar 418,74 Kb.
Página10/11
Encontro01.12.2019
Tamanho418,74 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11
RECOMENDAÇÕES ADICIONAIS:

  • Observar sempre as recomendações do fabricante na embalagem do produto sob uso;

  • Nunca usar repelentes sobre ferimentos de pele;

  • Usar repelente durante o dia e à noite e em todas as áreas expostas do corpo, inclusive pés, rosto e orelhas;

  • 4.Usar o suficiente para cobrir de forma homogênea a extensão das áreas expostas. Aplicar em excesso não aumenta a proteção e nem torna o efeito mais prolongado. Aplicar pouco também não confere proteção adequada;

  • O repelente pode ser aplicado sobre as roupas;

  • Não aplicar sobre os olhos, nariz, boca e genitais. No caso de aparecer alguma irritação na pele, coceira ou vermelhidão na área aplicada, suspenda o uso e lave a região com água e sabão;

  • Se for usar filtro solar, hidratante ou maquiagem, aplicar o repelente por último e após transcorridos 15 minutos.

  • Reaplicar o produto toda vez que molhar a pele, tomar banho ou transpirar demais;

  • Para aplicar no rosto, coloque o repelente na palma da mão e espalhe. Não espirre diretamente no rosto, devido ao risco de atingir olhos, nariz e boca, o que deve ser evitado;

  • A associação de um repelente aplicado sobre a pele e de um repelente aplicado sobre a roupa parece ser a maneira mais eficaz de prevenir as doenças transmitidas pelos mosquitos Aede aegypti e Anopheles (transmissor da malária).

  • Prefira uso de roupas de cor clara com mangas compridas e calças compridas e um tanto largas (evite roupas coladas ao corpo, elas facilitam a picada do mosquito);

  • Perfumes e odores atraem os mosquitos, portanto, recomenda-se não usar;

  • Usar telas mosquiteiro nas janelas e sobre a cama ao dormir, com aplicação de repelentes também sobre as telas.

  • Evitar a proximidade de lagos, lagoa e rios no final da tarde e à noite, horários de maior concentração de mosquitos;

  • O uso de citronela ou de produtos associados (velas, incensos, sprays) embora apresentem alguma eficácia, devem ser evitados devido curto tempo de ação e consequente falsa percepção de proteção.

  • O uso de própolis em gotas ou de vitaminas do Complexo B não têm eficácia comprovada contra a aproximação e picada dos mosquitos transmissores de doenças.


9. Cuidados necessários após retorno ao país de origem

Recomendamos o uso do vermífugo Annita 500mg, 1 comprimido de 12/12 horas por três dias. O medicamento pode ser comprado sem retenção de receita médica e está indicado para amplo espectro de microrganismos que podem infectar o trato digestivo (vermes intestinais, giardia, amebas e alguns vírus). O medicamento produz esperada coloração amarelo fluorescente na urina. Deve ser usado com cautela se você o caravaneiro também fizer uso de anticoagulantes, como a Warfarina, ou de anticonvulsivantes, como a Fenitoína.

Nos seis meses que sucedem a chegada do caravaneiro ao país de origem, é preciso estar atento a sinais de malária. Na vigência de febre, com ou sem calafrios, sudorese e dor de cabeça, procurar imediatamente um serviço de saúde e comunicar viagem à África, área endêmica de malária, mesmo que você tenha feito uso de quimioprofilaxia. Como a doença é rara em nosso meio e os sintomas muito inespecíficos, pode não haver suspeição clínica por parte dos médicos que prestarem o atendimento, o que pode atrasar o diagnóstico e complicar o tratamento e as chances de cura. O diagnóstico de malária é fácil quando existe a suspeita e o tratamento em geral é simples e eficaz se iniciado precocemente.

Procure também atendimento médico imediato em caso de diarreia, problemas de pele ou respiratórios e informe o local de procedência.



Em caso de dúvidas, contate um de nossos coordenadores médicos.

10. Outras orientações:

A língua oficial de Moçambique é Português, mas nas aldeias é comum a utilização do dialeto local Changana, situação em que a FSF disponibiliza intérpretes.

Será disponibilizado pela ONG ao caravaneiro um chip de celular para ser utilizado no próprio aparelho. Nos centros de acolhimento verifica-se que o serviço de Internet funciona com qualidade podendo ser realizadas chamadas pelo WhatsApp. Se crédito acabar antes do final da viagem, pode-se recarregar com novo crédito. Fale com o coordenador da Caravana.

Cada caravaneiro deverá levar em média de 100 a 200 euros para suas despesas eventuais e pessoais. Caso prefira levar em dólar lembrar: Notas de dólar anteriores a 2013 não são aceitas. O valor desejado pelo caravaneiro para a troca em moeda local deverá ser comunicado no grupo de WhatsApp, quando for solicitado pelo coordenador da Caravana. O montante desejado pelo caravaneiro deverá ser informado previamente e precisamente, pois não haverá possibilidade nem de aumentar nem de diminuir o valor no momento da troca. Há a possibilidade de visita a uma Feira de Artesanato, no retorno à Maputo, portanto, se desejarem adquirir souvenirs, acrescentem no valor a ser convertido. A ONG não se responsabiliza pela reconversão da moeda local para Dólar ou Real. Não vale a pena re-converter o dinheiro, perde-se muito. Se sobrar algum valor você pode guardar para uma futura viagem ou doar para ser usado na estrutura local da ONG.

Utilize protetor solar com fator mínimo de proteção de 30. O protetor deve ser reaplicado com frequência.

A FSF fornece durante todo o período da sua viagem garrafas de água mineral. Beba apenas água mineral de fonte conhecida e hidrate-se continuamente. O calor local é intenso.

Não use gelo. Não é possível saber a procedência da água que o produziu.

Escove os dentes com água mineral para evitar que micro-organismos presentes na água possam adentrar o corpo pela mucosa bucal.

Evite o consumo de alimentos crus, inclusive leite e derivados. Coma frutas sem casca.

Comunique ao coordenador de saúde da Caravana qualquer sintoma que possa eventualmente apresentar durante a viagem. Na ausência de coordenador médico, reporte-se ao coordenador geral da Caravana.



O trabalho da Caravana sem Fronteiras é 100% voluntário e traz, em sua essência, características de abnegação e vivência da mais genuína fraternidade, dentre outros valores, sem qualquer discriminação ou preconceitos. Portanto, quando nos colocamos como servidores da CAUSA, precisamos ter em mente esses objetivos básicos.

  • Para poder participar de uma Caravana, o voluntário deve ser padrinho de pelo menos um dos projetos da ONG.

  • Algumas Caravanas possuem missões específicas, como nas Caravanas da Saúde e da Educação.

  • Toda iniciativa que venha interferir, ainda que positivamente, na vida da comunidade, deverá passar por aprovação prévia da Coordenação da Caravana, pois existem atitudes que podem acarretar problemas adversos devido a questões culturais.

  • Os integrantes das aldeias geralmente cantam e dançam celebrando a vida e recomenda-se aos caravaneiros a mesma espiritualidade, interação com a comunidade, sempre observando um cunho educativo: gestos, palavras, músicas, etc.

  • É expressamente proibido fumar e ingerir bebidas alcoólicas DURANTE TODO O PERÍODO da Caravana, exceto nos voos, caso desejem.

  • É expressamente proibida a publicação e divulgação em qualquer tipo de mídia (redes sociais, website, impressos, etc.), de fotos ou vídeos de crianças em estado de vulnerabilidade. Em situações excepcionais, cujas publicações tenham caráter informativo e em benefício dos menores atendidos pelos projetos, seu rosto deve ser ocultado e seus dados pessoais omitidos, observando todas as orientações da Coordenação da Caravana.

  • A FSF não tem fronteiras religiosas e sua base fundamental é a fraternidade e a pedagogia do amor sem fronteiras, exercitando respeito, amizade, solidariedade e companheirismo, valores que elevam o ser humano a condições melhores de espiritualidade, tendo como principal fundamento as virtudes e leis morais ensinadas por Jesus Cristo.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal