Sobre o pai com comentários de Juan Carlos Bodoque Compreendendo a Manifestação Divina e algo mais sobre a natureza da Lei no Antigo Testamento Welington Corporation a viagem



Baixar 11,62 Mb.
Página6/29
Encontro11.10.2018
Tamanho11,62 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   29
Como se aquilo não fosse NADA, ao ser quebrado pelas mãos do profeta irado!

E então, em outro episódio o SENHOR QUE SARA, como é conhecido, torna a irmã de Moisés LEPROSA por sete dias! No dia em que Mirian se rebela contra Moisés e ainda diz que foi porque lhe “cuspiu no rosto”. Na cultura oriental de 4000 anos atrás, se uma filha se rebelasse contra o pai e lhe faltasse o respeito, ganhava uma cusparada na cara. Ele que usou força jamais vista na terra para libertar o povo que chama de “seu” da escravidão egípcia, se irrita de tal modo com seu comportamento devasso que fará uma proposta irrecusável ao seu profeta: - Sai da minha frente que eu vou fazer de você aquilo que prometi a Abraão e a esse povo vou matar e vai ser agora! Ele que condena a necromancia, se revelará a um bruxo! Ele que mudará a história com a libertação do povo do Egito ameaçará sua imediata extinção após uma tremenda rebelião. Ele que promete uma terra prometida para uma nação de escravos recém liberta, os faz andar como nômades em círculos por quarenta anos. Na medida, que revela o sacerdócio institui uma religião de sacrifícios, para aceitação do pecador, ao mesmo tempo designa ao extermínio um conjunto de nações. Ele que instituirá a verdade como base do relacionamento humano!

Espera-se que ele haja com o rigor de uma divindade que jamais recue em sua palavra. Mas ele se retrata. Ele perdoa. Ele aceita por meio de uma Graça desconhecida pessoas que quebraram TUDO QUE ELE ORDENOU. Sansão vive uma vida degenerada. Desrespeita cada pedaço de seu nazireado. E ainda assim é ouvido em meio a sua humilhação. O fato é tão absurdo que os filisteus o capturaram com a certeza absoluta de que jamais receberia de volta as forças que possuía, porque o mundo de outrora não conheceu a misericórdia de uma DIVINDADE MAGOADA. Uma instancia do perdão de uma DIVINDADE OFENDIDA.

O Pai desvirtua sentidos e encobre propósitos.



- Sempre.

Ele institui profetas e parece agir como um habitante do mundo de então, anacrônico diante de sua eternidade ao destinar ao anátema, nações inteiras. Quando vaticina a morte até de crianças e mesmo infantes a dura pena de extermínio, ao menos presumido.



- Eu acho isso demais. Até pra Deus.

Porém...



Começamos a perceber uma história diferente dentro da aparente AMARGURA de suas palavras. Nas entrelinhas de Juízes há ao contrário da ordem de destruição completa, incluindo a de populações civis, uma postura que a maioria desconhece. Nenhuma nação debaixo do tal anátema, foi completamente... anematizada.

- Isso eu num tinha percebido ainda.

Exemplificando: Os Gileaditas montam uma comitiva para “enganá-lo” fingindo que são de uma nação longínqua e mesmo ‘ciente’ de quem são, permite que suas ordens sejam CONTRARIADAS, aceitando uma aliança com um povo ‘condenado’.

Ele, dito ONISCIENTE, se deixa ENGANAR!

E se a dureza da ordem fosse uma terminologia de guerra? Tal assassínio em massa, como é modernamente interpretado, jamais ocorreu em Juízes.

Ele que é o SENHOR DA VIDA não vacilará em estender a mão contra 180.000 soldados treinados, bárbaros e crudelíssimos, para proteger aquela cidade que diz que ama. Apaixonadamente luta pelo seu povo e a cidade de Jerusalém elege como amada. Chama a Israel de filho.

Ele, sim ele, que concederá o poder de uma arma de destruição em massa nas mãos de um profeta, Elias, por uma invocação fará com que 100 homens caiam fulminados. (Quando o rei chateado com o fato de receber uma profecia sobre sua morte inevitável envia três grupos de soldados para capturar o profeta)



- Essa parte eu acho legal. Quer dizer...

Ele, que apesar de sua justiça, não impedirá que um profeta cheio de poder amaldiçoe crianças que dele caçoam transformando poder divino em praga e arrancando um urso-monstro das profundezas da floresta para fazer dos moleques um conto de terror. Por sua palavra profética, plena e inspirada declarará que a idolatria de Judá é como o desejo das mulheres adulteras em busca de homens bem-dotados da capital Assiria!



Por sua ordem Isaias andará nu por três anos! Por sua ordem Jeremias não se casará!. Por sua ordem Oséias desposará uma menina de programa na qual ele consumirá seus recursos inúmeras vezes para trazê-la do covil de seu cafetão. Por seu poder Ezequiel ficará paralisado como uma estátua de cera por 24 horas. Na época da transição do deserto, nem havia se iniciado direito o tal sacerdócio quando as mulheres moabitas apresentaram a prostituição cultual. A prática do sexo sagrado. Uma religião cuja base era o orgasmo.


Eles trazem para dentro de Israel uma pratica que une devassidão às coisas sagradas. E junto de uma onda de prostituição que contamina a milhares, uma praga de enfermidades assola a Israel. Um casal de jovens, mesmo ciente de que aquilo era a causa da praga, desrespeita as ordens e foge em direção a uma tenda e dar por consumado o ato sexual. E são seguidas por um descendente da tribo de Levi que lá os pega em fragrante em pleno ato e ali mesmo, deitados, são atravessados por uma lança. E morrem fazendo sexo. E então a praga cessa.
1 Enquanto Israel estava em Sitim, o povo começou a entregar-se à imoralidade sexual com mulheres moabitas, que os convidavam aos sacrifícios de seus deuses. O povo comia e se prostrava perante esses deuses. Assim Israel se juntou à adoração a Baal-Peor. E a ira do Senhor acendeu-se contra Israel.

E o Senhor disse a Moisés: "Prenda todos os chefes desse povo, enforque-os diante do Senhor, à luz do sol, para que o fogo da ira do Senhor se afaste de Israel". Então Moisés disse aos juízes de Israel: "Cada um de vocês terá que matar aqueles que dentre os seus homens se juntaram à adoração a Baal-Peor". Um israelita trouxe para casa uma mulher midianita, na presença de Moisés e de toda a comunidade de Israel, que choravam à entrada da Tenda do Encontro. Quando Fineias, filho de Eleazar, neto do sacerdote Arão, viu isso, apanhou uma lança, seguiu o israelita até o interior da tenda e atravessou os dois com a lança; atravessou o corpo do israelita e o da mulher. Então cessou a praga contra os israelitas. Ele parou com uma praga maldita pela morte de dois jovens amantes transpassados pela lança de um sacerdote! E ainda separará a tribo que tal feito realizou para o sacerdócio eterno. Sacerdócio eterno que terá FIM pela impiedade e inadimplência de dois corruptos sacerdotes da linhagem de Levi.






Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   29


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal