Transtornos de atençÃo e hiperatividade



Baixar 7,85 Kb.
Encontro05.10.2018
Tamanho7,85 Kb.


TRANSTORNOS DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE

Christiane Serpa Paschoalino1
Os Transtornos do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDHA), tratam-se de uma doença que está sendo investigada pelos médicos.

Um dos principais motivos para os TDHA está ligado a produção de um neurotransmissor, a dopamina, substância que participa das transmissões de informações entre os neurônios. A dopamina é responsável pelo controle das emoções e também está ligada à atenção. Crianças que sofrem destes distúrbios apresentam menor quantidade de dopamina e, por isso, distraem-se com facilidade.

Um dos tratamentos utilizados é a base de cafeína, que atua como estimulante, favorecendo a produção de dopamina.

Existem várias causas possíveis para a ocorrência do TDHA, herança genética, influências do ambiente escolar, social e familiar, bem como alterações químicas no cérebro.

Os pais podem ajudar. A família não deve se culpar pelo problema nem comparar o filho com amigos ou irmãos mais comportados. Fixar uma rotina de horários também é importante.

As manifestações dos TDHA dividem-se em três grupos de crianças:

As desatentas, que parecem “viver no mundo da lua”. A criança deixa freqüentemente de prestar atenção a detalhes ou comete erros por descuido em atividades escolares. Não segue instruções e não termina deveres escolares e tarefas domésticas. Apresenta dificuldade em organizar tarefas e atividades. Reluta com freqüência envolver-se em tarefas que exijam esforço mental. Perde coisas necessárias para atividades (brinquedos, material escolar, objetos pessoais etc.). Distrai-se facilmente com estímulos alheios.

As impulsivas, crianças ditas “levadas da breca”. A criança costuma dar respostas antes das perguntas terem sido completadas. Apresenta dificuldade em aguardar sua vez. Interrompe ou intromete-se em assuntos alheios.

As hiperativas, bastante agitadas. A criança costuma agitar mãos e pés ou remexer-se nas cadeiras. Costuma abandonar seus assentos, principalmente em sala de aula. Apresenta dificuldade em brincar ou se envolver silenciosamente em situações de lazer. Fala demais e apresenta agitação contínua.

Para que seja diagnosticado o problema, os sintomas devem aparecer antes dos sete anos de idade e permanecer por pelo menos seis meses, repetindo-se em vários ambientes.



Caso perceba algumas destas características em seus filhos procure a ajuda de um profissional para que seja efetivado o diagnóstico, podendo assim tratar da doença através de psicoterapia e/ou medicamentos.

1 Psicóloga Clínica da Abordagem Cognitiva- Comportamental (CRP 62278/5).



Compartilhe com seus amigos:


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa