Província da África Austral – Sector de Moçambique


Reflexões depois de um retiro sobre Água da Rocha



Baixar 352,92 Kb.
Página56/72
Encontro28.11.2019
Tamanho352,92 Kb.
1   ...   52   53   54   55   56   57   58   59   ...   72
49. Reflexões depois de um retiro sobre Água da Rocha
Fundamento da espiritualidade marista
web page 09/02/2009
O mundo da espiritualidade é a razão de ser de uma vida consagrada marista. Isto é indiscutível. Mas pergunto-me: Qual é o fundamento de uma espiritualidade? Onde nasce? Qual é essa água que dá vida? Qual é esse tesouro que, ao encontrá-lo vale bem a pena deixar tudo para o possuir?

No mundo espiritual da humanidade, a começar pelo Antigo Testamento, encontramos a história de um Deus que opta pelo mais débil, pelo mais pobre. Escolheu um ancião para formar um povo.

Este Deus nasce entre os animais de Belém e é visitado, em primeiro lugar, pelos pastores. Isto não entra na lógica do ser humano. Como pode um Deus nascer assim tão desprovido de tudo?

E Jesus viveu entre os pobres e os pecadores, assim como sua Mãe. Morre como um condenado na cruz. Jesus viveu pobremente, sem recursos de maior.

Marcelino é um camponês da França. Decide fundar um Instituto depois de ter encontrado a crua realidade da pobreza do jovem Montagne. Os seus primeiros Irmãos são homens do campo, sem grandes títulos de intelectualidade.

E poderíamos continuar assim analisando a história da salvação. Há um elemento que se repete constantemente: a opção de Deus pelo mais pobre. Porquê esta obsessão de Deus? Isto é talvez um mistério da espiritualidade. Não tenho respostas.

Contudo, não se entende a espiritualidade sem esta opção pelo pobre. É a base, o fundamento de toda a espiritualidade. É o ponto que traz à terra toda a espiritualidade. Se pomos de lado os meninos e os jovens pobres do mundo marista, a espiritualidade “marceliniana” cairia por terá como um baralho de cartas.

A opção pelo pobre na vida Marista não é precisamente igual à Franciscana, à Dominicana, à Consolata, entre outros carismas. A nossa opção pelo pobre está centrada nos meninos e na juventude abandonada. É isto que nos torna diferentes dos outros.

Este ponto é muito claro em Água da Rocha. A espiritualidade tem o seu centro no menino e o jovem pobre (cf AR, 9) Que têm eles para que Deus se torne presente neles? Que mistério existe nos meninos e nos jovens pobres? Que têm de divino? Por que é que ao ir ao pobre, me encontro com o Deus Vivo, com o Deus de Jesus? Porque é que Deus decidiu revelar-se entre os pobres? Isto é um mistério que ultrapassa toda a racionalidade humana.

O que eu sei é que para crescer espiritualmente necessito de ir ao encontro dos meninos e dos jovens pobres. É uma necessidade existencial para nós, Maristas (cf AR, 148-150). A partir de aqui, sim, posso compreender o seguimento de Jesus, posso compreender MARIA (o tema mais presente em AR), CHAMPAGNAT (cf AR, 144), a vocação de IRMÃO (cf AR, 119), as três violetas, o Espírito de Trabalho (cf AR, 39-40), a Comunidade Marista (cf AR, Capítulo 3), a Missão (cf AR, Capítulo 4), etc. Algo assim, como abrir os olhos e ver os novos céus. A vida se descortina de um modo diferente.

A espiritualidade nasce da pobreza material dos actores protagonistas da vida marista, isto é, dos seus fundadores: Champagnat e os primeiros Irmãos (cf AR, 12, 15). Mas com um único fim de servir a outros pobres, como eram os meninos e jovens pobres da França pós-revolucionária (cf AR, 8-10). Marcelino converte-se no instrumento do Pai para responder às necessidades ingentes dos adolescentes se da juventude do campo.

Comprometer-se na vida marista significa compreender assim a espiritualidade. Daqui nascem os desafios que se colocam a nível de Instituto, Provincial, Comunitário e Pessoal. Isso conduz-nos a tomar decisões audazes para ser fiéis a esta espiritualidade marista, nascida com São Marcelino Champagnat. Opções que nos levem aos meninos e jovens mais pobres da América Latina.

____________
Hno. Ángel González
Caracas, Dezembro de 2008




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   52   53   54   55   56   57   58   59   ...   72


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa