Título: Estresse e bem-estar no trabalho: Uma revisão de literatura Title: Stress and well-being at work: a literature review Identificação dos Autores Autora



Baixar 248,37 Kb.
Página14/18
Encontro29.11.2019
Tamanho248,37 Kb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   18
Autoria e Ano de publicação

Tipo de pesquisa e Participantes

Foco do Estudo

Conclusões


Sadir et al.52

2010



Comparação entre grupos, transversal. Clientes de clí-nica psicológica brasileira.

Verificar se as variáveis de sexo, cargo, idade e estado civil interferem nos níveis de estresse e QV de profissionais em início de tratamento de estresse.

- Grupos com > estresse: profissionais entre 40 e 49 anos, mulheres e casados.

- Fator QV mais comprometido em todos profissionais: saúde.

- Prejuízo no fator social e afetivo: > para gerentes e < para os autônomos.


Santos e Cardoso8 2010

Correlacional e transversal. Trabalhadores da saúde mental brasileiros.

Avaliar o estresse, estratégias de enfrentamento e QV de profissionais de serviços de saúde mental.

- Quanto > índice de estresse > uso de estratégias de fuga-esquiva.

- Quanto < índice de estresse > qualidade de vida.



Wadsworth et al.39 2010

Correlacional e transversal. Trabalhadores da Inglaterra e Gales.

Comparar o impacto da presença/ausência de fatores do trabalho e associação com saúde mental e BE.

- A > demanda de trabalho teve > impacto no estresse.

- O < apoio social teve > impacto (-) no BE.



Afonso e Gomes44 2009


Correlacional e transversal.

Militares da Guarda Nacional Portuguesa.



Avaliar o estresse laboral e analisar suas relações com o coping proativo, comprometimento organizacional, satisfação pessoal e realização profissional.

- > estresse e < satisfação pessoal e profissional > impacto (-) na carreira.

- > Coping proativo e > comprometimento predizem > satisfação pessoal/profissional.

- Quanto > uso de estratégias de confronto > exaustão dos militares.


Astudillo Diaz et al.57 2009


Estudo de casos com profissionais de saúde de hospitais do Chile.

Conhecer os fatores protetores do estresse presentes no ambiente laboral, percebidos pelo pessoal de saúde.

- Protetores do estresse: funções bem definidas, chefia comprometida, possibilidade de romper a rotina, qualidade dos recursos, trabalho em equipe, ambiente agradável e boas relações. Fatores (+) são úteis para orientar ações de promoção da saúde no trabalho.

Chen et al.1

2009


Correlacional e transversal. Trabalhadores de petróleo offshore. China.

Explorar a relação entre o estresse ocupacional e a saúde mental de trabalhadores chineses.

- Preditor (-) de saúde mental: estresse ocupacional.

- Quanto < suporte gerencial > risco para saúde mental.



Goto et al.59

2009


Estudo de caso com profissionais da Indústria automobilística brasileira.

Investigar os fatores percebidos como estressores no trabalho, as estratégias de enfrentamento, e a percepção de BE (satisfação com a vida e trabalho).

- Estressores: prazo curto e volume excessivo de trabalho, baixa autonomia.

- Estratégias de enfrentamento: domínio do estresse por meio do controle da carreira e dos conteúdos do trabalho, prática de atividades lúdicas realizadas fora da empresa.




Paris e Omar 41

2008



Correlacional e transversal. Médicos e enfermeiros da Argentina.

Identificar estressores e estratégias de enfrentamento usadas por profissionais de saúde; e explorar as relações entre estresse, bem-estar e satisfação laboral.

- Estressores: sobrecarga, falta de apoio e percepção de injustiça no trabalho.

- < Estresse > uso estratégias solução de problemas/distanciamento > satisfação e BE.

- > Estresse > uso de estratégias desadaptativas < satisfação e BE.


Shimazu e Schaufeli 46

2007



Correlacional e longitudinal. Trabalhadores de empresa de construção de máquinas no Japão.

Examinar os efeitos do coping focado no problema e da distração no bem-estar (respostas ao estresse; desempenho no trabalho).

- > Uso do coping focado no problema associado a < estresse nos indivíduos com alta distração e > estresse nos que tinham baixa distração.

- Houve efeito (+) de curto prazo do coping focado no problema no BE e desempenho.





Uncu et al.60

2007


Correlacional e transversal. Médicos de assistência na Turquia.

Analisar as relações entre bem-estar afetivo no trabalho e estresse, ansiedade e depressão.

- BE afetivo: correlação (-) com estresse, depressão e ansiedade.

- Afetos (-) no trabalho tem correlação com estresse, ansiedade e depressão.



Continua


: uploads -> artigos
artigos -> Psicologia de orientaçÃo positiva: uma proposta de intervençÃo no trabalho com grupos em saúde mental
artigos -> A construçÃo da masculinidade
artigos -> Análise de Discurso: Potencialidades Investigativas para a Violência de Gênero
artigos -> Novos sentidos para a atuaçÃo do psicólogo no programa de saúde da família
artigos -> Título Completo
artigos -> Fatores associados à adesão à Terapia Antirretroviral em adultos: Revisão integrativa de literatura
artigos -> Crenças e influências sobre dietas de emagrecimento entre obesos de baixa renda
artigos -> O presente artigo descreve o perfil da violência de gênero na cidade de Mendes através da análise dos dados obtidos na leitura
artigos -> A construçÃo da masculinidade
artigos -> Gender inequalities in non communicable disease mortality in Brazil Desigualdades de gênero na mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   18


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal