Província da África Austral – Sector de Moçambique



Baixar 352,92 Kb.
Página61/72
Encontro28.11.2019
Tamanho352,92 Kb.
1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   72
54. “Água da Rocha” …

Um momento de graça para reencontrar e conhecer a Deus…”


WEB PAGE 09/04/2009
‘Água da Rocha’, documento forte e significativo, baseado no Evangelho, chegou para cada Marista, irmão ou leigo, como uma bênção. Para mim foi um presente muito significativo e uma luz em meu caminho de Irmão marista. « A água viva » deste livro forma torrentes de água viva para aqueles que lêem, vivem e rezam esse livro maravilhosamente elaborado.

Este livro bem feito tem um estilo distinto. A ilustração é linda e rica de sentido. As imagens são muito pertinentes, e as que são familiares tornam o texto ainda mais eficaz. É gostoso ler ou simplesmente folhar esse documento simples, atrativo e impresso em papel de qualidade.

No começo, era, sobretudo, a apresentação exterior do livro que me agradava. Sentia-me honrado e gostava de oferecê-lo como presente. Continuei com essa impressão e com essa atitude até o momento de um retiro baseado sobre esse texto, para os Irmãos do Paquistão.

Então comecei a descobrir o tesouro escondido nessas palavras e nesses símbolos. Depois, o livro se tornou uma referência para mim e uma fonte para minhas leituras espirituais, minha oração pessoal e comunitária. Entretanto, a verdadeira fisionomia do volume ficou escondida, até que me fosse revelado por um conferencista que veio ao Paquistão (o país da pureza), em meio à agitação desse país politicamente perturbado.

Estava ávido e contente por ter feito a viagem até Peshawar, apesar do risco de ficar bloqueado por causa da ‘Longa Marcha’ organizada por M. Nawaz Sharif, o chefe da oposição. Alegrei-em por ter conseguido conhecer melhor esse documento para inspirar-me em seus pensamentos e intuições.

O animador foi excelente e tirou como que um véu para fazer-nos descobrir a beleza da obra. Pude então observar suas estrelas brilhantes com um telescópio e não mais a olho nu. Podia ver o livro com clareza e compreender o sentido de seus símbolos. Descobri, então, pessoalmente, um escrito capaz de enriquecer minha vida. Isso permitiu que também eu enriquecesse a vida dos outros, tornando-me uma fonte de água viva. O material usado nesse livro é importante, inspirador e útil para a espiritualidade marista. É nutritivo como a Palavra de Deus, quando a lemos. A leitura de “Água da Rocha” não pode deixar de nos transformar para melhor. Suas palavras são eficazes se nos dermos a pena de lê-las e de meditá-las.

Sei que vivi um tempo de grande mudança e de crescimento, uma ocasião de viver a graça de reencontrar e de conhecer Deus, de conceber a riqueza de nossa congregação, de nossa tradição e do carisma de Marcelino Champagnat.

Desejo felicitar a Comissão e aqueles que produziram esse excelente “pão a ser dividido e partilhado”. Tornou-se o meu pão, e sinto o desejo de ser partido e partilhado segundo nossa tradição marista.

Fui tocado pelo número 54. Descobrimos a Deus em todas as situações em que nos encontramos: “As experiências da vida diária são instâncias especiais de encontro com Deus. A presença de Deus se manifesta na criação e nos acontecimentos cotidianos: no trabalho e nos relacionamentos, no silêncio e no barulho, nas alegrias e tristezas, nas conquistas e sofrimentos, na tragédia e na morte.” Vejo Deus presente em cada um daqueles que contribuíram para escrever este livro. Vejo aí a mão de Deus e experimento fortemente sua presença nesse documento.

Que modo eloquente e bonito de concluir esta obra: convida-nos a ter um olhar novo e a « sonhar » novos sonhos! Sinto-me encorajado, pressionado e provocado a passar à ação e de fazer desse livro uma realidade em minha vida. Mexo-me, desafio-me e inspiro-me para avançar. Preciso elevar o olhar para longe. O documento me dá uma visão nova da vida marista e me ajuda a imaginar um futuro novo para o Irmão marista.

Estou convencido que este documento representa um impacto imenso em minha vida. Encontro nele minhas verdadeiras emoções.

Uma vez, um moço pediu a seu avô: Vovô, por que você lê a Bíblia cada dia? Que vantagem encontra nisso? O avô lhe respondeu: “Vá procurar a cesta do carvão.” O rapaz foi buscá-la. O avô pediu-lhe então de ir buscar água no riacho. O rapaz trouxe água e percebeu que, com o tempo, a cesta se apresentava sempre mais limpa. O avô perguntou ao jovem: “O que aconteceu com a cesta?” Ele respondeu: “Agora ela está limpa.” Ao que o avô respondeu: “Exato! É isso o que nos acontece quando lemos a Bíblia cada dia. A Palavra de Deus nos purifica, nos vivifica e dá sentido à nossa vida. Ela nos ilumina e torna melhores.”

Creio que é isso o que acontece com aqueles que querem se purificar. Tenho certeza de que continuando a ler, a refletir, a rezar e a viver as palavras de “Água da Rocha”, purificar-me-ei e tornar-me-ei torrente de água viva.

Como Marcelino e gerações de Maristas de todo o mundo, fazemos a experiência de Deus em cada coisa. Rezo para que sejamos todos apaixonados por Deus e compassivos para com os outros, porque são essas as verdadeiras razões de nossa vocação de irmãos e leigos maristas. Possa esse livro ser ocasião de graça para encontrar e conhecer a Deus!

______________
Paul Samuel Bhatti, FMS, março de 2009.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   57   58   59   60   61   62   63   64   ...   72


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal