Sigla: sci-cloud



Baixar 49.29 Kb.
Encontro14.10.2018
Tamanho49.29 Kb.




Subprojetos:

Subprojeto 1:

Sigla:

SCI-CLOUD

Título:

Cloud@UFSCar: Nuvem Computacional para eCiência da UFSCar

Objetivo:

Atualmente no mundo todo, cada vez mais os pesquisadores têm empregado a computação científica como uma ferramenta essencial para se fazer pesquisa. O termo eCiência (eScience) tem sido empregado para referenciar a maneira de se fazer ciência, com forte ênfase no uso de infra-estruturas computacionais. Na física de partículas, por exemplo, computadores com alto poder de processamento interligados por redes de alta velocidade têm sido amplamente utilizados para processar quantidades imensas de dados oriundos de grandes dispositivos como os aceleradores de partículas, e assim, responder questões fundamentais sobre a matéria. Na bioinformática, imensas quantidades de dados oriundos dos sequenciadores de DNA têm sido analisados com o auxílio da computação de alto desempenho. Na astronomia, o processamento de dados gerados por radiotelescópios têm ajudado a elaborar e responder questões de pesquisa em semanas, o que antes poderia levar anos. Avanços semelhantes são vistos em áreas como a epidemiologia, simulação de fenômenos sociais, estudos climáticos e ambientais, previsão meteorológica, prospecção de reservatórios de petróleo em águas profundas (como no pré-sal), entre outras. 
¦A presente proposta possui caráter Institucional e tem como objetivo aparelhar a infraestrutura de pesquisa da Universidade Federal de São Carlos através da implantação de uma Nuvem Computacional Científica (Cloud@UFSCar), para apoio às atividades de pesquisa. O objetivo principal é adquirir equipamentos de informática (servidores, discos, softwares e equipamentos de interconexão) necessários para a implantação de uma Nuvem Computacional que servirá a toda a comunidade de pesquisadores da UFSCar. Esta iniciativa irá criar melhores condições, que permitirão acelerar e potencializar a produção científica da UFSCar.
¦Atualmente, são poucos os Grupos de Pesquisa da UFSCar que possuem recursos computacionais próprios para as suas atividades de pesquisa, que envolvam o armazenamento e processamento de dados. Estima-se, que menos de 5% dos 421 Grupos de Pesquisa registrados no CNPq tenham meios para adquirir seus próprios equipamentos (servidores, clusters) para o processamento mais intenso de dados. Muitos pesquisadores que não dispõem de tais recursos recorrem a colaboradores externos em outras instituições, ou acabam esperando semanas, ou até meses, pelo uso de recursos em infraestrtuturas compartilhadas, como é o caso do Sistema Nacional de Processamento de Alto Desempenho (SINAPAD). Além da escassez de recursos para a compra dos equipamentos, existem enormes dificuldades em termos de infraestrutura física. Atualmente, mesmo quando um grupo de pesquisa que consegue recursos para comprar equipamentos, enfrentam dificuldades para encontrar espaço físico adequado para abrigar os equipamentos. Outro problema frequente é a necessidade de readequação da rede elétrica do prédio, que na maioria das vezes não foi originalmente dimensionada para comportar o aumento do consumo gerado pelos computadores. Há também a necessidade de nobreaks e geradores, para proteção dos equipamentos, encarecendo o custo da infraestrutura. Todas essas dificuldades podem ser mitigadas com a utilização daComputação em Nuvem, capaz de fornecer recursos compartilhados e sob demanda para os pesquisadores. 
¦A presente proposta tem por objetivo adquirir uma infraestrutura computacional que será instalada em umambiente apropriado e preparado para datacenter, reduzindo a necessidade de espaço físico e infraestrutura elétrica nos diversos prédios e Departamentos/Unidades da UFSCar. A infraestrutura a ser adquirida serácolocadaem modernas instalações de datacenter, na Secretaria de Informática da UFSCar, dotada de rede elétrica dimensionada e estabilizada, com nobreaks e geradores para proteção dos equipamentos, além de todo o ferramental de software para gerência dos equipamentos, que permitirão reduzir drasticamente o consumo de energia elétrica para alimentar os equipamentos. É sabido que o consumo da energia não se dá de forma proporcional à utilização dos equipamentos. Estima-se que a correta gerência dos equipamentos na Nuvem permitirá elevar melhorar a utilização dos equipamentos, reduzindo em até 75% o consumo de energia, desativando de forma automática os recursos que ociosos. Além disso, o uso de as instalações adequadas e de ar-condicionado digital de precisão permitirão reduzir drasticamente o consumo de energia gasta com a refrigeração dos equipamentos, seguindo os padrões mais modernos ecologicamente sustentáveis.
¦Outro problema grave vivenciado atualmente pelos grupos de pesquisa, é aenorme carência de recursos humanos devidamente capacitados para operar os equipamentos. Atualmente, os poucos grupos que possuem equipamentos próprios precisam alocar os já escassos recursos humanos em tarefas de gerência e configuração, muitas vezes deixando de atender a outras demandas importantes. Com a Cloud@UFSCar, será possível otimizar a gerência dos equipamentos, de modo que com poucos recursos humanos será possível gerenciar toda a infraestrutura computacional e manter a Nuvem operante. A UFSCar, através de sua Secretaria de Informática-SIn, irá disponibilizar os recursos humanos para gerenciar a nuvem, aliviando as atribuições que atualmente recaem sobre os escassos recursos humanos dos grupos de pesquisa, para que estes possam atender a outras demandas. 
¦Junte-se a esses problemas o da segurança dos dados e dos recursos utilizados pela Nuvem. No ambiente provido pela Secretaria de Informática pode-se contar com a segurança (física e lógica) do datacenter, que hospedará os dados e outros recursos computacionais que compõem a infraestrutura da Nuvem. 
¦Vale destacar, também, que o momento é bastante oportuno para a implantação da Cloud@UFSCar, aproveitando a recente atualização dos enlaces de dados que conectam o campus de São Carlos ao backbone da rede da RNP a 10 Gbps (gigabits por segundo), Sorocaba a 3 Gbps e Araras a 1 Gbps. 
¦A presente proposta tem como objetivo resolver todos esses problemas expostos, disponibilizando simplificada, e em questão de minutos, os recursos computacionaisdemandados por pesquisadores da UFSCar. A gerência centralizada de recursos permitirá ganhos de escala em termos de infraestrutura física (espaço físico apropriado para o datacenter, nobreaks, geradores, economia de energia elétrica) e também de recursos humanos. As tecnologias a serem empregadas irão promover, também, o uso sustentável e ecologicamente otimizado da infraestrutura computacional, permitindo que os recursos computacionais ociosos possam ser gradualmente desativados para evitar o desperdício de energia.
¦Assim, este subprojeto, de caráter institucional, prevê as seguintes ações necessárias para a implantação da Cloud@UFSCar:
"¦Aquisição de servidores dotados de processadores multicoree suporte à virtualização, para execução e provisionamento de máquinas virtuais destinadas à execução de aplicações científicas com alta demanda computacional;
"¦Aquisição de switches de alta velocidade e baixa latência para interconexão dos servidores;
"¦Aquisição de servidores de armazenamento de dados (storage) de forma confiável e com redundância;
"¦Aquisição de racks para acomodação dos equipamentos;
"¦Aquisição de software de gerência dos recursos físicos, com suporte à virtualização dos recursos, gerência centralizada e integrada;
"¦Nobreaks para proteção dos equipamentos;
"¦Grupo gerador a Diesel; e
"¦Serviços de terceiros para configuração e instalação e configuração do ferramental (software) de gerência da Nuvem.
¦Os recursos serão instalados fisicamente no datacenter da Secretaria de Informática da UFSCar e atenderá à demanda dos 46 programas de pós-graduação da UFSCar, que abrigam atualmente 1.462 alunos de doutorado, 1.792 alunos de mestrado e 258 alunos de mestrado profissional.  

Justificativa e Relevância:

O termo eCiência (eScience) tem sido empregado para referenciar a maneira de se fazer ciência, com forte ênfase no uso de infraestruturas computacionais. Computadores com alto poder de processamento e a Internet têm sido amplamente utilizados em diversas áreas, expandindo de forma ampla e rápida as fronteiras do conhecimento. Exemplos são vistos em áreas como a física de partículas, bioinformática, estudos ambientais (modelagem climática e de ecossistemas), química quântica, ciência e engenharia de materiais, na área da saúde, entre outras. 
¦Há mais de uma década, a computação de alto desempenho tem ganhado importância cada vez maior como parte integrante do ferramental básico de pesquisa nas Universidades e Centros de Pesquisa mais modernos do mundo. Entretanto, a situação verificada atualmente na UFSCar apresenta enormes dificuldades, mesmo entre os grupos de pesquisa já consolidados e possuem mais recursos. A seguir, enumeramos os principais problemas e deficiências enfrentados na UFSCar:
"¦Carência de recursos: dos 46 Programas de Pós-graduação, menos de 20% têm acesso a uma infra estrutura computacional voltada para a pesquisa. Se considerarmos os 421 grupos de pesquisa cadastrados no Diretório do CNPq, veremos que menos de 5% possuem acesso a recursos computacionais para armazenamento e processamento de dados científicos;
"¦Dificuldade para atualização: mesmo entre os grupos que possuem recursos, é muito difícil manter seus equipamentos atualizados e operacionais de forma contínua ao longo dos anos;
"¦Indisponibilidade dos recursos: nos poucos grupos de pesquisa que conseguem obter recursos para a aquisição dos equipamentos, frequentemente os equipamentospermanecem desligados por longos períodos, devido a problemas como:
o¦Falta de espaço físico adequado à instalação dos equipamentos;
o¦Rede elétrica do prédio inadequada ou não dimensionada corretamente para abrigar o aumento de carga causado pelos novos equipamentos;
o¦Falta de infraestrutura local, incluindo nobreaks e gerador para proteção dos equipamentos;
o¦Falta de mão-de-obra adequada e especializada para configurar e operar adequadamente os equipamentos;
o¦Falta de recursos para atualização do parque de equipamentos;
o¦Rede de dados para conexão com a Internet com baixa velocidade.
"¦Subdimensionamento/Superdimensionamento: Mesmo nos laboratórios que possuem recursos atualizados e operantes, estima-se que a utilização média dos recursos fique entre 5% e 15% (superdimensionamento), enquanto que outros precisam e não têm acesso. Além disso, nesses mesmos laboratórios, há períodos de ociosidade dos recursos intercalados com outros períodos nos quais a quantidade de recursos existentes é insuficiente (subdimensionamento);
"¦Faltam recursos humanos: além dos problemas de infraestrutura física, existe uma enorme carência de recursos humanos devidamente treinados e capacitados na utilização dos recursos computacionais para atividade científica.
¦Em resumo, iniciativas descoordenadas por parte de grupos de pesquisaatuando de forma isolada dificultam ou inviabilizam a mitigação dos problemas citados. A presente proposta tem por objetivo dar o primeiro passo na direção se de criar uma iniciativa coordenada e institucional no âmbito da UFSCar,com o objetivo de colocar a computação científica ao alcance de toda a sua comunidade de pesquisa.  

Impactos Previstos:

A UFSCar é uma universidade dinâmica e competente, com uma clara vocação para a pesquisa, evidenciada por vários indicadores que mostram o perfil do seu corpo docente e discente, bem como pela sua produção científica. A UFSCar possui 927 professores doutores (dados de dezembro de 2012), que corresponde a mais de 95% de seu corpo docente total (977). Esse dinamismo e competência podem ser atestados pelos elevados números de docentes doutores que são bolsistas de Produtividade a Pesquisa do CNPq (218), pelo número de grupos de pesquisa no Diretório do CNPq (421) e pelo número de publicações indexadas no ISI-Web of Science (846 em 2012). A UFSCar possui atualmente 46 programas de pós-graduação stricto sensu, com 1.792 alunos de mestrado, 1.462 alunos de doutorado e 258 alunos de mestrado profissional, atuando nos campi de São Carlos, Sorocaba e Araras, além de 765 alunos bolsistas de Iniciação Científica, com bolsas PIBIC, PIBITI, PIBIC-AF, FAPESP e CNPq (modalidade balcão). Estes números dão a dimensão da comunidade de pesquisa a ser beneficiada pela implantação da Nuvem Computacional para Suporta à Pesquisa na UFSCar (Cloud@UFSCar).
¦A força das atividades de pesquisa da UFSCar pode ser atestada por diversos indicadores, principalmente aqueles ligados à quantidade e relevância das publicações de seus pesquisadores, conforme atestam dados extraídos da base de dados Web of Science1, uma das mais reconhecidas fontes de informação sobre publicações científicas. 
¦O número de publicações científicas da UFSCar apresenta uma trajetória de crescimento nos últimos 12 anos, partindo de 400 publicações no ano de 2001 até atingir 846 publicações em 2012, totalizando 7.236 publicações no período, conforme a lista abaixo:
"¦Em 2001 foram 400 artigos
"¦Em 2002 foram 448 artigos
"¦Em 2003 foram 444 artigos
"¦Em 2004 foram 522 artigos
"¦Em 2005 foram 493 artigos
"¦Em 2006 foram 511 artigos
"¦Em 2007 foram 565 artigos
"¦Em 2008 foram 711 artigos
"¦Em 2009 foram 748 artigos
"¦Em 2010 foram 744 artigos
"¦Em 2011 foram 804 artigos
"¦Em 2012 foram 846 artigos
Obs.: Número de publicações da UFSCar indexadas na Web of Science, 2011-2012. Os dados foram extraídos em 18/01/2013.Os dados foram extraídos do Web of Science, sob as seguintes condições:
"¦Organização=(ufscar OR fd univ sao carlos OR fdn univ fed sao carlos OR fed univ sao carlos OR fundacao univ fed sao carlos OR san carlos fed univ OR sao carlos fed univ OR ufscar OR univ fed s carlos OR univ fed san carlos OR univ fed sao carlos OR univ fed so carlos OR univ fed soa carlos OR ufscar)
"¦Tipos de documentos=(Article OR Letter OR Note OR Review) 
"¦Bases de dados=SCI-EXPANDED, SSCI, A&HCI, CPCI-S, CPCI-SSH 
"¦PublicationYear=2001-2012
"¦Lemmatization=Off
¦Além de tudo o que foi exposto, a relevância das publicações da UFSCar para o avanço do conhecimento científico pode ser salientada pelo número de citações que essas publicações receberam de outras mais recentes. As 7.236 publicações da UFSCar desde 2001 receberam em conjunto 50.953 citações, o que resulta em uma média de 7 citações por publicação. O crescimento do número de publicações da UFSCar tem sido superior à média brasileira, nos últimos 4 anos, com taxa de crescimento média anual de 4,5% contra 3,6% do Brasil. Com a implantação da Nuvem Computacional da UFSCar, o crescimento da sua produção científica aumentará de forma ainda mais vigorosa.  

Qualificação das Pós-Graduações vinculadas ao subprojeto:

A UFSCar possui atualmente 1.462 alunos de Doutorado, 1.792 alunos de Mestrado, e 258 aluno de Mestrado Profissional, totalizando 3.512 alunos de Pós-Graduação (stricto sensu), distribuídos entre campi de São Carlos, Sorocaba e Araras.Atualmente (Março de 2013), a UFSCar possui 46 programas de Pós-Graduação reconhecidos, dos quais:
"¦02 Programas nível 7 (Ciência e Engenharia dos Materiais; Engenharia Química);
"¦03 Programas nível 6 (Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial); Fisioterapia; Química);
"¦10 Programas nível 5 (Ciências Fisiológicas; Ecologia e Recursos Naturais; Educação; Engenharia de Produção; Filosofia; Física; Genética Evolutiva e Biologia Molecular; Matemática; Psicologia; Sociologia);
"¦09 Programas nível 4 (Antropologia Social; Biotecnologia; Ciência da Computação; Ciência Politica; Ciências Ambientais; Estatística; Ciência, Tecnologia e Sociedade (doutorado); Estruturas e Construção Civil; Linguística; Química - Mestrado profissional);
"¦19 Programas nível 3 (Biotecnologia e Monitoramento Ambiental; Agricultura e Ambiente; Agroecologia e Desenvolvimento Rural; Ciência da Computação (Sorocaba); Ciência dos Materiais; Ciência, Tecnologia e Sociedade (Mestrado); Conservação da Fauna (Mestrado profissional); Diversidade Biológica e Conservação; Economia; Educação; Enfermagem; Engenharia de Produção (Sorocaba); Engenharia Urbana; Ensino de Ciências Exatas (Mestrado profissional); Estudos de Literatura; Imagem e Som; Terapia Ocupacional); Gestão da Clínica (Mestrado profissional); Gestão de organizações e sistemas públicos (Mestrado profissional)Mestrado Profissional em Educação; Sustentabilidade na Gestão Ambiental (Mestrado profissional); Terapia Ocupacional.  

Descrição das Obras e dos Principais Equipamentos:

Datacenter Modular Pré-Frabricado (Sala Cofre): O Data Center Modular Pré-Fabricado possui um compartimento com características especiais para proteção de equipamentos eletrônicos e mídias magnéticas contra fogo, água, umidade, gases corrosivos, campos magnéticos e radiações, roubo, vandalismo, arrombamento e acesso indevido. Trata-se de um conjunto equipado com um sistema de controle de acesso, infraestrutura completa de cabeamento, racks, nobreaks para proteção elétrica dos equipamentos, infraestrutura completa de climatização com ar-condicionado de precisão e sistema de detecção e combate a incêncio.

Grupo Gerador: Grupo gerador completo, composto por motor a diesel e gerador, com potência mínima de 150 kVA bem como dispositivos de controle e acionamento e operação do mesmo. Este equipamento é exigido para proteção elétrica dos equipamentos e manutenção do datacenter em caso de interrupção do fornecimento da energia elétrica. O produto deve ser entregue instalado e funcionando.

Equipamentos computacionais para implementação da nuvem: Será necessário adquirir um conjunto de equipamentos de informática, incluindo servidores de processamento, servidores de armazenamento, switches de comunicação de dados para interconexão dos servidores, com capacidade computacional suficiente para provisionar recursos para uma demanda que pode variar, tipicamente, de 100 a 500 usuários simultâneos.
Solução composta por no mínimo 20 servidores (com 320 núcleos de processamento) para instalação em rack ou chassis, atendendo aos seguintes requisitos mínimos:Todos os servidores deverão possuir no mínimo 2 processadores de 8 núcleos, 64 GB de memória, 01 (um) disco local de 300 GB (giga bytes), interface de conexão de 10 Gbits/s. Destes, no mínimo 8 (oito) servidores deverão ter memória adicional de 128 GB. No mínimo 02 (dois) servidores deverão ter memória de 512 GB ou mais, para alocação de instâncias (máquinas virtuais) de maior porte. Um servidor deverá ter memória principal de 1 TB (terabyte) e 4 processaodres de 8 (oito) núcleos. No caso de solução baseada em chassis, este deverá ser parte integrante da solução. A solução deverá contemplar também um servidor de storage com capacidade mínima de 100 TB (terabytes), com discos de diferentes velocidades (ex: SSD, SAS ou SATA), fontes redundantes e interconexão rápida de no mínimo 10 Gbits/s com os servidores.A solução deve contemplar, também, serviços de garantia e suporte técnico por um período mínimo de um ano.

Software de virtualização dos servidores e storage: Software necessário para que os equipamentos (servidores e storage) operem de forma virtualizada no datacenter, sendo responsável pela virtualização dos recursos (processador, memória, espaço de armazenamento). Este item é composto por licenças do software a ser instalado nos servidores de processamento e de armazenamento, bem como de um console de gerenciamento centralizado. A solução deve prover suporte a funcionalidades como migração de instâncias, alta disponibilidade balanceamento de carga e consolidação de recursos (para economia de energia). Este item é fundamental e imprescindível para a implementação da nuvem. 

Serviços Especializados de Importação: Está prevista a importação direta de equipamentos computacionais, de modo que será serão gerados custos com transporte, seguro, despachante aduaneiro, bem como pagamento de taxas de importação. O valor está estimado em 20% (vinte por cento) do valor total das importações. 

Não estou certo se este item abaixo precisava justificar, por favor avalie se é necessário.


Serviços de Terceiros: A implantação da nuvem exige a instalação e configuração de software específico para a gerência do ambiente de nuvem, incluindo o gerenciamento de contas de usuários, implementação das políticas de alocação e utilização dos recursos, configurações de segurança e contabilidade do uso de recursos. Trata-se de mão-de-obra altamente especializada, que normalmente não está disponível na universidade. Por esse motivo está prevista a contratação de tais serviços especializados, bem como treinamento aos funcionários envolvidos na gerência da nuvem.

Despesas Operacionais e Administrativas (3%): Este item inclui taxas administrativas, bem como despesas operacionais necessárias à execução do sub-projeto. Isto ficará a cargo da Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - FAI.UFSCar.  



Subprojeto 2:

Sigla:

GERES

Título:

Consolidação da Estrutura para o Gerenciamento de Resíduos Potencialmente Perigosos Gerados pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)

Objetivo:

A presente proposta visa à aquisição de equipamentos e instalação de estrutura física para o armazenamento e tratamento de resíduos potencialmente perigosos decorrentes de atividades de pesquisa, ensino e extensão nos laboratórios da UFSCar, em seus campi de São Carlos, Araras e Sorocaba. Buscamos sanar as deficiências no armazenamento inadequado destes resíduos, bem como, reestruturar, modernizar e aperfeiçoar o sistema de gerenciamento de resíduos químicos e radioativos na Universidade, objetivando atender a demanda de pesquisadores cujos projetos de pesquisa têm como parte final o tratamento, reutilização ou destinação adequada e responsável dos resíduos gerados. Além disso, com instalações adequadas objetiva-se agregar pesquisadores com linhas de pesquisa voltadas à inovação tecnológica aplicada ao gerenciamento de resíduos, buscando, através de projetos de pesquisa conjuntos, aperfeiçoar tecnologias para o tratamento e reaproveitamento de resíduos perigosos, que possam contribuir para a sustentabilidade, subsidiando inclusive a proposição de políticas públicas que visem melhoria da qualidade ambiental.
A estrutura atual, de equipamentos, existente na UGR, não permite o acompanhamento do processo de tratamento e recuperação dos solventes orgânicos, não sendo possível analisar a composição dos solventes anterior e posteriormente ao tratamento. Atualmente a UGR possui apenas um equipamento para analise de compostos orgânicos, no entanto, não há como identificar a composição correta das misturas e quantificar água presente. Além disso, é possível tratar e recuperar parte desses resíduos no campus de São Carlos. Hoje, 100% da estrutura existente está sendo utilizada com a atual demanda dos três campi. Não há estrutura adequada para atender o crescente aumento no número de pesquisas científicas que geram resíduos potencialmente perigosos na universidade. Nesse sentido, é fundamental que a UGR seja ampliada e modernizada para que suas atividades sejam desenvolvidas de forma rápida e eficiente, sendo capaz de recuperar uma porção considerável de reagentes em solução, de modo que os mesmos possam ser reaproveitados nos próprios laboratórios da universidade. A compra de equipamentos permitirá uma caracterização mais precisa das soluções encaminhadas à Unidade, bem como um pré-tratamentos que possibilitarão a recuperação de uma quantidade maior de reagentes e a otimização do processo como um todo. Além disso, a modernização dos equipamentos da UGR possibilitará maior interação com os grupos de pesquisa da UFSCar através de trabalhos conjuntos, possibilitando o recebimento de alunos de graduação e pós-graduação, além do treinamento de docentes e técnicos.  

Justificativa e Relevância:

A pesquisa científica é fundamental para o desenvolvimento do Brasil. No entanto,frente ao atual cenário mundial, onde as preocupações com a preservação do meio ambiente são cada vez maiores em virtude de toda a sorte de agressões ambientais que o planeta vem sofrendo, essas pesquisas devem ter um alto grau de sustentabilidade. A UFSCar tem demonstrado, ao longo dos anos, grande preocupação e compromisso com o ambiente,norteando-se pela busca da sustentabilidade. A universidade foi pioneira na criação de uma Coordenadoria Especial para o Meio Ambiente (CEMA) que busca minimizar os impactos ambientais das atividades desenvolvidas em seus campi através de ações como a manutenção das áreas verdes, educação ambiental para o público interno e externo, economia de água e energia elétrica, coleta seletiva, bem como coleta e tratamento de resíduos químicos oriundos dos laboratórios de ensino e pesquisa. A intensa atividade acadêmica dos campi da UFSCar promove a geração de grande quantidade de resíduos, alguns enquadrados na categoria "Resíduos Perigosos",cuja disposição final precisa ser equacionada de maneira adequada e responsável.A Unidade de Gestão de Resíduos (UGR), ligada à CEMA,desempenha papel de fundamental importância na implantação de mecanismos que permitam a recuperação e o completo reaproveitamento dessas substâncias químicas na universidade,de forma a reduzir o impacto ambiental destes resíduos.O programa é de grande relevância, pois preconiza uma formação consciente e atenta aos problemas ambientais por parte dos alunos,futuros atuantes em instituições de ensino e pesquisa, indústrias e outros setores produtivos. O interesse pelo desenvolvimento de estudos e pesquisas envolvendo o manejo,tratamento e disposição final adequados de resíduos visa a redução do impacto do seu descarte no meio ambiente. Assim, todas as atividades que geram resíduos potencialmente perigosos necessitam estabelecer estratégias para a sua gestão ambientalmente correta, associado a componente da educação integrando aspectos ambientais, tendo como benefícios da redução dos resíduos tóxicos e do maior aproveitamento dos reagentes/substâncias e de um menor consumo de energia.A UGR atende diretamente aos diversos departamentos da UFSCar, em seus campi de São Carlos,Araras e Sorocaba,em relação a todos os resíduos perigosos gerados na Universidade,sejam estes provenientes das atividades de ensino, pesquisa ou extensão. No campus de São Carlos, são coletados semestralmente, uma média de 6 toneladas de resíduos perigosos, destes 2,5 toneladas são tratadas na própria universidade e 3,5 toneladas não tratáveis são encaminhadas para empresas especializadas na destinação final desses resíduos.Os campi de Araras e Sorocaba produzem aproximadamente 4 toneladas de resíduos perigosos por semestres, todos não tratáveis e que também recebem disposição externa. O campus São Carlos possui deposito para armazenamento adequando,no entanto, este encontra-se com 95% da sua capacidade já utilizada, os demais campi não possuem espaço adequado,para armazenamento de resíduos químicos,ficando armazenado, dentro dos laboratórios de ensino, grandes quantidades oferecendo um elevado rico de acidente. Assim, estamos solicitando recursos para a contratação dos serviços de uma empresa para a destinação adequada de resíduos químicos perigosos - Classe I,envolvendo todas as etapas de manejo:carregamento,transporte,processamento e destino final.Para contribuir com o mencionado programa de gestão dos resíduos, tornando-o mais eficaz,foi formado o Grupo Integrado de Estudos e Pesquisas em Resíduos (GIEPRes), que congrega Técnicos da UGR e Docentes e Alunos de Graduação e Pós-Graduação de diversos departamentos acadêmicos da Universidade,especialmente Engenharia Civil e Engenharia Química.Este grupo tem desenvolvido inúmeros trabalhos interdisciplinares, incluindo pesquisas de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana da UFSCar - PPGEU) e de Iniciação Científica, que vêm auxiliando na solução de vários problemas e também produzindo conhecimento sobre resíduos diversos.A equipe da UGR é composta por profissionais de excelente titulação e competência técnica, sendo atualmente coordenada por duas doutoras, uma doutora em Ciências (área de Eletroquímica) que coordenada o Programa de Gestão de Resíduos, e outra em Biologia (área Ecologia) pela "University of Reading", Reino Unido, que coordena o Programa de Educação Ambiental.O correto manejo de resíduos potencialmente perigosos depende fundamentalmente do desenvolvimento de uma consciência ética com relação ao uso e descarte, visando à prevenção da poluição através da redução, reaproveitamento e recuperação de materiais.No entanto, a atual insuficiência de infraestrutura da UGR não possibilita o tratamento adequado de todos os resíduos gerados na universidade, sendo que,na maioria dos casos,a destinação mais utilizada é a incineração, que além de ser ineficaz,em alguns casos também gera impacto ambiental pela disseminação dos produtos de combustão.A atual proposta de adequações e modernização dos equipamentos e instalação de depósitos para armazenamento nos campi de Araras e Sorocaba, o que permitirá o manejo eficiente e a disposição adequada de substâncias potencialmente perigosas e, principalmente,seu tratamento e recuperação para reutilização nos laboratórios geradores.Além do ganho ambiental,isso geraria uma grande economia de recursos públicos.O aumento da eficiência da unidade também garantiria sua adequação ao crescente aumento da produção de resíduos químicos em decorrência do projeto de expansão da Universidade, além da possibilidade de atender outros setores da sociedade.Concomitantemente, considerando o seu papel de geradora de conhecimento e formadora de opiniões, a UFSCar deve buscar gerir seus resíduos de acordo com o pensamento ambiental contemporâneo.A implementação de um programa de gerenciamento de resíduos, principalmente dos resíduos químicos é de essencial importância para a UFSCar e para qualquer universidade, pois, como centro de produção de novas tecnologias, conhecimento e formação de cidadãos, é de certa maneira contraditória que a própria universidade não dê uma disposição adequada a seus resíduos perigosos, mas que sirva de exemplo e referência neste aspecto.Uma das metas do UGR é o desenvolvimento de pesquisas científicas visando gerar metodologias para o tratamento e recuperação das diversas misturas provenientes dos laboratórios de ensino, pesquisa e extensão da UFSCar,além de pesquisas em educação ambiental sobre a temática da gestão de resíduos especiais.Tais pesquisas estão, em sua maioria, fortemente vinculadas à disponibilidade de laboratórios de pesquisa na unidade.Além disso,diversos Programas de Pós-Graduação da UFSCar se beneficiariam da estrutura da UGR,não só através da possibilidade de desenvolvimento de dissertações e teses na temática dos resíduos, mas também pelo envolvimento da equipe da UGR nesses cursos, ministrando disciplinas sobre segurança e adequado manejo de resíduos químicos. Dentro da proposta é atendido o curso de pós-graduação em química,mas esse atendimento será ampliado para alunos de pós-graduação em Engenharia Química e Engenharia de Materiais.Os Programas de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais (PPG-ERN),Fisiologia e Biotecnologia também poderão ser beneficiados,uma vez que podem ser desenvolvidos trabalhos que envolvam a exposição de organismos vivos aos resíduos tratados para avaliação da eficiência dos tratamentos e da segurança do descarte dos produtos em ecossistemas naturais;ou pesquisas que envolvam certos organismos,tais como bactérias ou plantas aquáticas,por exemplo,na degradação de resíduos perigosos.Atualmente já existe parceria da UGR com pesquisadores credenciados no PPG-ERN para o desenvolvimento de pesquisas conjuntas na área de ecotoxicologia com microcrustáceos de água doce.A ampliação da capacidade da UGR também beneficiará os grupos de pesquisa da UFSCar  

Impactos Previstos:

A presente proposta envolve pesquisadores com doutorado de diversos departamentos da UFSCar, dos quais vários deles possuem bolsa de produtividade do CNPq, envolvendo diversas áreas do conhecimento, todos eles comprometidos direta ou indiretamente com pesquisas relacionadas a resíduos perigosos e qualidade ambiental. Além disso, a maior parte deles possui histórico de parcerias com diversos departamentos da UFSCar, com outras instituições nacionais, estrangeiras e empresas. 
Um importante indicador voltado à área ambiental desta proposta, em termos de sua influência nos níveis de qualidade da água, ar e solos e da preservação de recursos naturais não renováveis envolve a aplicação de técnicas alternativas para o tratamento e reuso de substâncias químicas, é um importante instrumento para orientar os estudantes nas universidades a participarem ativamente na elaboração um futuro sustentável. O sistema permite a reciclagem e o reuso da água e cria uma oportunidade para combinar redução de custos, melhoria de gerenciamento e uso racional de recursos naturais e a conservação da água. 
O projeto vem contribuir para a ampliação da base de conhecimento sobre resíduos perigosos em universidades. Suportados pela interação multidisciplinar de sua equipe, a UGR, irá disponibilizar, em artigos e eventos científicos, informações científicas e resultados sobre gestão e tecnologias de tratamento de resíduos, os quais poderão subsidiar tomadas de decisão nas políticas públicas que visem à melhoria da qualidade ambiental. Além disso, teremos a formação de recursos humanos através da capacitação direta da equipe atuante na UGR e do treinamento dos usuários do sistema, professores, pesquisadores, alunos de graduação e pós graduação, funcionários, etc., propiciando o treinamento técnico para pesquisas que utilizam e manipulam substâncias químicas potencialmente perigosas.
Outro impacto é o econômico. Deverá haver uma redução dos gastos atuais com incineração de resíduos em conseqüência do aprimoramento das pesquisas voltadas ao tratamento e a recuperação/reuso de resíduos perigosos, uma vez que os valores cobrados são calculados pela quantidade de volume a ser incinerado. Além disso, haverá uma consequente redução dos gastos com a compra de reagente/solventes, com o transporte e nos processos de ampliação de uma pequena escala de tratamento para uma escala de planta piloto, onde a quantidade de resíduos tratada é muito maior. O reaproveitamento possibilita o intercâmbio interno dos resíduos tratados através do processo de destilação para reciclar solventes usados. Os resíduos recuperados podem não somente ser sucessivamente reutilizados no mesmo processo em que foram gerados, como também podem se transformar em matéria-prima para outros processos. Assim, o interesse pelo desenvolvimento e implantação de um sistema de destilação/recuperação de solventes orgânicos também está associado a aspectos ambientais. Visa à redução do impacto ambiental causado com a incineração, havendo possibilidade de geração de subprodutos durante a queima, ou do descarte de efluentes contaminados nos corpos receptores.
Um importante indicador voltado à área ambiental desta proposta, em termos de sua influência nos níveis de qualidade da água, ar e solos e da preservação de recursos naturais não renováveis envolve o reaproveitamento de reagentes vencidos ou em desuso e a reciclagem de solventes usados, recuperados através do processo de destilação, com o desenvolvimento de um banco de reagentes que possibilita o intercâmbio interno. O sistema permite a reciclagem e o reuso da água e cria uma oportunidade para combinar redução de custos, melhoria de gerenciamento e uso racional de recursos naturais e a conservação da água. 
O correto gerenciamento dos resíduos possibilita proteção do meio ambiente e da saúde humana, evitando o acúmulo de resíduos químicos resultantes de pesquisas, estocados de forma inadequada, causando possíveis riscos de contaminação do meio ambiente. Há a necessidade de um especial cuidado para o manejo destes resíduos. Embora tenhamos em mente que a quantidade de resíduos potencialmente perigosos gerados pelas Instituições de Ensino e Pesquisa são muito menores quando comparadas àqueles gerados por indústrias, cabe à Universidade dar o bom exemplo, tanto para a comunidade em geral, como para os seus estudantes, de quem é responsável pela formação. Neste cenário e com o conhecimento materializado em ações, acreditamos que seja possível intervir de forma consciente e criativa na redução dos problemas ambientais.
Além disso, a implantação de um sistema para gestão de materiais e resíduos, bem como um software de gestão de resíduos e um manual de procedimentos operacionais para os todas as atividades de manejo o qual deverá auxiliar na gestão dos laboratórios de pesquisa.
Deverá haver também uma redução dos custos de manejo e destinação dos resíduos pela economia de escala ao se centralizar o processo.
Um impacto importante é a minimização dos riscos à saúde dos pesquisadores, alunos e servidores que utilizam os laboratórios que geram resíduos perigosos e armazenam de forma inadequada.
Mais especificamente, dentre os resultados esperados com a modernização da UGR, que causarão um impacto positivo nas pesquisas da UFSCar, podem ser citados:
1.¦o aumento da capacidade de recuperação de resíduos químicos, visando o reuso nos laboratórios da UFSCar;
2.¦a criação de uma equipe especializada no treinamento dos pesquisadores, técnicos e alunos nas boas práticas de laboratório; 
3.¦o desenvolvimento de material de educação ambiental para utilização nos laboratórios geradores de resíduos visando à recuperação e destinação correta de resíduos e o consumo consciente;
4.¦a disseminação da cultura da redução, reciclagem e reutilização dos resíduos tratados;
5.¦o diagnóstico da quantidade e características físico-químicas dos resíduos perigosos gerados mensalmente pelos laboratórios da UFSCar visando à implementação de ações corretivas e/ou de melhoria para uma destinação segura e ambientalmente correta dos resíduos químicos gerados;
6.¦desenvolvimento de procedimentos para o tratamento de resíduos específicos, tornando-os passíveis de descarte no meio ambiente;
7. ¦estudo das características dos resíduos laboratoriais dos campi de Araras e de Sorocaba, bem como diagnóstico dos sistemas atuais de manejo;
8.¦a otimização do funcionamento da coluna de destilação da UGR para recuperar solventes orgânicos, substâncias que se não forem tratadas adequadamente podem provocar danos à saúde e ao ambiente;
9.¦a diminuição dos custos energéticos da coluna de destilação através da construção de um equipamento de destilação flash, com uso de fontes alternativas de energia (aquecedor solar para pré-aquecer os solventes);
10.¦a economia de recursos utilizados para incineração dos resíduos tóxicos, com maior aproveitamento dos reagentes/substâncias e um menor consumo de energia;
11.¦avaliação da composição do destilado através de cromatógrafo a gás, acoplado com Detector de Condutividade Térmica (CG-TCD) e Karl Fischer;
12.¦a recuperação e reutilização dos constituintes do resíduo que permitem a redução do consumo de matérias-primas, energia e água;
13.¦implantação de local de armazenagem adequado para resíduos perigosos, de acordo com as normas brasileiras;
14.¦melhoria nas condições de trabalho e segurança nos laboratórios que trabalham com materiais perigosos e geram resíduos perigosos;
15.¦estabelecimento e consolidação da linha de pesquisa multidisciplinar na área de caracterização, segregação, estocagem, minimização, tratabilidade e disposição de resíduos, com ênfase em resíduos de universidades;
16.¦desenvolvimento de protocolos e procedimentos para a recuperação de solventes orgânicos gerados em laboratórios da UFSCar;
17.¦produção de conhecimento sobre resíduos perigosos de universidades e educação ambiental para gestão desses resíduos.  

Qualificação das Pós-Graduações vinculadas ao subprojeto:

Programa de Pós-graduação em Química (PPGQ) - Qualificação do curso pelo critério CAPES - 6
- Programas de Pós-graduação em Engenharia Química
- Programas de Pós-graduação em Engenharia de Materiais
- Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana da UFSCar (PPGEU)
- Programa de Pós-graduação em Ecologia e Recursos Naturais (PPGERN) - Qualificação do curso pelo critério CAPES - 5
- Programa de Pós-graduação em Biotecnologia (PPGBIOTEC) - Qualificação do curso pelo critério CAPES¦- 4  

Descrição das Obras e dos Principais Equipamentos:

Considerando-se o panorama descrito, essa proposta visa à aquisição de equipamentos e instalação de uma estrutura física adequada para armazenamento e tratamento de resíduos perigosos, adequando assim a UGR às necessidades da UFSCar, tendo como benefícios da redução dos resíduos tóxicos e do maior aproveitamento dos reagentes/substâncias e de um menor consumo de energia.Para a melhor adequação, em termos de beneficiar os projetos de pesquisa, ensino e extensão, destinada à construção de uma infraestrutura que permitirá o armazenamento e o gerenciamento de resíduos, se faz necessária a existência das seguintes áreas: armazenamento de resíduos químicos; armazenamento de lâmpadas fluorescentes; área para neutralização de resíduos; armazenamento de material reciclável e área para o tratamento e recuperação de resíduos. A construção deste Laboratório de Gerenciamento de Resíduos Potencialmente Perigosos visa promover o manejo ambientalmente adequado dos materiais utilizados e minimização dos resíduos gerados no campus Araras e Sorocaba, com a prevenção da poluição ambiental atendendo a toda comunidade. Esta área será utilizada de forma integrada, atendendo a perspectiva de Educação Ambiental e controle de resíduos, dando suporte aos projetos de pesquisa multidisciplinares.
OBRA:Construção do Laboratório de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Líquidos do campus de Araras com 124,8 m2;R$ 208.044,38.
Espaço multidisciplinar destinado às análises químicas, tratamento/recuperação de efluentes químicos,com área de 87,60 m2, e entreposto para armazenamento de resíduos e reagentes químicos sólidos e líquidos, área 37,20 m2: O abrigo exclusivo para substâncias perigosas, será construído dentro dos padrões internacionais de segurança para armazenar solventes inflamáveis, com: piso vazado confeccionado em placas de concreto vazadas permite, no caso de derramamentos acidentais, o escoamento do resíduo por uma canaleta em forma de U ligada a um reservatório, o telhado anti-explosão, o sistema de exaustão e ventilação é mantida por elementos vazados junto ao teto, equipamentos de proteção coletiva como lavador de olhos e chuveiro de emergência, e ausência de instalações elétricas para evitar possíveis explosões, em decorrência da formação de vapores. Seguindo a norma da ABNT a NBR 12235/88 - Armazenamento de Resíduos Sólidos Perigosos - Procedimento.
OBRA:Construção do Laboratório de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Líquidos do campus de Sorocaba,com 124,8 m2;R$208.044,38
A construção seguirá os mesmos padrões definidos anteriormente para o campus Araras. 
EQUIPAMENTOS NACIONAlS: 01 Equipamento Evaporador Rotativo processo industrial;R$154.321,00.
Recebemos mensalmente na Unidade de Gestão de Resíduos da UFSCar, uma média de 1,5 toneladas de resíduos químicos, na sua maioria (92%) misturas de solventes orgânicos, as soluções encontradas e as técnicas aplicadas para recuperação/reutilização de resíduos estão associadas a uma componente econômica, evitando-se o gasto com a incineração destes resíduos tóxicos e o maior aproveitamento dos reagentes/substâncias e um menor consumo de energia, para tal foi instalada, na UGR, uma planta piloto, com capacidade de destilação de 300 litros/hora, para separação destas misturas solventes orgânicos, no entanto, dada à composição das misturas torna-se necessário uma separação previa para ajuste de carga. Dentro desta perspectiva, esta sendo solicitado um equipamento Rotaevaporador será utilizado para escala semi industrial, o qual possui capacidade para recuperar volumes de 20 litros das misturas de solventes, operando em pressão atmosférica ou sob vácuo de 5 mmHg, com esse nível de vácuo a evaporação ocorre em tempos menores, requer uma menor temperatura no banho o que resulta em economia de energia elétrica, e permite a separação de misturas de substâncias com pontos de ebulição muito próximos.
EQUIPAMENTOS NACIONAlS:Equipamento de Cromatografia Gasosa com Detector de Condutividade Térmica (GC/TCD);R$110.537,00.
Os resíduos laboratoriais possuem natureza altamente diversificada,portanto são requeridos vários métodos para tratamento/recuperação. A UFSCar desenvolveu uma planta piloto de destilação para recuperar e reaproveitar solventes orgânicos reduzindo os gastos com incineração e compra de reagentes químicos. Esse equipamento é de elevada importância para determinação qualitativa e quantitativa dos compostos voláteis,e não há nenhum na UFSCar,sua aplicação é essencial para o acompanhamento do processo de tratamento e recuperação dos solventes orgânicos, durante todas as etapas do processo de destilação. Sua aquisição permitirá a avaliação da composição do destilado, tais análises servirão de guia durante o processo, indicando a quantidade de produto obtida e o seu grau de pureza. 
EQUIPAMENTOS NACIONAlS:Analisador de Carbono Orgânico Total (COT),modelo TOC-LCPH,alta sensibilidade;R$163.114,00.
Em função de grande parte das atuais tecnologias de tratamento de resíduos contendo organoclorados mostrarem-se ineficiente na completa degradação destes compostos torna-se evidente a necessidade de desenvolver e aplicar tecnologias alternativas. Será construído um fotoreator, com o uso de energia solar para degradação de compostos orgânicos tóxicos. Será utilizado o princípio dos processos de oxidativos e fotocatalítico, possibilitando a degradação de contaminantes. Para monitorar o processo de degradação de resíduos e o desempenho do fotoreator torna-se necessário adquirir um equipamento que determina a concentração de carbono orgânico total (COT).Esse equipamento destina-se a determinação rápida e precisa do teor de matéria orgânica na grande maioria dos contaminantes por quantificação da matéria orgânica dos compostos orgânicos individuais.
EQUIPAMENTOS NACIONAlS:Sistema de destilação e separação por tambor flash;R$145.000,00.
Os resíduos gerados em laboratórios apresentam uma grande composição de mistura, segregação incorreta pelos geradores, assim para obter a recuperação dos solventes torna-se necessário um tratamento prévio, evitando alimentar a coluna com uma carga muito complexa, que será feito por um sistema de tambores "flash" obtendo pré concentração de cargas. Esse equipamento permitirá a diminuição dos custos energéticos da coluna de destilação, os resíduos deverão passar por ele obtendo uma previa separação, o aumento da capacidade de recuperação de resíduos químicos, visando retorno econômico através do reuso nos laboratórios da UFSCar.Esse sistema é construído em chapas de aço inoxidável AISI-304, com tampo e fundo abaulados,dotado de visores tipo luneta para visualização do processo e conexões de interligação devidamente orientadas, válvulas, tambores, bombas e redutores de pressão, de forma que ao passar por um pequeno orifício, o líquido a aquecido e sob pressão, permita a expansão deste. 
EQUIPAMENTOS NACIONAlS:Veículos de carga,com características específicas, para o transporte de produtos perigosos.;R$76.110,00.
O transporte de resíduos potencialmente perigosos,que possam oferecer, quando em transporte, riscos a segurança pública, saúde de pessoas e meio ambiente, de acordo com os critérios de classificação da ONU,publicados através da Portaria nº 204/97 do Ministério dos Transportes, requer maior cuidado. Assim, esta sendo solicitado um veículos de carga, com características específicas para acomodar a carga e o condutor com maior segurança. Será um veículo, tipo furgão, tração dianteira, com porta lateral corrediça e porta traseira. Com capacidade 1,6 ton, divisória com vedação entre o compartimento de carga e a cabine (vedado com KPO ou bate pedra). Vedação esta necessária para evitar a passagem de vapor tóxico para a cabine. 
PJ: projeto executivo da construção do Laboratório de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Líquidos do campus de Araras: R$10.402,22
PJ: projeto executivo da construção do Laboratório de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Líquidos do campus de Sorocaba: R$ 10.402,22  

Subprojeto 3:

Sigla:

CAMPICECAN

Título:

CAMPI Consolidação do Centro de Caracterização e Análises Ambientais

Objetivo:

Este subprojeto será desenvolvido no Centro de Ciências Agrárias (CCA - Campus Araras) da Universidade Federal de São Carlos(UFSCar), criado em 1991 com a incorporação pela UFSCar dos extintos Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA) e da unidade paulista do Planalsucar. O curso de graduação em Engenharia Agronômica foi o primeiro a ser implantado no CCA, em 1993. Com base na tradicional e crescente aptidão para a pesquisa em Biotecnologia apresentada pelo CCA e na demanda do mercado, o curso de Bacharelado em Biotecnologia do CCA foi criado em 2006. No mesmo ano, o primeiro Programa de Pós-Graduação, com Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural (PPGADR), foi instituído. Desde então, o CCA passou a experimentar uma acelerada e crescente necessidade de ampliação de sua infraestrutura de pesquisa. A adesão da UFSCar ao Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI) em 2009 conduziu o CCA a implantar mais quatro cursos de graduação: Bacharelado em Agroecologia e Licenciaturas em Ciências Biológicas, Física e Química. Neste período o quadro de docentes pesquisadores foi ampliado de 41 para 81. A expansão teve como consequência positiva o aumento do número de grupos e de linhas de pesquisa e a intensificação do caráter multi/interdisciplinar do CCA, tornando evidente a necessidade de maior infraestrutura tanto em laboratórios quanto em equipamentos. O aumento do número de docentes lotados no CCA também permitiu a criação do Programa de Pós-Graduação em Agricultura e Ambiente (PPGAA), aprovado pela Capes em 2009que integra docentes de diversas áreas de concentração (Agronomia, Biologia, química e Física).A grande competência dessa instituição no desenvolvimento e manejo de biossistemas agrícolas aliado ao interesse comum em buscar novos conhecimentos sobre a eficiência da exploração agrícola com sustentabilidade na utilização dos recursos naturais é essencial dentro deste contexto.
O objetivo principal deste subprojeto é a consolidação de um Centro de Caracterização e Análises Ambientais multiusuário dentro do Campus. A possibilidade de ampliar a capacidade analítica dentro de uma instituição acadêmica forte e respeitada, referência nacional e internacional na cultura de cana-de-açúcar, motiva a ampliação de pesquisas com objetivo de desenvolvimento e inovação científica dentro da área de agricultura e ambiente. Além disso, o atual apelo de inserir o contexto ambiental na formação de profissionais da engenharia agronômica, a ênfase ambiental que constitui a grade curricular do curso de Bacharelado em Biotecnologia, o escopo dos dois Programas de Pós-graduação do CCA (PPGAA e PPGADR) e a importância das Ciências Biológicas e da Química em oferecer o embasamento dos princípios ambientais, constituem sólidas razões para que a proposta tenha como objetivos principais:
"¦Ampliar e inovar a estrutura de pesquisa visando atender o aumento da qualidade de formação de recursos humanos, em nível de pós-graduação nos Programas "stricto sensu" do CCA e em nível de iniciação científica, e o fortalecimento das propostas de criação de novos Programas de Pós-Graduação e da modalidade de doutorado nos Programas em andamento;
"¦Integrar os pesquisadores e as diferentes áreas (Ciências Agrárias e Ambientais, Biotecnologia, Biologia,Química e Física) com as respectivas linhas de pesquisa, fomentando a vocação para estudos ambientais do CCA; 
"¦Adquirir um conjunto de equipamentos que atenda propósitos convergentes dos pesquisadores do CCA;
"¦Centralizar a rotina de análises científicas de forma a:otimizar o uso de equipamentos e de suprimentos; centralizar o gerenciamento e a organização de uso de equipamentos; ter o acompanhamento de profissionais especializados nos princípios, na calibração e na exploração do potencial de uso dos equipamentos;
"¦Garantir a autonomia de pesquisa do CCA, reduzindo limitações trazidas pela ausência de recursos que obriga a busca da tecnologia em outras instituições de pesquisa;
"¦Ampliar o parque de equipamentos do CCA para propiciar condições de estabelecer parcerias com instituições de pesquisa nacionais e internacionais, inclusive os intercâmbios;
O espaço físico destinado a abrigar esse projeto já contém outros equipamentos existentes no CCA: análise microbiológica Colilerte, fotômetro de chama, oxigênio dissolvido, demanda bioquímica de oxigênio, demanda química de oxigênio, forno de microondas, pHmetros, condutivímetro, capelas, fornecimento de água milli-Q, estufas, banhos de ultrassom, banhos ultratermostáticos, balanças analíticas e semi-analíticas, HPLC, Espectrofotometria de Absorção Atômica, dentre outros, os quais entrarão como contra partida nesse subprojeto.Estes equipamentos, somados aos solicitados nesta proposta permitirão a implantação de uma "facility" denominadaCentro de Caracterização e Análises Ambientais multiusuário, atendendo todas as linhas de pesquisa do PPGAA e PPGADR, bem como outras várias linhas de pesquisa do CCA que ainda não estão inseridas em Programas de Pós-Graduação do CCA  

Justificativa e Relevância:

O corpo de docentes-pesquisadores recentemente contratados, e que constitui importantes grupos emergentes de pesquisa do CCA, possui perfil profissional que não somente manteve, mas também ampliou a vocação do campus, fundamentada na busca de inovação tecnológica e no compromisso de atender aos conceitos de desenvolvimento sustentável e de proteção ambiental. O novo cenário expandiu as aptidões do CCA com grupos e linhas de pesquisasramificadas em várias subáreas e especialidades das áreas das Ciências Agrárias, Biológicas, Ambientais e Exatascom propósitos muito convergentes aos setores de atividade que visam produtos e serviços voltados para a defesa e proteção do meio ambiente, incluindo o desenvolvimento sustentável.Esta peculiaridade constitui o eixo da proposta de criação do Centro de Caracterizaçãoe Análise Ambiental, ou seja, um local com infraestrutura adequadapara o aprimoramento, autonomia e fortalecimento de pesquisa de docentes e de alunos de graduação e de pós-graduação, com equipamentos de forte característica multiusuária e inexistentes no CCA (ICP-OES, DRX, RMN, Citômetro de fluxo, Eletroforese de capilaridade e FTIR), escolhidos para atender o maior número possível de grupos e de linhas de pesquisa.Mais de 80% dos grupos de pesquisa do CCA, ativos no Diretório de Grupos de Pesquisa no Brasil do CNPq, serão beneficiados direta ou indiretamente pelos equipamentos, atendendo diversas linhas de pesquisa.Exemplos desses grupose daprincipal linha de pesquisa (número total entre parêntesis) são: ENGENHARIA DE ÁGUA, SOLO E AMBIENTE (5) - Aproveitamento de resíduos agrícolas e agroindustriais; QUÍMICA DO SOLO E NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS (6): Modelos e parâmetros descritivos da adsorção de íons orgânicos e inorgânicos em solose raízes; RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS (5) - Estratégias para recuperação de solos degradados;INSUMOS ALTERNATIVOS PARA A FERTILIZAÇÃO DE SOLOS (4) - Ação de microrganismos na dissolução de minerais contidos em rochas; INTEGRAÇÃO E ANÁLISE DE DADOS DE AGROECOSSISTEMAS (5) - Avaliação da aptidão de terras para agricultura; COMPORTAMENTO DE HERBICIDAS NO AMBIENTE (8): Comportamento de herbicidas no ambiente-retenção, transporte e transformação; MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E MOLECULAR (8) Avaliação do impacto do uso de agrotóxicos na microbiota e microfauna do solo; BIOTECNOLOGIA (5) - Desenvolvimento de reatores com cianobactérias imobilizadas em alginatoe em espuma de poliuretano visando tratamento de águas residuárias do setor sucroenergético; NÚCLEO DE ESTUDOS AMBIENTAIS (4) - Agroquímicos e impactos ambientais; GRUPO DE MATERIAIS POLIMÉRICOS E BIOSSORVENTES (3) -Materiais sustentáveis na agricultura; FERMENTAÇÕES INDUSTRIAIS (12) - Tratamento biológico e químico de resíduos da indústria sucroalcooleira; QUALIDADE DE PRODUTOS AGROINDUSTRIAIS IN NATURA E PROCESSADOS (4) - Desenvolvimento e controle da qualidade de produtos do setor canavieiro; BIOLOGIA DE POLINIZADORES E DISPERSORES DE SEMENTES (4) - Ecotoxicologia de polinizadores; AGRICULTURA SUSTENTÁVEL (4) - Indicadores de sustentabilidade em agroecossistemas e gestão ambiental; AGROECOLOGIA (7) - Avaliação e manejo de agroecossistemas; CIÊNCIA ANIMAL E PASTAGENS(5) - Anatomia e fisiologia animal; FISIOLOGIA E PRODUÇÃO DE PEIXES NEOTROPICAIS DE ÁGUA DOCE (5) Nutrição e fisiologia de peixes, Qualidade de água; PINHÃO MANSO: MATÉRIA-PRIMA PARA A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEL (4) - Clonagem, Estabelecimento de protocolo de biofabricação de pinhão manso.
Tendo em vista as expertises supracitadas do CCA nas referidas áreas, esse subprojeto interdisciplinar visa à consolidação dos grupos de pesquisas do CCA complementando a plataforma de pesquisa científica e tecnológica e pós-graduação da UFSCar com a implantação de uma "facility" denominada Centro de Caracterização e Análises Ambientais e a aquisição de equipamentos multiusuários. Um projeto como este apresenta não só relevância científica e tecnológica como também Institucional, tendo em vista a possibilidade de criar um Centro que integre pesquisadores de várias áreas.
Entende-se que o momento é apropriado para a consolidação de um Centro de Caracterização e Análise Ambiental multiusuário no CCA,não somente pelo crescente número de usuários, mas também por parte do atual corpo docente atuar na área Ambiental e Agronômicacom conhecimento profundo destes equipamentos. Estas aptidões permitem que os equipamentos possam ser utilizados na sua plenitude, com todo o potencial explorado, uso otimizado de consumíveis, menor geração de resíduos, conhecimento teórico para ajustar o equipamento ao tipo de matriz, etc.
O objetivo desta proposta é trazer tecnologia instrumental para o CCA na forma de equipamentos que façam caracterização e análise estruturais de uma variedade de elementos e moléculas químicas orgânicas e inorgânicas de interesse ambiental e agronômico, contidos em amostras de natureza diversa, tais como matrizes ambientais de solos, sedimentos, águas residuárias, águas subterrâneas e superficiais, tecidos vegetais e animais, alimentos, fertilizantes, rações animais, etc., o que acentua seu caráter multiusuário.
O CCA conjuga condições ótimas para o desenvolvimento de projetos interdisciplinares, uma vez que reúne corpo docente, projetos pedagógicos de graduação e pós-graduação e projetos de pesquisa selecionados sobre a tríade Agricultura, Ambiente e Energia, podendo expandir, aperfeiçoar e consolidar áreas de ensino, pesquisa e extensão que alimentarão a história do CCA. A consolidação do Centro de Caracterização e Análise Ambiental fortalecerá importantes linhas de pesquisa na geração de alternativas energéticas, desenvolvimento de materiais sustentáveis para agricultura e ambiente, inovações tecnológicas no setor agrícola, tratamento de resíduos, descontaminação de áreas poluídas ou recuperação de áreas degradadas, aprimoramento de parâmetros ecotoxicológicos e da qualidade de recursos naturais.
Considerando o caráter ambiental e tecnológico das linhas de pesquisa que compõem esta proposta, o aumento do nível tecnológico do parque de equipamentos do CCA propiciará a melhoria da qualidade da pesquisa e importantes avanços em PI&D. Há expectativas de repercussões regionais e, também, de maior abrangência, na medida em quepermitirá o aprimoramento tanto da pesquisa básica quanto da pesquisa com aplicação direta ao setor produtivo, uma vez que os resultados poderão ser transferidos para o poder público ou para a iniciativa privada com reflexos imediatos na qualidade de vida da população e da saúde pública e do ambiente. Esses impactos resultam no aprimoramento acadêmico e de recursos humanos de graduação e pós-graduação até a aplicação direta em vários setores da sociedade.  

Impactos Previstos:

Impactos Científicos
- Contribuir com o avanço em Ciência, Tecnologia e Inovação da UFSCar, atendendo as diretrizes propostas no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI)e aos projetos político pedagógicos dos cursos de graduação do CCA/UFSCar;Apoiar e consolidar grupos emergentes e novas linhas de pesquisa implantadas pelos pesquisadores contratados pelo CCA em seu projeto de expansão;Permitir o aumento imediato do número de alunos de iniciação científica e de mestrado envolvidos com temas relacionados à sustentabilidade e proteção ambiental;Propiciar a intensificação e/ou estabelecimento de projetos de cooperação com grupos de pesquisa, no país e no exterior, ampliandoos recursos que o CCA pode oferecer como contrapartida para justificar parcerias, convênios e intercâmbios nacionais e internacionais;Estimular a emergência de linhas de pesquisa multidisciplinares, ainda incipientes e de pouca expressão no país, aproveitando a equipe de pesquisadores das áreas das Ciências Agrárias, Biológicas, Ambientais e Exatas e da Terra;Contribuir para a consolidação dos Programas de Pós-graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Rural (PPGADR), implantado em 2006, e emAgricultura e Ambiente (PPGAA), implantado em 2010;Melhorar as condições para a criação de novos Programas de Pós-Graduação no CCA;Possibilitar o aumento quantitativo e qualitativo de formação de recursos humanos em níveis de graduação e pós-graduação conforme a vocação do CCA nas áreas das Ciências Agrárias, Biológicas, Ambientais e Exatas e da Terra;Gerar conhecimento e expandir as possibilidades de sua difusão em periódicos nacionais e internacionais e em eventos científicos no Brasil e no exterior;Conseguir avanços na solução de fatores limitantes, sobretudo aqueles relacionados com instrumentação analítica, contribuindo para o aumento do parque de equipamentos e da autonomia de pesquisa do CCA;Prezar pelo caráter multiusuário dos equipamentos, escolhidos para atender o maior número possível de grupos e de linhas de pesquisa do CCA. Mais de 80% dos grupos de pesquisa do CCA, ativos no Diretório de Grupos de Pesquisa do Brasil do CNPq, serão beneficiados direta ou indiretamente pelos equipamentos, atendendo a mais de 100 linhas de pesquisa.

Impactos Econômicos


- Viabilizar o desenvolvimento de materiais e de processos que subsidiem tecnologias racionais de manejo agrícola e ambiental e de otimização de fatores de produção e de recursos ambientais;Contribuir para práticas de gerenciamento ambiental, incluindo o tratamento e descarte adequado de resíduos, que atendam os requisitos de sustentabilidade;Colaborar com o desenvolvimento do importante pólo (agro) industrial, tecnológico e agrícola da região de Araras, com repercussão e aplicação em outras regiões do país;Agregar valores em produtos agrícolas de pequenas, médias e grandes propriedades rurais por meio do uso de manejo diferenciado, como insumos alternativos, práticas sustentáveis e certificação de compromisso ambiental;Elevar o potencial competitivo de produtos nacionais na economia globalizada, inserindo o caráter de sustentabilidade e de uso racional de recursos naturais, sobretudo os renováveis, como diferencial;Contribuir para a adoção de sistemas de funcionamento laboratorial integrados, que levem a economia de suprimentos, a otimização de recursos e a diminuição da geração de resíduos;Contribuir para o desenvolvimento de novas metodologias de boas práticas agrícolas que venham melhorar o manejo defertilizantes, agrotóxicos e outros produtos químicos;Contribuir para a captação de recursos financeiros, através da prestação de serviços pelos laboratórios, para o desenvolvimento de projetos do CCA.
Impactos Sociais;Gerar conhecimento para implantaçãode tecnologias de descontaminação e de recuperação de áreas degradadas, com benefício direto ao bem-estar e à saúde pública;Gerar condições para que a concepção ambiental seja inserida nos cursos de graduação e de pós-graduação do CCA, permitindo a conversão do conhecimento em aplicações práticas conforme o atual apelo do mercado e da sociedade;Contribuir para a consolidação de conhecimento que possa constituir estratégias de ação de políticas públicas voltadas para produção sustentável e conservação do ambiente e de recursos naturais, com repercussões locais, regionais e nacionais;Subsidiar políticas públicas referentes ao zoneamento de atividades da região, possibilitando a preservação da biodiversidade e garantindo a qualidade de vida e o desenvolvimento econômico;Aprimorar parâmetros de qualidade de recursos naturais e de ecotoxicologia de contaminantes orgânicos e inorgânicos, para seu adequado emprego em modelos e laudos de previsão de risco ambiental, subsidiando tomadas de decisão de órgãos ambientais na aplicação da legislação, da fiscalização e da penalização por infrações ambientais;Ampliação das oportunidades para absorver e formar recursos humanos em nível de graduação e de pós-graduação nas áreas das Ciências Agrárias, Biológicas, Ambientais e Exatas e da Terra;Permitir o desenvolvimento de processos de certificação ambiental das propriedades agrícolas da região, por meio do incentivo da adequação ambiental das suas atividades;Auxiliar na redução das desigualdades sociais e desenvolvimento econômico por meio da geração de conhecimento científico e de transferência de tecnologia;Converter resultados de pesquisa em cursos de extensão para a comunidade acadêmica e para a população da região.

Impactos Tecnológicos


- Aprimorar o apoio e a difusão de tecnologia inovadora ao setor agrícola, por meio da formação de profissionais diferenciados;Permitir o desenvolvimento de patentes de novos produtos com caráter sustentável a serem utilizados como alternativas aos atuais fatores de produção agrícola, tais como fontes alternativas de nutrientes para plantas cultivadas, como os agrominerais e os materiais ferti-liberadores, ou de produtos inovadores para fitossanidade;Viabilizar o desenvolvimento de tecnologias aplicadasà recuperação de áreas degradadas/contaminadas, por meio de ampliação de linhas de pesquisa em Química Ambiental, Biotecnologia e Ecotoxicologia;Melhorar a tecnologia do parque de equipamentos do CCA, com consequente impacto sobre a subárea da química analítica e nas subáreas de instrumentação analítica, análise de elementos traço e química ambiental;Buscar o desenvolvimento de tecnologias híbridas e multidisciplinares pela integração das áreas das Ciências Agrárias, Biológicas, Ambientais e Exatas e da Terra;Desenvolver tecnologias para descarte e tratamento de resíduos e de águas residuárias em polo importante do setor sucroalcooleiro;Permitir a intensificação e/ou estabelecimento de projetos de cooperação com o setor público e privado, buscando canais de difusão de tecnologia.

Impactos Ambientais


- Promover a mudança de paradigma em relação à produção agrícola, dando ênfase à produção sustentada;Contribuir para a definição de áreas a serem eleitas unidades de preservação;Aprimorar estudos sobre transporte, transformação e retenção de produtos químicos no ambiente, tais como agrotóxicos, fertilizantes, resíduos, etc.;Produzir indicadores dos níveis de poluição, contaminação e de degradação de diversos compartimentos do ambiente;Permitir o desenvolvimento de ferramentas para a solução de problemas ambientais e de tecnologias de descontaminação;Gerar e aprimorar valores orientadores para qualidade dos recursos naturais, importante na composição de laudos de impactos ambientais;Desenvolver métodos e protocolos analíticos de Química Ambiental, úteis no monitoramento de sistemas edáficos e aquáticos;Realizar estudos de impactos de agrotóxicos sobre os organismos e sobre o ambiente;Estimular o uso racional de insumos e estimular práticas agrícolas de manejo menos impactantes ao meio ambiente;Disponibilizar informações que subsidiem a conservação, gestão e recuperação de áreas degradadas.  

Qualificação das Pós-Graduações vinculadas ao subprojeto:

O recente histórico de criação dos cursos de graduação, sobretudo a partir de 2006, constituiu a base para a concepção dos Programas de Pós-Graduação (PPG)do CCA. Em apenas um ano e meio, o quadro de docentes pesquisadores foi ampliado de 41 para 81. A expansão levou ao aumento do número de grupos e de linhas de pesquisa e intensificou o caráter multi/interdisciplinar do CCA, que passou a experimentar uma acelerada e crescente necessidade de ampliação de sua infraestrutura de ensino e pesquisa. O primeiro PPG do CCA, com Mestrado em Agroecologia e Desenvolvimento Rural (PPGADR), foi instituído em 2006, em parceria com a EMBRAPA Meio Ambiente. O objetivo do programa é a introdução de nova perspectiva em relação à produção de alimentos, além da avaliação de agroecossistemas sustentáveis baseados nos conceitos e ferramentas utilizadas pela Agroecologia, a qual incorpora as áreas de conhecimento da Ecologia, Agronomia, Economia e Sociologia. Atualmente, o PPGADR conta com 24 docentes e 77 discentes, sendo 27 bolsistas (10 Capes/Demanda Social, 5 Capes/REUNI, 3 Cota ProPG-UFSCar, 3 CNPq, 1 FAPESP e 5 do setor privado), com 55 dissertações de mestrado já defendidas, atendendo a quatro linhas de pesquisa: Controle biológico; Diversidade de Microrganismos Endofíticos; Indicadores de Sustentabilidade em Agroecossistemas e Gestão Ambiental; Sistemas de Produção Agroecológicos. O aumento do número de docentes lotados no CCA também permitiu a criação, em 2010, do PPG em Agricultura e Ambiente (PPGAA).
Os objetivos do programa são ampliar o compromisso com a excelência na formação de recursos humanos qualificados e competentes e incrementar pesquisas para compreender o comportamento dos recursos naturais em ambientes agrícolas, conhecer os processos de degradação do ambiente e as estratégias para sua recuperação e promover o tratamento de resíduos e reuso da água.O PPGAA possui três linhas de pesquisas: Caracterização e conservação de recursos naturais em ambientes agrícolas, Comportamento de organismos e de xenobióticos em áreas agrícolas eTratamento e reaproveitamento de água e de resíduos agrícolas e agroindustriais. Atualmente, conta com 16 docentes e 33 discentes, sendo 17 bolsistas (10 Capes/Demanda Social, 1 Capes Projeto Institucional, 1 CNPq e 3 FAPESP). Foram defendidas, até o momento, quatro dissertações.
O CCA oferece também dois cursos de especialização (Pós-graduação lato sensu), um em Gestão da Produção Sustentável do Setor Sucroenergético e outro em Gestão de Tecnologia Industrial Sucroenergética.O panorama atual do CCA em termos de pós-graduação stricto sensué caracterizado por programas que estão no início de suas atividades, ambos recomendados pelo Conselho Técnico Científico da CAPES com conceito 3. Os programas são constituídos por grupos emergentes de pesquisa, os quais são motivados e caracterizados pelo tema ambiental, inovador dentro da concepção dos ideais produtivos na agricultura, almejando sustentabilidade,produtividade e menor consumo dos recursos naturais.
Parcerias/vinculação a outras Unidades de pesquisa e pós-graduação: Os docentes-pesquisadores a serem beneficiados pela aquisição dos equipamentos lideram grupos de pesquisa (GP) em parceria com colegas de instituições de ensino superior e de pesquisa, no Brasil e no exterior, além de serem credenciados em outros PPG. 
PPGAA:
1. GP: Engenharia de água, solo e ambiente / Prof. Dr. Claudinei Fonseca Souza
- Instituto Agronômico de Campinas; Área: Manejo de Água no Solo / Dra. Regina Célia de M.Pires
- UNICAMP -Área: Equipamento e automação; Reuso de Água na Agricultura / Prof. Dr. Edson E.Matsura
- USP/ESALQ -Área: Dimensionamento e Manejo da Irrigação / Prof. Dr. Marcos Folegatti
- Utah StateUniversity - Área: Equipamento e Automação / Prof. Dr. Scott Jones
- Swiss Federal Instituteof Technology Zurich - Área: Manejo da Irrigação e Equipamentos / Prof. Dr. Dani Or
2. GP: "Recuperação de áreas degradadas" e "Química do solo e nutrição mineral de plantas" / Prof. Dr. José Carlos Casagrande e Prof. Dr. Marcio Roberto Soares
- Instituto de Botânica de São Paulo - projeto modalidade Políticas Públicas da FAPESP "Reflorestamentos induzidos visando o licenciamento ambiental" / Dr. Luiz M. Barbosa
- USP/IPEN - Área: Mobilidade e transporte de contaminantes no solo / Dr. Goro Hiromoto e Dra. Iara Carneiro de Camargo
- UNESP - Área:Recuperação de áreas degradadas eUso de resíduos na agricultura / Prof. Dr. Reinaldo Monteiro / Prof. Dr. Wanderley de Melo
- USP/CENA -Área: Qualidade do Solo / Profa. Dra. Marisa Piccolo
- Prof. Dr. José Casagrande atua também no PPG em Biologia Vegetal - UNESP
3. GP: "Integração e análise de dados de agroecossistemas" e "Insumos alternativos para a fertilização de solos" / Profa. Dra. Maria Leonor Lopes Assad
- EMBRAPA -Projeto piloto do uso de novas fontes e rotas tecnológicas de agrominerais na produção de biocombustíveis líquidos (FINEP 0944/08) e Projetos demonstrativos do uso de novas fontes e rotas tecnológicas de agrominerais na produção de biocombustíveis líquidos (FINEP 2174/07)
4. GP: Fermentações industriais / Prof. Dr. Reinaldo Gaspar Bastos
- BNDES (Linha Inovação Tecnológica) -"Produção de biodiesel, sequestro de CO2 e despoluição ambiental na indústria sucroalcooleira através do cultivo de microalgas"
- Universidade Federal de Santa Maria / Prof.Dr. Eduardo Jacob-Lopes
5. GP: Biologia de polinizadores e dispersores de sementes / Profa. Dra. Roberta Ferreira Nocelli
- Wageningen University e FAO/ONU: Projeto multilateral (Brasil-Holanda-Quênia)"Knowledge Management of Pesticides Risks to Wild Pollinators for Sustainable Production of High-Value Crops in Brazil and Kenya"
6. GP: Manejo de microorganismosfitopatogênicos em diferentes agroecossistemas / Prof. Dr. Alfredo SeiitiUrashima
- Kobe e Kyoto University, Japão
- Centro Internacional para Melhoria do Milho e do Trigo, México
- Universidade Nacional do Nordeste, Argentina
7. GP: Comportamento de herbicidas no ambiente / Profa. Dra. Patrícia Andrea Monquero
- APTA- Pólo Regional da Alta Sorocabana
- Syngenta Herbicides
- DuPont do Brasil
8. GP: Materiais Poliméricos e Biossorventes / Profa. Dra. Roselena Faez e Profa. Dra. Elma Martins Carrilho
- UNIFESP - projeto "Desenvolvimento e aplicação de metodologia para diagnósticos envolvendo erros do metabolismo por eletroforese capilar acoplada à espectrometria de massas" / Prof. Dr. Nilson Assunção
- Universidade Federal de São João Del Rei - projeto "Introdução de grupos funcionais em biossorventes para aplicações ambientais e tecnológicas" / Profa. Dra. Patrícia Martelli
- UNICAMP - Faculdade de Engenharia de Alimentos - projeto "Avaliação da estabilidade dos azeites de oliva extra-virgem nacional"/ Profa. Dra. RenataCeleghini
- EMBRAPA - Dra. Ana Rita de Araújo Nogueira
PPGADR:
1. GP: Microbiologia agrícola e molecular / Profa. Dra. Sandra Regina Ceccato-Antonini
- Universityof Sheffield, Reino Unido: projetos "Genética molecular de leveduras"/ Prof. Peter Sudbery
- Profa. Dra. Sandra Antonini atua também no PPG em Ciência e Tecnologia de Alimentos - ESALQ/USP e Microbiologia Aplicada - UNESP
2. GP: Agricultura Sustentável / Prof. Dr. Luis Antonio Correa Margarido
- Prof. Dr. Luis Margarido atua também no PPG em Ecologia e Recursos Naturais - UFSCar/São Carlos
3. GP: Qualidade de produtos agroindustriais in natura e processados / Profa. Dra. Marta Regina Verruma Bernardi
- Universidade Federal Fluminense
- Profa. Dra. Marta Bernardi atua também no PPG em Alimentos e Nutrição - UNICAMP
4. GP: Cultura de tecidos em plantas / Prof. Dr. Lee Tseng Geral-Academy of Guangxi Agriculture Science, China
O PPGADR mantém vínculo e cooperação técnico-científica internacional com a EMBRAPA e com Instituto de Pesquisa Agronômica da Françaao participar do Programa Capes-Cofecub 2010/2012. Em 2011, o Conselho de Pós-Graduação da UFSCarhomologou a proposta de convênio que tornou legítima a cooperação CCA e Embrapa  

Descrição das Obras e dos Principais Equipamentos:

EQUIPAMENTOS
Espectrômetro de Emissão Ótica com Plasma Acoplado Indutivamente (ICP-OES: Inductively Coupled Plasma Optical Emission Spectrometry):equipamento que funciona com base nos princípios da espectrometria de emissão atômica em plasma de argônio e que possui grande versatilidade e alta sensibilidade para a determinação simultânea de vários elementos químicos (em torno de 50 elementos) em baixas concentrações (limites de determinação na ordem de ppb e ppt), ampla faixa de linearidadee trocador de amostras automático. Estas características do ICP-OES permitem análises rápidas, precisas e exatas de uma diversidade de amostras de interesse ambiental e agronômico, tais como matrizes de solos, sedimentos, rochas, águas residuárias, águas subterrâneas e superficiais, tecidos vegetais e animais, alimentos, fertilizantes, rações animais, etc.. Em função destes atributos, o ICP-OES pode atender diversas linhas de pesquisa, possuindo grande característica multiusuário.
Espectroscopia de Infravermelho por Transformada Fourier (FTIR: Fourier TransformInfraredSpectroscopy):equipamento de altíssima tecnologia de qualificação de amostras orgânicas e inorgânicas nos estados sólidos, líquidos e gasosos. A principal característica está na determinação de estrutura química. Tem aplicação na identificação estrutural de substâncias orgânicas, grau de aromaticidade, na caracterização da matéria orgânica do solo, identificação de colônias de bactérias, análise qualitativa detalhada de configuração, síntese, resíduo e degradação de moléculas orgânicas de natureza diversa (hidrocarbonetos, biocombustíveis, pesticidas, proteínas, hormônios (vegetais e animais) e feromônios, enzimas, etc.). Pode ser utilizado tanto para identificação de composição química de amostras quanto em controle de qualidade.
Espectrômetro de Ressonância Magnética Nuclear de Baixo Campo (Low Field NMR): equipamento que funciona com base na espectroscopia de spin nuclear. A RMN de baixo campo permite estudar diversos tipos de amostras (orgânicas e inorgânicas) com base em seus tempos de relaxação transversal (T2) e longitudinal (T1). Possui a grande vantagem de ser uma técnica rápida e não destrutiva. É uma técnica que fornece diversos tipos de informações como determinação do teor de óleo em sementes oleaginosas, estudo de água de tecidos animais e vegetais prevendo o seu comportamento, estudos de viscosidade e textura, estudos de composição de madeira além de diversos outros compostos que podem ser aplicados à área agronômica e ecológica, estudos de caracterização de qualidade de alimentos que podem ser úteis na área biotecnológica e estudo de ciências dos materiais e polímeros que podem dar suporte aos grupos de pesquisa já existentes na área de Química dentro do Campus. Estas aplicações podem ser correlacionadas com os cursos de Agronomia, Biotecnologia e Agroecologia além do curso de Química e Física dentro do Campus Araras, sendo extremamente útil como equipamento multiusuário.
Difratômetro de raios X (X-raydiffractometer): As propriedades físicas e químicas de uma substância dependem intrinsicamente do seu arranjo atômico. O conhecimento de suas características estruturais e de seu arranjo espacial permite entender propriedades, propor modificações químicas e novos processos de produção. A difração de raios X (DRX) é uma das técnicas mais importantes para a caracterização estrutural de compostos químicos cristalinos, pois permite a determinação das fases cristalinas, avaliação do grau de cristalinidade e a medida indireta de tamanhos de partícula entre outras informações. Esta técnica vem sendo utilizada para a caracterização e identificação de diversos materiais orgânicos e inorgânicos incluindo argilominerais, polímeros, óxidos e materiais nanoestruturados com diversas aplicações, com destaque às aplicações ambientais e liberação controlada de substâncias químicas (ex: fármacos e fertilizantes). Desta maneira, o equipamento solicitado atenderá a demanda dos docentes que já utilizam a técnica de difração de raios X e também abrirá novas perspectivas no apoio às pesquisas realizadas pelos demais docentes do CCA/UFSCar devido ao seu caráter inter/multidisciplinar. Isto contribuirá significativamente para a melhoria e modernização das pesquisas desenvolvidas, resultando em um aumento da quantidade e qualidade dos trabalhos desenvolvidos no centro.
Citometria de fluxo (FC: FlowCytometry):O equipamento citômetro de fluxo tem diferentes aplicações dentro dos estudos da diversidade biológica vegetal e animal, de taxonomia e determinação da ploidia das espécies, de estudos do DNA e de suas variações, como a ocorrência de aneuploidias e disploidias, de grande interesse em espécies vegetais, de estudos para identificação de espécies poliploides naturais ou induzidas, bem como da identificação de plantas potenciais dentro de programas de melhoramento genético de plantas utilizando métodos convencionais ou por meio do uso da biotecnologia. Ainda, o equipamento é de grande utilidade para análises de identificação de variações de ploidia em espécies vegetais e animais em análises para monitoramento da qualidade ambiental de uma determinada área sujeita a adversidades bióticas e abióticas, seja pelo estudo da atividade antrópica ou de outros tipos de mudanças ambientais. Por fim, uma das grandes vantagens da citometria de fluxo para estudos de ploidia é o resultado preciso, de baixo custo e que permite análises de grandes quantidades de amostras por unidade de tempo, principalmente quando comparado aos métodos convencionais de avaliação cromossômica. Nesse sentido, o equipamento será parte integrante dos processos de treinamento de alunos de graduação e pós-graduação, bem como participará de forma efetiva na formação complementar, bem como no desenvolvimento de pesquisas de alta qualidade e com impacto internacional de publicações.
Eletroforese de capilaridade (CE: Capillary Electrophoresis): Este equipamento é usado para separar, identificar e quantificar compostos orgânicos e inorgânicos diversos, presentes em amostras advindas de organismos biológicos (plantas, animais e microrganismos), como também naquelas de alimentos e bebidas, águas, solos e sedimentos. Possui alta sensibilidade na detecção de diferentes compostos e requer baixo volume de amostra, da ordem de microlitos, característica que lhe confere grande vantagem sobre equipamentos de cromatografia. É considerado um equipamento versátil, por poder ser empregado como equipamento único para separação e quantificação ou como equipamento para separação acoplado a um equipamento de detecção, usualmente um espectrômetro de massa. Com estas características, o equipamento atenderá distintos pesquisadores em seus projetos de pesquisa em Ciências Agrárias e Ambientais, com aplicações na determinação de pesticidas, aminoácidos, vitaminas, ácidos orgânicos, hormônios, metabólitos e íons com potencial de contaminação do ambiente como nitrato, sulfato e fosfato. 
Aparelhos de ar condicionado tipo split 12.000 BTU: serão utilizados na climatização do ambiente de laboratório, garantindo faixa ótima de temperatura para o adequado funcionamento dos equipamentos analíticos. Para os propósitos deste subprojeto, há necessidade de aparelhos de ar condicionado com alta capacidade (BTU) devido ao funcionamento de equipamentos analíticos com alta dissipação de energia na forma de calor. 
Capela de Exaustão: Amplamente utilizada para manipulação de soluções ácidas, básicas e solventes orgânicos voláteis e necessária em laboratórios que trabalham em procedimentos de abertura,preparação e/ou síntese de substânciasque envolvem a produção de vapores tóxicos, sob aquecimento, por um período longo (várias horas) de exposição.
Coifa de Exaustão:Necessário para exaustão de gases do equipamento de ICP-OES  


Baixar 49.29 Kb.

Compartilhe com seus amigos:




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa