Questões sobre psicologia do desenvolvimento


Lawrence Kohlberg – Desenvolvimento moral



Baixar 386,75 Kb.
Página16/55
Encontro04.03.2018
Tamanho386,75 Kb.
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   55
Lawrence Kohlberg – Desenvolvimento moral

Concebeu a teoria do desenvolvimento moral, com sua tese de doutorado em 1958. Esse desenvolvimento se dá em estágios, os mesmos para todas as pessoas, seja qual for o país ou cultura. Teoria resultante de 20 anos de estudos longitudianis com crianças e adultos, de ambos os sexos, e de diferentes classes sociais, realizado em vários países. As pessoas, o início do estudo, estavam com idades variando entre 10 e 16 anos e foram observadas até os 30 e 36 anos. Kohlberg faleceu em 1987.

Angela Biaggio comprovou a teoria kohlberguiana para o Brasil.

Geralmente os dilemas expostos por Kohlberg expunham os entrevistados a situações limites, o que remetia a profundas dúvidas sobre a opção mais correta que se deve tomar. A fim de explorar o raciocínio da criança a respeito de um problema moral difícil, como o valor da vida humana ou as razões para fazer coisas “certas”. Kohlberg criou diversos dilemas, sendo um de seus mais famosos, o chamado “O Dilema de Heinz”, apresentado abaixo:

“Na Europa, uma mulher estava quase à morte, com um tipo específico de câncer.

Havia um remédio que os médicos achavam que poderia salvá-la. Era uma forma de rádio [elemento químico altamente radioativo] que um farmacêutico da mesma cidade havia descoberto recentemente. O remédio era caro para se fazer e o farmacêutico estava cobrando dez vezes mais do que ele lhe custava na fabricação. Ele pagava 200 dólares pelo rádio e cobrava 2000 dólares por uma pequena dose do remédio. O marido da mulher doente, Heinz, procurou todo mundo que ele conhecia para pedir dinheiro emprestado, mas só conseguiu aproximadamente 1000 dólares, a metade do preço do remédio. Ele disse ao farmacêutico que sua mulher estava morrendo e pediu-lhe para vender o remédio mais barato ou deixá-lo pagar o restante depois. Mas o farmacêutico disse: “Não, eu descobri o remédio e vou ganhar muito dinheiro com ele”. Então Heinz ficou desesperado e assaltou a farmácia para roubar o remédio para sua mulher.”

Outro de seus famosos dilemas seria o dilema de Jane, apresentado, por sua vez, por FONTANA (1998, p. 254):

“ A mãe de Jane promete que ela poderá ir ao baile no sábado se lavar a louça

durante a semana inteira. Jane lava a louça, mas chegando o sábado, sua mãe diz ter mudado de idéia, e não a deixará ir ao baile. Jane sai escondida de casa e vai ao baile, confiando o segredo à sua irmã Mary. Mary deve contar o fato para a mãe?”

Não existe uma solução claramente correta ou incorreta para o dilema, apontam DE VRIES e ZAN (1998). A parte menos importante é o “sim” ou “não” das pessoas, mas os argumentos por trás das respostas sobre o que o personagem do dilema faria. Ele afirma, segundo as autoras, que as pessoas podem defender a mesma ação por razões muito diferentes, que representam distintos estágios do raciocínio.

Assim, o que define o desenvolvimento moral da pessoa é o modo pelo qual ela justifica o comportamento sugerido.

Cada fase possui 2 estágios:

- moralidade pré-convencional: estágios 1 e 2,

- moralidade convencional: estágios 3 e 4 e



- moralidade pós-convencional: estágios 5 e 6







Compartilhe com seus amigos:
1   ...   12   13   14   15   16   17   18   19   ...   55


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal