Província da África Austral – Sector de Moçambique


Leitura do documento Água da Rocha, em Manila



Baixar 352,92 Kb.
Página27/72
Encontro28.11.2019
Tamanho352,92 Kb.
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   ...   72
25.Leitura do documento Água da Rocha, em Manila
Ano de Espiritualidade Marista
web page 08/08/2008
Dia 16 de Junho de 2008, dento das celebrações dos 60 anos da província, tivemos, no Colégio Marista de Manila, uma primeira sessão sobre o livro Água da Roca. Dia 17 foram realizadas mais duas sessões com os alunos maiores.

Esta sessão foi dedicada aos professores da escola. Era um conjunto de 160 professores. Não é fácil manter a atenção de 160 professores durante muito tempo. Por isso optamos sobretudo por um trabalho em grupo. Depois de uma breve apresentação da história do documento, os professores foram chamados à atenção do desejo da Comissão expresso no último parágrafo do seu texto. O livro deve servir para: 1) enriquecer a oração; motivar a reflexão; 3) inspirar a acção. O que estávamos vivendo no Colégio e o que os Irmãos e Leigos Maristas viveriam estes 12 dias nas Filipinas respondia a esse desejo da Comissão. A sessão tinha começado com uma oração baseada no livro; o exercício que se faria ao longo das duas horas e meia de trabalho, sobretudo a actividade em grupos, seria um momento de reflexão; as 17 intervenções programadas nas diferentes obras maristas do sector eram também um claro exemplo de acção e iniciativas inspiradas por Água da Roca.

Os professores foram divididos em 15 grupos de 11 pessoas cada um. Cada grupo devia ler à volta de 10 números cada um. Em meia hora o livro estava lido. A cada grupo se pediam três coisas: 1) escrever as ideias importantes recolhidas na leitura anotando as intuições teológicas e religiosas aí presentes; 2) as impressões recolhidas deviam preparar o terreno para escrever um pequeno artigo para a página WEB; 3) ao partilhar no grande grupo, cada grupo estava absolutamente proibido de relatar tudo o que tinham encontrado, mas devia limitar-se a UMA ideia fundamental, UMA SÓ, importante para a Espiritualidade Marista. O resultado foi o seguinte:

Grupo 1 (nº 1-10): A espiritualidade marista é uma espiritualidade de paixão por Deus e de compaixão pelos demais (AdR, 1)

Grupo 2 (nº11-18): Ao beber dos rios de água viva, nós nos convertemos também em água viva para os outros (AdR, 14)

Grupo 3 (nº 19-29): Os três lugares são indispensáveis para viver a Espiritualidade Marista (AdR, 20) e a Eucaristia fo9nte e ponto mais alto da vida cristã condiz-nos ao centro da vida espiritual marista (AdR, 23).

Grupo 4 (nº 30-43): O espírito de família, característica importante da Espiritualidade Marista (AdR, 30-32) não pode prescindir hoje da presença feminina que enriquece o modo de nos relacionarmos e de definir o nosso apostolado (AdR, 31) (Obs: 90% da Assembleia era composta por mulheres).

Grupo 5 (nº 44-52): Maria pode ajudar-nos a responder às questões existenciais que nos colocamos (AdR, 48): como ela somos chamados a viver na fé e na confiança a erupção de Deus nas nossas vidas (AdR, 51).

Grupo 6 (nº 53-64): Como Marcelino podemos encontrar Deus em todas as situações. O mundo deve ser para nós um lugar de encontro com Deus, de missão e de santificação (AdR, 64)

Grupo 7 (nº 65-70): Uma espiritualidade de contemplação e de acção: à medida que nossas vidas se centram em Deus também nos enchemos de compaixão e nos sentimos impulsionados ao serviço dos necessitados (AdR, 70)

Grupo 8 (nº 71-79): A nossa oração tanto pessoal como comunitária é apostólica; recolhe as penas e as alegrias, as angústias e as esperanças daqueles que Deus pões no nosso caminho (AdR, 77).

Grupo 9 (nº 80-90): A Eucaristia está no centro das nossas vidas. Viver eucaristicamente é saber-nos acolhidos, abençoados por Deus, disponíveis e oferecidos aos demais (AdR, 86)

Grupo 10 (91-102): A mesa do Senhor é um símbolo central de comunhão e doação pessoal, assim como a mesa de La Valla é um poderoso símbolo de família e de serviço para a comunidade que Marcelino criou (AdR, 90-91). Nós somos essa comunidade.

Grupo 11 (103-113): A experiência de dar e de receber desafia-nos a combater a nossa tendência ao individualismo (AdR, 108) e faz-nos compreender que não podemos desenvolver-nos em plenitude senão estamos comprometidos com os outros (AdR, 109).

Grupo 12 (114-123): As palavras irmão e irmã expressam de um modo muito rico o estilo Marista de viver as relações entre as pessoas. Ser irmão ou irmã é um modo de se relacionar que inspira confiança nas pessoas e lhes dá esperança (AdR, 119).

Grupo 13 (124-134): Maria mostra-nos que, tanto a contemplação como a acção são elementos indispensáveis da Espiritualidade Marista (AdR, 131).

Grupo 14 (135- 143): Desejamos ser a memória visível e permanente do amor e da presença misericordiosa de Deus junto às pessoas: sinais vivos da ternura do Pai. Vivendo com Deus, aprendemos a ser como Ele: pastor, amigo, companheiro fiel (AdR, 137).

Grupo 15 (144-152): Quando a nossa missão está concluída, avançamos para outros lugares que exigem a nossa presença. Esta dimensão da espiritualidade Marista inspira milhares de Maristas a responderem com generosidade ao chamamento da Missão Ad Gentes (AdR, 149-150).

_________________
Manila, 29 de Junho de 2008




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   23   24   25   26   27   28   29   30   ...   72


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal