Título: Estresse e bem-estar no trabalho: Uma revisão de literatura Title: Stress and well-being at work: a literature review Identificação dos Autores Autora



Baixar 248,37 Kb.
Página11/18
Encontro29.11.2019
Tamanho248,37 Kb.
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   ...   18
Autoria e Ano de publicação

Tipo de pesquisa e Participantes

Foco do Estudo

Conclusões


Malik e Noreen 12

2015



Correlacional e transversal. Professores universitários e de escolas do Paquistão.

Investigar o suporte organizacional percebido (SOP) como moderador da relação entre estresse ocupacional e bem-estar afetivo no trabalho (BEA).


- Moderador que exacerba o impacto (-) do estresse no BE: baixa percepção de suporte organizacional.

Mihăilă 3 2015


Correlacional e transversal. Trabalhadores selecionados via Linked In, empregados no momento.

Estudar a relação entre estresse no trabalho e comportamento organizacional (bem-estar, satisfação no trabalho, rotatividade e frustração no trabalho).

- Preditor (-) de BE e satisfação no trabalho: estresse no trabalho.

- Preditor (+) de frustração no trabalho e desejo de deixar a empresa: estresse.




Semmer et al.38 2015


Correlacional, transversal e longitudinal.

Trabalhadores Suíços.



Descrever o conceito de tarefas ilegítimas (desnecessárias) e testar sua associação com o Bem-estar (BE)/ Tensão.

- Preditores (-) de BE: tarefas ilegítimas

- Preditores (+) de Tensão após 2 meses: tarefas ilegítimas.



Carvalho et al 43

2014


Estudo de caso com profissionais de saúde de hospital de Portugal.

Compreender as percepções individuais, as representações mentais e os atributos relacionados à gestão de emoções e do estresse no trabalho.

- Quanto melhor gestão das emoções, melhor o controle e RE < estresse emocional.

- Quanto > nível de consciência dos estados emocionais > suporte de qualidade e desenvolvimento de atividades apropriadas > o bem-estar e a QVT.



Millán de Lange et al.24 2014


Correlacional e transversal.

Docentes universitários da Venezuela.



Estudar a inteligência emocional (IE) e a disposição para fluir no trabalho como fatores de proteção frente ao estresse laboral e como promotores do BEP.

- Fatores protetores do estresse laboral e preditores de BEP (Bem-estar psicológico): IE e disposição para fluir no trabalho.


Gomes et al.45

2013



Correlacional e transversal.

Enfermeiros de hospitais de Portugal.



Identificar fontes de estresse, estratégias de coping e relação com a saúde geral de enfermeiros de serviços de oncologia.

- Estressores: relativos a aspetos organizacionais e condições de trabalho.

- Estratégias de coping: foco na resolução de problemas e melhoria do BE.

- Correlação (-) entre saúde geral e estratégias de coping de evitação.


Narainsamy e Van Der Westhu-izen 53 2013

Correlacional e transversal

Trabalhadores de lab. clínicos na África do Sul.



Investigar se o BET consiste em 4 fatores: estresse ocupacional, burnout, engajamento no trabalho e satisfação no trabalho.

- Os resultados dão suporte para o modelo de BET composto por quatro fatores.

- Fatores de correlação (-) com BET: estresse ocupacional e burnout.

- Fatores de correlação (+) com BET: satisfação e engajamento no trabalho.


Rahimnia et al.40

2013



Correlacional e transversal

Enfermeiros de Hospital do Irã.



Testar um modelo no qual o capital psicológico (autoeficácia, otimismo e resiliência), emoções construtivas e destrutivas, estresse, ansiedade e depressão são antecedentes de BE.

- > capital psicológico: > emoções construtivas, < emoções destrutivas e > BE.

- Preditor (+) de BE: emoções construtivas.

- Preditor (-) de BE: emoções destrutivas.

- A redução de emoções destrutivas tem > efeito para aumentar o BE.



Sanches e Santos7 2013

Estudo de caso com docentes universitários da área de saúde no Brasil.

Analisar as situações geradoras do estresse ocupacional (estressores), os sintomas e as estratégias de coping (enfrentamento) utilizadas.

- Estressores: alunos despreparados, sobrecarga de trabalho, contexto, preocupação com a aprendizagem do aluno e prazos institucionais.

- Estratégias coping: autocontrole, suporte social, solução de problemas e reavaliação.



Bell et al.21

2012a



Correlacional e transversal. Acadêmicos de Universidades da Austrália.

Investigar a relação entre estresse percebido no trabalho (ameaça e pressão), interface trabalho-vida pessoal, e bem-estar/mal-estar.

- Preditor (-) de BE e (+) de mal-estar: estresse de ameaça.

- Preditor de conflitos trabalho-vida: estresse de ameaça e pressão no trabalho.




Continua


: uploads -> artigos
artigos -> Psicologia de orientaçÃo positiva: uma proposta de intervençÃo no trabalho com grupos em saúde mental
artigos -> A construçÃo da masculinidade
artigos -> Análise de Discurso: Potencialidades Investigativas para a Violência de Gênero
artigos -> Novos sentidos para a atuaçÃo do psicólogo no programa de saúde da família
artigos -> Título Completo
artigos -> Fatores associados à adesão à Terapia Antirretroviral em adultos: Revisão integrativa de literatura
artigos -> Crenças e influências sobre dietas de emagrecimento entre obesos de baixa renda
artigos -> O presente artigo descreve o perfil da violência de gênero na cidade de Mendes através da análise dos dados obtidos na leitura
artigos -> A construçÃo da masculinidade
artigos -> Gender inequalities in non communicable disease mortality in Brazil Desigualdades de gênero na mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   ...   18


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal