Sobre o pai com comentários de Juan Carlos Bodoque Compreendendo a Manifestação Divina e algo mais sobre a natureza da Lei no Antigo Testamento Welington Corporation a viagem


Tampouco Aser expulsou os moradores de Aco, nem os moradores de Sidom



Baixar 11,62 Mb.
Página13/29
Encontro11.10.2018
Tamanho11,62 Mb.
1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   ...   29
Tampouco Aser expulsou os moradores de Aco, nem os moradores de Sidom; como nem de Alabe, nem de Aczibe, nem de Helba, nem de Afeque, nem de Reobe; Porém os aseritas habitaram no meio dos cananeus que habitavam na terra; porquanto não os expulsaram. Tampouco Naftali expulsou os moradores de Bete-Semes, nem os moradores de Bete-Anate; mas habitou no meio dos cananeus que habitavam na terra; porém lhes foram tributários os moradores de Bete-Semes e Bete-Anate. E os amorreus impeliram os filhos de Dã até às montanhas; porque nem os deixavam descer ao vale. Também os amorreus quiseram habitar nas montanhas de Heres, em Aijalom e em Saalbim; porém prevaleceu a mão da casa de José, e ficaram tributários. E foi o termo dos amorreus desde a subida de Acrabim, desde a penha, e dali para cima Juízes 1:21-36

- OHHHHHHHHHHH!

As ordens divinas de tomada de Canaã, não importa a terminologia que use, é para a EXPULSÃO. Nações como aquelas não poderiam continuar a existir. DESTRUIR é o termo usado por um Deus indignado com o choro das crianças QUEIMADAS VIVAS. E subiu o anjo do SENHOR de Gilgal a Boquim, e disse: Do Egito vos fiz subir, e vos trouxe à terra que a vossos pais tinha jurado e disse: Nunca invalidarei a minha aliança convosco. E, quanto a vós, não fareis acordo com os moradores desta terra, antes derrubareis os seus altares; mas vós não obedecestes à minha voz. Por que fizestes isso? Juízes 2:1,2

Ele VIVE o presente. Os textos do Antigo Testamento são VIVENCIADOS, são frutos de uma relação próxima. Embora reportem tempos anteriores ao ser humano, atravessam histórias de gerações impactadas. Não são personagens lendários ou míticos que inspiram as tradições sacerdotais e proféticas das Escrituras. Os túmulos dos profetas assassinados e adornados a cada ano pelos religiosos culpados, ainda existentes na época de Jesus, dão a dimensão exata da distancia histórica que separa as tradições de seus autores. Todas as histórias dos brâmanes, nos livros sagrados do sânscrito, nas antigas lendas das divindades e heróis míticos chineses, tudo o que eles fazem... é contar as histórias de suas existências... Toda a glória divina dos milhões de deuses humanos é feita de lembranças... Construída de uma vida passada, de feitos ocorridos num passado longínquo, ressoam o eco de tremenda antiguidade, reverberam histórias passadas, manifestam cenas vividas, épocas que já não são. Ou ocorriam ou numa DIMENSÂO INVISVEL E INACESSIVEL AO HOMEM.

Sobretudo o Pai mostrava uma tremenda diferença de todo o panteão divino da antiguidade. Os deuses não tinham planos. Nem propósitos e nem voz. Nada revelavam sobre o amanhã. As sacerdotisas, as pitonisas, as interpretes dos oráculos, as adivinhas, as necromantes e místicas de toda sorte não traziam mais que PRESSÁGIOS sobre um futuro próximo humano. O Pai manifestava um plano, movia uma nação a uma terra prometida, anunciava um reino eterno, levantava profetas que anunciavam JUSTIÇA! Não se ufana em aproximar-se, enquanto todo o restante do panteão divino mundial continuava mudo. A voz dos seus sacerdotes era sua voz. Mas uma voz sem alma. Porque da boca de Baal nunca adveio um futuro. Os deuses, quais retratos antigos, não manifestavam o novo. O inquietante, mágico, perene, pleno em desdobramentos.

É ele que declara, no Velho Testamento, não para os israelitas, mas para o mundo inteiro as palavras da profecia abaixo.

Em verdade,
toda a bota de guerreiro usada no combate
e toda a veste revolvida em sangue
serão queimadas,
como lenha no fogo.
Porque, um menino nos nasceu,
um filho nos foi concedido,
e o governo está sobre os seus ombros.
Ele será chamado Maravilhoso Conselheiro,
Deus Poderoso,
Pai Eterno;
e
Príncipe da paz.

Livro de Isaías. Capitulo nono.

Proclamava a vinda de um Messias! Nenhum povo jamais falara antes de um regente mundial, que inaugurasse um tempo de paz! Porque todos os reis da antiguidade reivindicavam para si o status de descendência divina!. Anunciar o reino de Deus futuro equivaleria a renunciar a VOCAÇÂO DIVINA imediata dos reinos da antiguidade, significaria RENUNCIAR a LEGITIMIDADE e o DIREITO ao trono, em qualquer lugar da TERRA!

Em qualquer civilização os soberanos careciam da legitimação de uma tradição qualquer que os unisse a uma vocação divina. Eram os deuses que estabeleciam as dinastias da antiguidade. O Deus de Israel anunciava uma dinastia NOVA. Global e universal. E INFINDA.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   ...   29


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal