Senhor Representante


DIRETRIZES PARA AVALIAÇÃO – ARBITRAGEM



Baixar 120,87 Kb.
Página8/11
Encontro01.12.2019
Tamanho120,87 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11
DIRETRIZES PARA AVALIAÇÃO – ARBITRAGEM

Sr.(a) Representante, em prosseguimento ao nosso projeto de Ranking e Qualificação de nosso Quadro de Oficiais de Arbitragem, utilizaremos seus préstimos, dentro deste processo. Portanto, além da sua função ADMINISTRATIVA dentro da partida, o (a) Senhor(a) também desenvolverá a importante função de “avaliador”, com relação ao trabalho dos Oficiais de Arbitragem, durante o desenrolar do jogo em que estiver escalado.


Esta avaliação comporá um quadro de conceitos, que tem como principal objetivo, determinar o ranking de todo nosso quadro de Oficiais. O seu trabalho é um dos principais pontos desta avaliação geral, que se completará com os resultados das avaliações físicas e teóricas que nossos Oficiais já realizaram no início deste ano.
Para que possamos ter uma excelente avaliação, com critérios e metas claramente estabelecidas, estaremos a partir deste documento apresentando orientações e diretrizes que devem ser seguidas, para que esta avaliação seja a mais justa e padronizada possível.


  1. RECOMENDAÇÕES GERAIS

A função de avaliador deve estar pautada na idéia de que avaliar algo ou alguém é quando comparamos um comportamento apresentado com um comportamento esperado. E a partir do resultado deste procedimento, devemos elaborar ações para corrigir, melhorar ou mesmo alterar comportamentos, para que os mesmos fiquem o mais próximo de um padrão de excelência, estabelecido por esta Entidade.


Sua avaliação deve ser imparcial e descomprometida de valores pessoais, ou seja, independente da sua relação pessoal com os Oficiais avaliados, este “sentimento” deve ser deixado de lado no momento da avaliação. Uma arbitragem bem avaliada com certeza será uma alavanca para o crescimento individual do Oficial e também para o progresso do Futsal Paranaense.
Iremos a partir de agora, apresentar as orientações e diretrizes para serem seguidas, pois desta maneira teremos uma avaliação mais justa e transparente. Gostaríamos também de registrar, que todo este material apresentado, teve como inspiração o Manual do Assessor de Arbitragem, redigido pela Confederação Brasileira de Futebol, para o ano de 2011.
Sr. (a) Representante, lembre-se sempre, por favor:

  1. As críticas devem ser feitas ao trabalho, jamais às pessoas;

  2. Não use palavras depreciativas para referir-se aos árbitros;

  3. Não confie na memória, registre as observações;

  4. Seja discreto no trato com os documentos e os árbitros. A ética é a chave de tudo;

  5. Seja objetivo. Descreva os fatos os mais próximos possíveis da realidade;

  6. Tenha este Manual constantemente à mão. Ele o ajudará sempre;

  7. A carreira do árbitro depende muito de motivação. Um relatório justo, equilibrado e tecnicamente correto constitui em elevado ponto de estímulo.

(Manoel Serapião Filho)



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal