Questões sobre psicologia do desenvolvimento


PERÍODOS CRÍTICOS E PERÍODOS DELICADOS (SENSÍVEIS OU ÓTIMOS)



Baixar 386,75 Kb.
Página8/55
Encontro04.03.2018
Tamanho386,75 Kb.
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   55
3. PERÍODOS CRÍTICOS E PERÍODOS DELICADOS (SENSÍVEIS OU ÓTIMOS)
A Etologia é a ciência que estuda o comportamentos dos animais em seu habitat natural. O pesquisador Konrad Lorenz, trouxe contribuições para a questão da hereditariedade e do meio ambiente nos estudos sobre o imprinting (estampagem ou fixação). Em 1935, esse cientista observou e descreveu que, logo após nascerem, os filhotes de ganso parecem seguir o primeiro estímulo em movimento que enxergam logo após terem saído da casca. Mais a grande “sacada” é que Lorenz descobriu que esse fenômeno pode ocorrer somente durante um certo período da vida dos gansinhos. Ele notou que os filhotes não aprendiam a seguir somente sua mãe, mas qualquer estímulo que lhe fosse apresentado dentro das primeiras horas de vida. O próprio Lorenz se apresentou diante deles durante esse período crítico e notou que os gansinhos seguiam em fila atrás dele com a devoção que geralmente manifestam a suas mães, e que esse hábito se manteve durante a vida inteira dessas aves.

O tempo ótimo que o imprinting nos gansos tem maior impacto é entre 13 a 16 horas de vida. Na verdade, pode acontecer entre 10 a 30 horas, mas o tempo ótimo é entre 13 a 16 horas. Apresentando o estímulo 35 ou 40 horas após saírem da casca, não há aprendizagem. Assim, o imprinting fornece um exemplo perfeito da cuidadosa harmonia do potencial biológico com o encontro com o estímulo ambiental para a produção de um comportamento.

E qual é a relevância?

Bom, isso significa que, assim como existe o imprinting nos animais não humanos, existe também o que chamamos de períodos críticos para animais humanos.

Assim, há um tempo crítico para que determinado comportamento seja estabelecido na vida da pessoa, e esse período é aquele onde pode ser maior aproveitado a interação da hereditariedade com o meio ambiente. Em outros momentos que não seja o período crítico pode até haver aprendizagem, mas não se dará com o mesmo potencial.

Para o homem há que se relevar a maturação adequada do sistema central e periférico, os músculos, o aparelho sensorial e os órgãos para que os estímulos externos possam produzir uma aprendizagem de comportamentos. Se a estimulação não for no momento certo, a base física pode se atrofiar, pode-se ocorrer distúrbios biológicos ou psicossociais.

Exemplos de períodos críticos:
a) desenvolvimento dos órgãos sexuais do feto: período de 6 a 7 semanas após a concepção

b) desenvolvimento da visão: período dos sete primeiros anos de vida


Os períodos críticos usualmente são usados para se referir a aquisição de aspectos ligados a biologia (maturação). Para o aquisição de aspectos ligados a psicologia, tem-se os períodos delicados, sensíveis ou ótimos. Períodos delicados seriam aqueles no qual um comportamento poderia se desenvolver em seu potencial pleno.

Exemplos de períodos delicados:


a) linguagem: período dos doze primeiros anos de vida – estimulação lingüística deve ocorrer nessa fase

b) relações interpessoais/apego aos pais: primeiro ano de vida – René Spitz demonstrou que um bebê necessita de afagos físicos reais para sobreviver

c) períodos de podas neurais: 7 meses e na adolescência – período em que o cérebro sofre verdadeiras podas ou mortes de neurônios que não estão sendo utilizados. Por isso se fala tanto da necessidade de estimular e do período complexo que é a adolescência.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   4   5   6   7   8   9   10   11   ...   55


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal