Resiliência



Baixar 1,13 Mb.
Página1/22
Encontro15.03.2018
Tamanho1,13 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22

Estudo sobre a Resiliência em Adolescentes das Zonas Periféricas de São Vicente






UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR

Departamento de Psicologia e Educação



Estudo sobre a Resiliência em Adolescentes

Das Zonas Periféricas de São Vicente

Arlinda Ivette Lopes

Dissertação apresentada para obtenção do Grau de Mestre em



Psicologia Clínica e da Saúde

(2º Ciclo de estudos)

Orientador: Prof. Doutor Henrique Pereira

M

indelo, Outubro de 2013



Dedicatória
À memória do meu muito amado pai, Belgrano Lopes (1939-1999).

Resumo
Resiliência descreve a relativa resistência à experiências de risco psicossocial. O presente trabalho procurou descrever fatores de vulnerabilidade e proteção relacionados a resiliência que poderão caracterizar mecanismos de adaptação em adolescentes das zonas periféricas de São Vicente.

Na medida em que a resiliência parece se caracterizar por ampla variação contextual, o presente estudo tenta conciliar a recolha e o tratamento qualitativo e quantitativo dos dados. Partindo de uma abordagem mais ecológica e próximo à população em estudo procurou-se, através de uma técnica qualitativa (o grupo focal), obter um amplo conjunto de dados para posterior análise mediante métodos de análise quantitativa. Um questionário de autoadministração construído a partir dos dados dos grupos focais foi respondido anonimamente e sob base voluntaria por 218 alunos das zonas periféricas de São Vicente, sorteados aleatoriamente nas escolas públicas do Mindelo. Na análise dos dados, para além da análise descritiva, foram utilizados o teste t e a Analise de Variância (ANOVA) para localização de valores significativos ao nível de 5% na comparação dos grupos distintivos da amostra.


Os resultados obtidos evidenciam que esses adolescentes dispõem de adequados recursos individuais, familiares e comunitários que podem ser mobilizados para fazer face as adversidades que enfrentam num contexto onde a instabilidade económica e as dificuldades de acesso a saúde e educação representam desafios constantes ao desenvolvimento. Foram encontradas diferenças significativas nos potenciais fatores de risco e proteção identificados relativamente ao sexo, idade, escolaridade e comunidade de proveniência.
Discuta-se a relevância destes dados para a reflexão sobre a promoção de resiliência na população estudada, atendendo as particularidades contextuais e culturais dos adolescentes e suas comunidades.
Palavras-Chave: Resiliência; fatores de risco; fatores protetores; Zonas periféricas de São Vicente.


Abstract
Resilience is the resistance to high risk psycho-social experiences. This thesis describes factors of vulnerability and protection related to resilience and that are adopted by the adolescents residing in Mindelo’s peripheral zones.

Given the fact that the phenomenon of resilience is characterized by a wide range contextual variation, this study is an attempt to combine the qualitative and quantitative treatment of data.


Based on the ecologic, closely related to the target population approach, this research has aimed to collect an extensive set of data for the following quantitative analysis.
A self-applicable questionnaire that had been constructed on the basis of focal groups was anonymously and voluntarily responded by 218 pupils in randomly chosen state schools in the peripheral São Vicente zones. In data analysis, besides descriptive analysis, the test t and the ANOVA test were applied in order to identify significant values at 5% level while comparing distinctive groups of the sample.
The results show that the adolescents have adequate individual, familiar and community resources that could be mobilize in order to tackle problems they face in the context where economic instability and difficult access to education and health services are a constant challenge for development.
The importance of the present data and findings is analysed within a wider context in order to trigger discussion of how, given contextual and cultural particularities of their communities, the resilience could be promoted among the adolescents.
Key words: resilience, risk factors, protection factors; peripheral São Vicente zones

Agradecimentos
Porque este é um trabalho que recebeu o contributo de várias pessoas, as quais de distintas formas estiveram presentes no percurso da sua realização, gostaria de lhes deixar uma palavra de sincero agradecimento.
Assim, em primeiro lugar queria agradecer ao meu orientador, o Professor Doutor Henrique Pereira, pela prontidão, disponibilidade e paciência, com que pôs a minha disposição todo a sua experiência e saber.
Em segundo lugar, um agradecimento muito especial ao Caplan Neves, pelo apoio incondicional, pela companhia serena e atenta com que veio preencher os meus dias, tornando tudo possível.
À Universidade do Mindelo e a Universidade de Beira Interior que, no âmbito do acordo entre as duas instituições, tornaram possível a realização deste Mestrado.
Às minhas professoras do segundo ciclo de estudos, pelos ensinamentos que nos proporcionaram. A professora Paula Carvalho que me enviou de Portugal vários artigos de referência.
Às direções e funcionários das escolas secundárias de São Vicente, que de forma muito atenciosa permitiram e auxiliaram na recolha dos dados.
Ao Doutor Manuel Faustino que, muito amavelmente, me disponibilizou o estudo “Saúde e Estilos de Vida dos Adolescentes Cabo-verdianos Frequentando o Ensino Secundário”.
A Dra Dominika, professora da Universidade do Mindelo, pelo apoio na tradução do resumo para o inglês.
À avó dos meus filhos, minha querida sogra, pelos esforços e sacrifícios consentidos.

Uma palavra de apreço aos meus familiares, em especial a minha mãe Paulina Rocha, meus filhos Hélio, Azaergal e Criséle, irmãos e sobrinhos.


Um agradecimento muito especial para todos os alunos que partilharam comigo suas histórias de vida e se disponibilizaram para participar na presente pesquisa.
E a todos os outros que durante este percurso, deixaram em mim a marca da sua gentileza.





Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   22


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal