Toda responsabilidade é terra santa 15 parceria com o jardineiro-mestre 33


"Tira as sandálias dos pés, porque



Baixar 0,97 Mb.
Página7/238
Encontro16.01.2020
Tamanho0,97 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   238
"Tira as sandálias dos pés, porque

o lugar em que estás é terra santa.”
Êxodo 3:5

1

TODA RESPONSABILIDADE É TERRA SANTA



Senhor Poderoso, restabelece meu ministério para que

minhas raízes possam ir fundo no solo onde tu me plantaste.

Poda os meus esforços para que os frutos sejam duradouros e doces.

Focaliza minha visão para que eu perceba a tua presença

em todas as circunstâncias. Amém.

VOCÊ ESTÁ PISANDO EM TERRA SANTA

Oito jovens pastores e suas esposas estavam sentados diante da lareira crepitante. Qualquer ideia de se aventurar para fora dali para algum tipo de exercício à tarde já tinha sido descartada em vista da forte chuva de granizo que dançava ao redor do retiro nas Montanhas Rochosas onde se encontravam.

Quando a conversa começou a ficar desanimada, Ted, com estilo impetuoso, um Pedro dos dias modernos, rompeu com uma sugestão:

 Vamos brincar de um jogo onde cada pessoa descreve a fase de ministério que mais o irritou.

Olhares do tipo "não-vamos-frustrar-a-criança" convergiram à sua sugestão. Alguém o lembrou de que um retiro deveria ser um santuário temporário onde se evitasse os pensamentos das responsabilidades que os esperavam em casa. A persistência de Ted prevaleceu, e ele mesmo se apresentou para começar o jogo.

 Meu maior problema - disse ele - é um líder leigo bem com quase todas as pessoas da igreja. Orgulhoso. Egoísta. Difícil de alcançar. Dominador. A Tempestade no Deserto começa toda vez que alguém o contradiz. Assim ele consegue o que quer através de métodos de intimidação.

Várias pessoas concordaram movendo a cabeça, reconhecendo que a experiência de Ted não era só dele.

Sara, a princípio um tanto hesitante, confessa que seu marido nunca abandona sua imagem de pregador.

 Ele anda, fala e pensa como um pregador. Mesmo em casa, ele coloca a voz empostada e polida nas orações de gratidão pelas refeições. Romance com um reverendo em geral não é exatamente gratificante - disse ela, ao mesmo tempo em que vários participantes ensaiavam um riso nervoso.

 Meu trabalho nunca termina - foi a expressão de frustração desanimada de Max. - Parece o trânsito de uma auto-estrada, não pára nunca. Outro sermão para escrever. Uma chamada telefónica para retornar. Outro incêndio para ser apagado.

 Não sei se com vocês é assim - continuou Max -, mas o dinheiro é sempre curto. Alguns de nós temos dívidas enormes de empréstimos que fizemos para cursar a faculdade, e o salário da maioria dos iniciantes não é suficiente para saldá-las. A pressão de pagar as contas todas não tem fim.

 Você não está sozinho - respondeu Daniel.  Minha esposa e eu lutamos com pressões financeiras todos os dias. Um aumento de uns 20% nos proporcionaria uma vida relativamente equilibrada, mas ninguém na igreja parece perceber nosso problema de dinheiro. Alguns conferencistas famosos dizem coisas absurdas como "Deus proverá". Isso me dá vontade de gritar: "Deus só provê o aumento salarial de pastores por intermédio de líderes leigos". Eu nunca vi dinheiro cair do céu.

As reclamações foram aumentando à medida que a participação no jogo se intensificava: era a casa do pastor sempre cheia de visitas, as pressões sobre a família, os líderes descompromissados, as promessas quebradas... À medida que a terapia do "reparta-a-sua-miséria" progredia, uma onda coletiva de autocomiseração foi tomando conta.

Então Davi, com lágrimas escorrendo pelo rosto, compartilhou:

 Minha situação é mais difícil do que eu consigo descrever. As pessoas são rígidas, exigentes, irresponsáveis, hipersensíveis. Muitas vezes quero cair fora mesmo e reclamo com Deus. Deus me levou para lá, eu sei. E ele me mantém lá. Ele espera que lá mesmo eu seja um líder que exalta a Cristo, mas meu desejo seria estar em outro lugar. Humanamente, eu quero desistir.

Em meio aos soluços, Davi continuou:

 Mas uns poucos bons membros de minha comunidade ficam ao meu lado. Cuidam de minha esposa e de mim. Preocupam-se com Deus e com seu trabalho. Mesmo que às vezes meu desejo seja de desistir de tudo, simplesmente não posso ir embora. É como se, bem, é como se eu estivesse pisando em terra santa.

O salão foi sendo tomado de um silêncio enquanto o grupo de jovens, homens e mulheres, contemplava as chamas que dançavam na lareira.

 Nunca pensei no contexto de meu trabalho desta perspectiva - disse Sara.  Esta discussão coloca a nossa situação sob novo prisma e a faz parecer terra santa, também.

 A nossa também! - afirmou Tomé.

 É isso aí - disse André -, acho que a mesma coisa acontece conosco. Mas é a terra santa mais esquisita que eu já vi. Às vezes parece que Deus mesmo foi embora dali.

Durante as duas horas de conversa que se seguiram, sete dos oito casais concordaram que Deus é quem os havia levado ao lugar onde estavam ministrando, à terra santa.

Ted, o conversador, agora mais controlado, observou:

 Esta conversa me fez pensar em meus tempos de menino. Minha mãe, esposa de pastor, costumava cantar quando as coisas ficavam difíceis: "Onde Jesus estiver, ali será céu para mim".

As palavras daquele hino e as percepções adquiridas naquela [ardo de quarta-feira acompanharam os casais que deixavam o centro de conferências em Colorado. Sabiam que Deus não tinha ainda parado de atuar em suas vidas. As pessoas ainda precisavam do ministério deles. E eles tinham a promessa de Deus que lhes daria poder onde quer que servissem.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   238


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal