Título: Estresse e bem-estar no trabalho: Uma revisão de literatura Title: Stress and well-being at work: a literature review Identificação dos Autores Autora



Baixar 248,37 Kb.
Página3/18
Encontro29.11.2019
Tamanho248,37 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   18
Procedimentos Metodológicos
Procedimento de coleta e análise de dados

A primeira etapa de busca dos artigos foi realizada no período de junho a julho de 2016, nas seguintes bases de dados: Ebsco, Google acadêmico, Lilacs (Literatura Latino-americana e do Caribe em Ciências da Saúde), SciELO (Scientific Electronic Library Onli­ne), e PubMed (National Library of Medicine). Foi feita busca também em seis revistas do Annual Reviews (Annual Review of Environment and Resources, Law and Social Science, Neuroscience, Organizational Psychology, Psychology, Public Health). As bases foram escolhidas por abrangerem grande e diversificado volume de publicações científicas representativas dos diversos campos de conhecimento, haja vista o estresse ser um construto bastante estudado. Os Annual Reviews são publicações dedicadas a artigos de revisão de literatura, o que permitiria identificar a evolução dos achados sobre estresse, bem-estar e trabalho. Para a busca dos artigos foram utilizadas as palavras-chave: “stress”, “wellbeing”, “job”, e “work” no idioma Inglês, visando abarcar a literatura nacional e internacional. As bases de dados foram configuradas para buscar as palavras nos campos “título”, “resumo” e “palavras-chave”. Foi utilizado o operador boleano “and” visando induzir que as palavras selecionadas constassem nos referidos campos. Determinou-se que as bases apresentassem os artigos publicados a partir de 2006 até 2016, abarcando os últimos 11 anos, período que se intensificaram os estudos sobre o bem-estar no contexto de trabalho impulsionados pelo movimento da Psicologia Positiva. Na base do Pubmed, especificamente, foram selecionados apenas os artigos de revisão e meta-análise, a fim de filtrar a primeira busca que resultou em 3.996 títulos. Mediante estes procedimentos, obteve-se um total de 675 referências.

Na segunda etapa foram lidos os títulos e resumos desses trabalhos, excluindo os que não correspondiam ao objetivo geral desta revisão, bem como teses, livros e editoriais, permanecendo então 134. Na terceira etapa, durante o processo de leitura mais acurada desses artigos foram descartados 81 deles, considerando os seguintes critérios de exclusão: (a) tipo de estudo: artigos teóricos; (b) foco do estudo: aqueles que tratavam unicamente sobre a síndrome de burnout (antecedentes, preditores e prevalência), sobre o efeito reverso entre estressor e bem-estar/tensão, os de validação de instrumentos ou avaliação de programas de intervenção para redução do estresse; (c) medição: artigos em que o bem-estar era medido apenas pela satisfação no trabalho; (d) tipo de amostra: constituídas por estudantes universitários, idosos, ou jovens não inseridos no mercado de trabalho. Na etapa final foram selecionados 50 artigos que preencheram os seguintes critérios de inclusão: (a) tipo do estudo: artigos científicos empíricos, de revisão ou meta-análise; (b) ano de publicação: entre 2006 e 2016; (c) foco do estudo: tratavam das relações entre estressores/estresse e bem-estar no trabalho/de trabalhadores, incluindo ou não variáveis moderadoras e mediadoras; (d) medição: avaliavam ou mensuravam o estresse e/ou fatores estressores no trabalho e aspectos positivos e negativos do bem-estar/saúde (físicos, psicológicos, sociais, no trabalho, entre outros); (e) tipo de amostra: trabalhadores de diversas categorias; (f) idiomas da publicação: português, inglês ou espanhol. A Figura 1 ilustra esses procedimentos realizados para a seleção do material.

Para a sistematização e análise do material foram lidos na íntegra todos os artigos que contemplaram os critérios de inclusão e posteriormente feitas as sínteses das suas principais informações, tais como autoria, ano de publicação, delineamento metodológico, foco do estudo, variáveis estudadas (variável independente-VI, variável dependente-VD, variáveis moderadoras e mediadoras) e conclusões (correlações entre variáveis, principais preditores, etc.). Variáveis preditoras são aquelas capazes de predizer efeitos em outra variável, enquanto as variáveis moderadoras são aquelas que podem afetar a direção e a força da relação entre a VI ou antecedente e a VD ou variável consequente. A variável mediadora é aquela que quando introduzida no modelo, faz com que a relação entre uma VI e uma VD deixe de ser significativa, pois a relação entre elas é melhor explicada pela mediadora31. Os dados foram reunidos em quadros, separando os estudos de revisão/meta-análise dos estudos empíricos. Foram também resumidas e integradas as sugestões dos estudos em geral, no que tange às pesquisas futuras e aplicabilidade dos resultados nas organizações.


Agrupar 1038


: uploads -> artigos
artigos -> Psicologia de orientaçÃo positiva: uma proposta de intervençÃo no trabalho com grupos em saúde mental
artigos -> A construçÃo da masculinidade
artigos -> Análise de Discurso: Potencialidades Investigativas para a Violência de Gênero
artigos -> Novos sentidos para a atuaçÃo do psicólogo no programa de saúde da família
artigos -> Título Completo
artigos -> Fatores associados à adesão à Terapia Antirretroviral em adultos: Revisão integrativa de literatura
artigos -> Crenças e influências sobre dietas de emagrecimento entre obesos de baixa renda
artigos -> O presente artigo descreve o perfil da violência de gênero na cidade de Mendes através da análise dos dados obtidos na leitura
artigos -> A construçÃo da masculinidade
artigos -> Gender inequalities in non communicable disease mortality in Brazil Desigualdades de gênero na mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   18


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal