Título del documento: a democracia no planejamento do Sistema Único de Saúde brasileiro



Baixar 0,53 Mb.
Página9/20
Encontro24.06.2018
Tamanho0,53 Mb.
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   20

Conselho de Saúde


O SUS instalou no país, além de um sistema federativo de saúde, também uma noção específica de controle social e participação popular, em especial através dos Conselhos de Saúde, instituídos no nível municipal, estadual e federal. São órgãos coletivos e permanentes formados por cidadãos, profissionais da área da saúde, instituições governamentais e prestadores de serviços de saúde, compostos por membros da sociedade civil em igual número à soma dos representantes do governo, profissionais da saúde e prestadores de serviço (COELHO, 2007)

Quanto a participação popular, os conselhos são responsáveis por operar dentro do SUS em dois sentidos principais: o primeiro sentido é o de levar projetos do governo à população, informando sobre como acessam serviços de saúde e conscientizando a população sobre direitos e deveres. Num segundo sentido transmitem sugestões da população ao governo.

No entanto, é dentro do âmbito institucional que a força dos Conselhos aparece, pois há grande poder de veto em planos e na prestação de contas das secretarias de saúde. Por exemplo, se o Conselho rejeitar o plano apresentado anualmente pela Secretaria, o Ministério da Saúde não repassa parte dos recursos para à Secretaria. (COELHO, 2007)4

Os recursos financeiros do SUS, por exemplo, são todos movimentados sob a fiscalização do Conselho de Saúde do respectivo ente (art. 33 da Lei 8080 de 1990). Há também casos de responsabilidades específicas dos conselhos, como por exemplo a normatização sobre a dispensação de medicamentos de forma suplementar, quando não há protocolo clínico ou diretriz terapêutica (art. 19-P, inciso III da Lei 8080).

Em regra, os conselhos são criados por lei do próprio ente federado, porém com base na Lei 8142/1990.

Conforme Martins (2008), a atuação dos conselhos sofre com a indicação de membros para cadeiras de setores que não necessariamente representam tais setores, muitas vezes são pouco conhecidos da população e, mesmo que a presença quantitativa de representantes da sociedade seja adequada, não se observa a correspondência direta da capacidade de intervenção desse grupo. Conforme a autora, e de maior destaque para o presente trabalho:

“Nota-se que os próprios gestores e membros dos conselhos apresentam um conhecimento insatisfatório sobre o papel e importância do mesmo. Essa realidade tem sido apontada por diversos autores como fator limitante à implantação do princípio da participação social em diversos municípios brasileiros [...] esta situação de desconhecimento de alguns membros tem sido muitas vezes utilizada por alguns gestores e autoridades públicas como pretexto para reforçar a imagem que os representantes dos usuários são técnica e socialmente despreparados para perceberem com clareza a lógica de funcionamento e as necessidades do sistema de saúde. Justificam, assim, a atuação dos gestores no controle das atividades do conselho, como a definição dos membros, a determinação das agendas do conselho, definindo quais assuntos são considerados pertinentes e relevantes, dentre outras. Como conseqüência, os conselhos acabam sendo interpretados como instâncias meramente homologatórias das decisões do gestor, atendendo muito mais a uma formalidade legal do sistema do que propondo formas de alterações nas relações de poder entre sociedade e Estado (OLIVEIRA; GUSMÃO, 2004).”

Evidentemente os conselhos não são um mecanismo perfeito, mas em evolução no país, assim como as comissões intergestoras, o sistema financeiro e de execução do SUS.




Catálogo: blog -> wp-content -> uploads -> 2016
2016 -> Pressclipping em 06. junho
2016 -> A admiração e o espanto significam que reconhecemos nossa ignorância e exatamente por isso podemos superá-la
2016 -> Pressclipping em 18. abril. 2016 a filosofia não é uma ciência, mas uma atitude
2016 -> Quem olha para fora, sonha; quem olha para dentro, desperta
2016 -> Boletim trab-prev-rh em 11. abril. 2016 Nada existe de bom nem mau, o pensamento é o que torna assim
2016 -> Boletim trab-pev-rh em 25. Jan. 2016 "Minha musa inspiradora é o prazo." Tom Jobim
2016 -> Boletim cont-trib-jur em 04. julho
2016 -> Pressclipping em 22. fevereiro
2016 -> Os fantasmas são fruto do medo. Quem não tem medo não vê fantasmas
2016 -> Quanto menos um homem conhece a respeito do passado e do presente, mais inseguro terá de mostrar-se seu juízo sobre o futuro


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   5   6   7   8   9   10   11   12   ...   20


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa