Projeto pedagógico do curso de farmácia da faculdade de ciências sociais e agrárias de itapeva fait


Art. 9° - Os estágios devem contemplar cenários de prática do Sistema Único de Saúde (SUS) nos diversos níveis de complexidade. 137



Baixar 3.13 Mb.
Página7/295
Encontro30.11.2019
Tamanho3.13 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   295
137

Art. 9° - Os estágios devem contemplar cenários de prática do Sistema Único de Saúde (SUS) nos diversos níveis de complexidade. 137

Art. 10 - A Farmácia Ensino constitui um cenário obrigatório de prática, visando à execução de atividades de estágio obrigatório, para todos os estudantes do curso. 137

V – DA ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 137

Art. 11 - A organização do estágio supervisionado fica a cargo do Colegiado do Curso em questão, da FAIT, cujas normas devem ser homologadas pelo Conselho de Pesquisa, Ensino e Extensão da Instituição. 137

VI – ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR ORIENTADOR DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 137

Art. 12 - Além do Supervisor da Instituição concedente, o estágio supervisionado em pauta, conta com um professor orientador de estágio, cujas competências, junto ao Coordenador de Estágios, que são: 137

I. Acompanhar a expedição e assinatura dos convênios entre as Instituições concedentes ou receptoras e a FAIT; 137

II. Analisar, preliminarmente, as condições da Instituição concedente ou receptora, se sugerida pelo acadêmico-estagiário, quanto às reais condições de aprendizado do estagiário, no que tange à sua adequação à formação cultural e profissional do educando; 138

III. Orientar o preenchimento de documentos, ou elaboração, do relatório, por parte do acadêmico-estagiário; 138

IV. Orientar a elaboração ou reelaboração de normas ou critérios específicos para a realização das atividades de instrumentação prática e/ou de estágio com base neste regulamento; 138

V. Orientar os acadêmicos quanto à área de estágio; 138

VI. Organizar e manter cadastros de instituições que oferecem de vagas para Estágio; 138

VII. Acompanhar a avaliação do acadêmico-estagiário durante o bimestre, expedindo, no final, uma nota que será encaminhada para Secretaria Geral da FAIT; 138

VIII. Promover e divulgar as oportunidades de Estágios, mediante eventos realizados nos cursos ministrados. 138

VII – DAS ATRIBUIÇÕES DO ESTAGIÁRIO 138

Art. 13 - As atribuições do estagiário são: 138

I. Submeter à apreciação do Coordenador através do seu professor-orientador, todas as ações que executar, sendo este responsável por elas; 138

II. Obedecer ao Código de Ética Profissional; 138

III. Manter, em relação às pessoas da empresa concedente do estágio, atitudes de constantes respeito e coparticipação, de forma que as decisões tomadas considerem sempre seus pontos de vista e suas necessidades em relação ao trabalho; 138

IV. Comparecer, assiduamente e pontualmente aos encontros de supervisão, apresentando os registros processuais das atividades desenvolvidas no período correspondente; 138

V. Recusar a participação em atividades fora do âmbito acadêmico sem supervisão, sob a pena de prática ilegal do exercício da profissão; 138

VI. Cumprir o Regulamento do Estágio. 138

VII. O acadêmico-estagiário, desde a celebração do convênio até o seu término, é o único responsável pelas suas atitudes pessoais ou danos materiais que causar à Instituição concedente ou receptora. 139

Parágrafo único - Em caso de rescisão do convênio por parte da entidade receptora, cabe ao aluno providenciar outros contatos para reiniciar o estágio em outra entidade, devendo-se apresentar imediatamente à Coordenação, para viabilização da continuidade do mesmo, sob pena de serem atribuídas faltas presenciais, além de não ser avaliado. 139

VIII - DAS CONDIÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIOS 139

Art. 14 - Para realizar as atividades de estágio, o aluno deverá estar regularmente matriculado no curso. 139

Parágrafo único - A realização do estágio, por parte do acadêmico de Farmácia da FAIT, não acarreta vínculo empregatício de qualquer natureza e não gera encargos sociais. 139

Art. 15 - A sistemática de encaminhamento dos alunos para os estágios obedecerá aos critérios estabelecidos pela FAIT, os quais determinarão a prioridade para a escolha do campo de estágio, sendo o estágio curricular obrigatório, nas áreas de atuação conforme percentual estabelecido de acordo com as Diretrizes Nacionais Curriculares do Curso de Graduação em Farmácia e o aluno deverá concluir a programação do estágio dentro do prazo estabelecido. 139

Art. 16 - O estágio supervisionado será integralizado após o aluno cumprir a carga horária total e receber um parecer favorável de aprovação de seu supervisor de acordo com normas de avaliação. 139

Art. 17 - O aluno que, por qualquer motivo, deixar de frequentar o estágio, não poderá concluir o Curso de Farmácia enquanto não cumprir o mesmo. 139

IX - DAS ETAPAS NECESSÁRIAS PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIOS 139

Art. 18 - A realização do estágio supervisionado deve seguir as seguintes etapas: 140

I. O aluno indica ao coordenador, a empresa ou instituição onde pretende realizar o estágio, considerando o percentual definido de acordo com os cenários de práticas estabelecidos no Art. 7°. 140

II. O coordenador, através da direção, oficia à empresa/instituição indicada, consultando sobre a viabilidade de aceitar o aluno para o estágio e após resposta da empresa/instituição, a regularização de todos os documentos deverá ser providenciada pelo aluno antes da realização do estágio. 140

III. O aluno deverá verificar o site da FAIT, providenciar os formulários conforme disponibilizado. 140

IV. Os alunos deverão preencher todos os formulários exigidos pela FAIT, assim como aqueles que, porventura, forem exigidos pela instituição/órgão concedente do campo de prática e deverão apresentar ao professor orientador de estágio, que irá apresentar à coordenadora do curso, dentro de prazo pré-estabelecido, todos os documentos. 140

V. Os documentos, após conferidos serão devolvidos aos alunos, que deverão entregar para o concedente do estágio a 1ª via da documentação preenchida e assinada, pela diretora da FAIT e pelo estudante, assim como guardar a 2ª via do estágio. A 3ª via do termo de compromisso do estágio vigente deverá ficar na guarda do aluno depois da conferência do orientador de estágio. 140

VI. Ao término da primeira etapa, o aluno deverá encaminhar, ao coordenador, por meio do orientador de estágios, um relatório parcial de suas atividades, acompanhado de declaração da empresa/instituição, em impresso próprio, atestando a execução do trabalho e o registro da frequência no estágio, para relatório. 140

VII. Ao término da segunda etapa, o aluno deverá encaminhar um Relatório Final, contendo toda a fundamentação do plano desenvolvido. 140

VIII. Após correção pelo professor-orientador, o aluno deverá encadernar o Relatório Final/Caderno de Estágio, contendo a documentação original, fotos ou outros registros, seguindo as orientações das “Instruções para elaboração do Relatório Final - Estágio Supervisionado”. 140

IX. Entregar ao Coordenador o Relatório Final ou Caderno de Estágio devidamente encadernado para avaliação. 140

X. Caso o relatório esteja incompleto ou necessitando correções o orientador poderá solicitar ao aluno uma correção e uma nova encadernação. 141

X – DA DOCUMENTAÇÃO E PRÉ-REQUISITOS OBRIGATÓRIOS 141

Art. 19 - Os alunos devidamente matriculados nas disciplinas de estágio deverão apresentar ao professor orientador de estágio, que encaminhará à Coordenadora do Curso de Farmácia, dentro de prazo pré-estabelecido, os seguintes documentos: 141

I. Lista de empresas conveniadas com a FAIT, destacando a empresa escolhida para a realização do estágio. 141

II. OBS: caso a empresa não esteja conveniada deverá ser firmado o respectivo instrumento jurídico, que deverá ser preenchido, devidamente assinado, em três vias (1ª via para a Empresa concedente de estágio, 2ª via o aluno e 3ª via para o NUEST). 141

III. Termo de Compromisso Individual, devidamente assinada, em três vias (1ª via para a Empresa concedente de estágio, 2ª via o aluno e 3ª via para o NUEST). 141

IV. Carta de estágio que deverá ser solicitada pelo aluno na secretaria. 141

V. Carteirinha da faculdade, que deverá ser solicitada na secretaria e servirá como identificação do aluno no local de estágio. 141

VI. Seguro contra acidentes pessoais, em favor do aluno (cópia). 141

VII. Carteira de vacinação completa (cópia). 141

VIII. Cronograma de estágio. 141

XI – DOS CRITÉRIOS DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO 141

Art. 20 - Cabe ao acadêmico cumprir o programa oferecido pela FAIT, sendo este acompanhado através do professor orientador de estágio, coordenador de estágios e coordenação do curso, observando o meio, os cenários de práticas, analisando sua racionalidade e métodos, em perquirição formal do desempenho da estrutura, função ou processo dentro da instituição que desenvolverá seu estágio. 141

141

Art. 21 - Acompanham as atividades de estágios os professores orientadores da IES. Para o desenvolvimento do estágio, são observadas, pelos alunos e professores, as Normas Gerais da FAIT, aprovadas pelo Conselho Superior e pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, e as normas específicas, que incluem avaliação do estagiário, submetida à aprovação do colegiado de curso no qual está inserido. 142

Art. 22 - A avaliação da aprendizagem caracteriza-se no processo contínuo e acumulativo focalizado no desempenho do aluno, tanto na prestação de serviços a organização concedente em atividades práticas correlatas, definidas no Plano de Ensino do Orientador e no projeto de estágio do aluno-estagiário, com critério de pontuação variando de 0 (zero) a 10 (dez). 142

Art. 23 - O aluno é considerado aprovado quando alcança a média final igual ou superior a 7,0 (sete) pontos e frequência igual a 100%. 142

Art. 24 - Não há abono de faltas e cada aluno deverá, diariamente, responder à freqüência que ficará sob a responsabilidade do farmacêutico técnico responsável. 142

Art. 25 - A pontualidade e a assiduidade serão consideradas como critérios de avaliação essenciais para a elaboração da nota. O aluno terá tolerância de 15 minutos de atraso para o início das atividades, após os quais o aluno terá falta registrada para todo o período. O aluno deverá comunicar antecipadamente e por escrito ao farmacêutico técnico responsável, todo horário não cumprido (atraso ou saída antecipada) e faltas justificadas. 142

Art. 26 - A avaliação do aluno, em campo de estágio, tem como base os seguintes aspectos: 142

I. Assiduidade; 142

II. Pontualidade; 142

III. Apresentação pessoal: uniforme e aparência; 142

IV. Iniciativa, interesse, maturidade, comprometimento, criatividade; 142

V. Relacionamento com a equipe, professores, colegas e clientes; 142

VI. Preocupação consigo mesmo, com as tarefas, com os colegas e a Instituição; 143

VII. Postura comportamental, ética e profissional; 143

VIII. Motivação e envolvimento; 143

IX. Responsabilidade; 143

X. Liderança; 143

XI. Aceitação positiva de críticas; 143

XII. Execução das atividades, cumprimento de prazos e horários; 143

XIII. Produtividade; 143

XIV. Habilidade para técnicas específicas; 143

XV. Habilidade de comunicação oral e escrita; 143

XVI. Domínio da terminologia própria; 143

XVII. Relação teórico-prática. 143

Art. 27 - São considerados aspectos transdisciplinares a serem observados durante a realização do estágio: 143

I. Pontualidade e assiduidade; 143

II. Iniciativa e criatividade no desenvolvimento das atividades de estágio; 143

III. Capacidade de auto-avaliação e disposição para mudanças; 143

IV. Postura ética e profissional adotadas. 143

V. Documentação e pré-requisitos obrigatórios. 143

Art. 28 - As atividades de estágio devem ser documentadas pelo aluno, de acordo com as “Instruções para Elaboração do Relatório de Estágio Supervisionado do Curso de Farmácia”, segundo prazo a ser definido, que deverá ser entregue, para fins de avaliação. 143

Parágrafo único – A entrega de qualquer trabalho ou relatório de atividades para avaliação deve ser protocolado junto à coordenação, dentro do prazo previsto, sob pena de não serem aceitos. 143

Art. 29 - O estagiário deve registrar a Ficha de Controle de Presença, que deve ser conter os dados da Instituição, da unidade concedente do estágio e do estagiário, tais como: 143

I. Nome da empresa e endereço; 144

II. Nome do estagiário; 144

III. Nome do supervisor (da empresa concedente); 144

IV. Nome do professor-orientador (da Instituição); 144

V. Data com o respectivo horário de início e término das atividades; 144

VI. Descrição das atividades realizadas; 144

VII. Assinatura do supervisor responsável da Empresa e também do professor-orientador. 144

§ 1° Ao término do estágio, a ficha controle de presença deverá ser entregue juntamente com o Relatório e a pasta de estágio a coordenação pelo professor-orientador, após conferência. 144

§ 2° Os estagiários devem ter o controle diário da frequência, pois o não-preenchimento da mesma impedirá a aprovação do mesmo na disciplina de Estágio Supervisionado. 144

XII – DA CONDUTA DO ALUNO EM ATIVIDADE PRÁTICA DE ESTÁGIO 144

Art. 30 - São determinações que o aluno deverá ter atenção especial, ao entrar em campo de estágio: 144

I. Usar uniforme e estar devidamente paramentado; 144

II. Cabelos presos; 144

III. Unhas curtas (rente aos dedos) e esmalte incolor; 144

IV. Alunos do sexo masculino deverão estar com a barba bem feita; 144

V. Não ausentar-se do campo de práticas, durante o horário de atividades, salvo quando autorizado pelo responsável técnico ou professor/supervisor; 144

VI. Observar as normas da instituição na qual se desenvolve as atividades de estágio; 144

VII. Evitar manifestações barulhentas em qualquer recinto da empresa concedente de estágio; 144

VIII. É proibido fumar, consumir bebidas alcoólicas e usar drogas no local e período de estágio; 144

IX. Se for observada, pelo preceptor, uma situação em que o aluno esteja alcoolizado ou drogado, o mesmo deverá ser retirado das atividades de estágio; 145

X. O aluno deverá recusar qualquer tipo de gratificação pelo trabalho prestado nas suas atividades práticas; 145

XI. O aluno não deverá usar aparelho celular durante as atividades práticas de estágio; 145

XII. O aluno deverá acatar os horários estabelecidos no início das práticas, admitindo-se mudanças, a critério da coordenação de curso e das atividades práticas; 145

XIII. O uso constante do crachá de identificação é obrigatório; 145

XIV. O aluno deverá arcar com os custos de transporte para o local destinado aos estágios ou atividades práticas; 145

XV. O aluno deverá adquirir e portar o seguinte material: a) Jaleco - na cor branca, à altura dos joelhos e com mangas compridas. b) Jaleco - na cor branca, mangas curtas (para atividades em que não esteja prevista a utilização do jaleco de mangas compridas); c) Calça branca; d) Camisa branca; e) Sapato fechado na cor branca; f) Caneta esferográfica azul ou preta; g) Bloco para anotações ou caderno; h) Luvas de procedimento, máscara e touca. 145

XVI. O aluno deverá usar roupas de acordo com as normas da FAIT, as quais são descritas a seguir: a) Roupa branca: camisa ou camiseta de manga e calça comprida; b) Jaleco branco e longo, manga comprida ou curta (conforme exigência do campo de estágio), poderá conter o nome do aluno e o logotipo do curso de Farmácia e/ou da FAIT; não poderá conter logotipo de outras instituições, a menos que seja da instituição/empresa concedente do estágio; c) Não é permitido o uso de bermudas, saia, blusa ou camiseta decotada, ou cavada; d) Sapato branco, fechado e de material impermeável; a acadêmica não poderá entrar em campo de estágio com sapato de salto fino e alto (acima de 5 cm); 145

XVII. Qualquer reclamação, solicitação ou reivindicação deverá ser dirigida, diretamente ao preceptor da área, que fará os devidos encaminhamentos. 145



Baixar 3.13 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   ...   295




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
Processo seletivo
ensino médio
Conselho nacional
minas gerais
terapia intensiva
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
secretaria municipal
outras providências
políticas públicas
catarina prefeitura
recursos humanos
Conselho municipal
Dispõe sobre
ResoluçÃo consepe
Colégio estadual
psicologia programa
consentimento livre
ministério público
público federal
extensão universitária
língua portuguesa