Projeto pedagógico do curso de farmácia da faculdade de ciências sociais e agrárias de itapeva fait



Baixar 3,13 Mb.
Página227/295
Encontro30.11.2019
Tamanho3,13 Mb.
1   ...   223   224   225   226   227   228   229   230   ...   295

6.1.2. Acessibilidade

Para que se efetive, devem ser observados:


a) O mapeamento da rede física, do mobiliário e dos equipamentos da FAIT, com vistas a conhecer as necessidades de reforma e reaparelhamento;

b) Adequação da rede física, do mobiliário e dos equipamentos da FAIT para atender a nova proposta;

c) A promoção de estudos que visem sistematização e a adequação dos currículos para atender aos diferentes níveis de ensino, modalidades de atendimento e necessidades educativas dos novos alunos;

d) Criação de um núcleo de apoio com sede na Instituição;

e) Adequação dos procedimentos metodológicos e avaliativos em função de atender as necessidades educativas do aluno;

f) Capacitação permanente para professores e técnicos administrativos;

g) Parcerias com instituições diversas, objetivando a captação de recursos financeiros, destinados a equipar salas de apoio;

h) Sensibilização da comunidade interna acerca dos direitos e deveres das pessoas com necessidades educacionais especiais;

i) Garantia da permanência do aluno com necessidades educacionais especiais nas salas regulares de ensino, com atendimento das necessidades específicas nas salas de apoio e as devidas adaptações curriculares;

j) Integração do PNE nas atividades artísticas e culturais da instituição e no serviço de Saúde e Serviço Social, oferecendo, quando necessário, atendimento individualizado;

l) Realização de um trabalho conjunto com o Serviço Social de Orientação Institucional (SIOE) para encaminhar o educando ao mundo de trabalho através do Banco de Dados mantido no núcleo;

m) Oferta de formação inicial e continuada, visando a inserção dessas pessoas na sociedade e no mundo de trabalho;

n) Acesso a níveis mais elevados de ensino e pesquisa e atividades artísticas de acordo com a capacidade de cada um;

o) Quebra de barreiras arquitetônicas e atitudinais.


Alguns princípios a serem adotados:
a) Flexibilidade – ou seja, a não obrigatoriedade de que todos os alunos atinjam o mesmo grau de abstração ou conhecimento, num tempo determinado;

b) Acomodação – considerar que o planejamento de atividades para uma turma, deve levar em conta a presença de alunos com necessidades especiais e, portanto, contemplá-los na programação;

c) Trabalho simultâneo, cooperativo e participativo, entendido como a participação dos alunos com necessidades especiais nas atividades desenvolvidas pelos demais colegas, embora não o façam com a mesma intensidade, nem necessariamente com a mesma ação ou grau de abstração.
A FAIT, possui uma estrutura arquitetônica do contexto atual, já adequada à questão da acessibilidade. Entretanto, a gestão atual tem estabelecido como meta principal a constante adequação, de forma definitiva, às normas da acessibilidade, para tal, toda e qualquer reforma ou construção de novos ambientes recebem os dispositivos necessários previstos no Decreto 5.296 de 02 de dezembro de 2004 em questão.

Considerando diversos aspectos abordados neste decreto, nossa proposta de inclusão encontra-se, certamente, em grau bastante avançado. O tratamento diferenciado nas questões de mobiliário, atendimento ao público, área especial para embarque e desembarque, sinalização e, principalmente a circulação e acesso aos ambientes diversos de atividade estão dispostos dos seguintes requisitos:

- 04 vagas no estacionamento devidamente sinalizadas;

- 01 rampa de acesso aos blocos de sala de aula;

- 01 rampa de acesso à biblioteca;

- 01 rampa de acesso ao segundo nível do terreno;

- 01 rampa de acesso à cantina;

- 01 rampa de acesso aos laboratórios;

- 03 adaptações aos banheiros;

- 01 rampa de acesso ao setor administrativo;

- 01 rampa de acesso ao auditório;

- piso podotátil na maior parte dos setores institucionais;

- placas em braile.
Como se vê, várias ações estão intrinsecamente ligadas à adequação/melhoria da infraestrutura física da Instituição e à aquisição de equipamentos específicos destinados aos portadores de cada tipo de necessidade educativa especial. Assim sendo, torna-se fundamental uma maior priorização, por parte do Ministério da Educação, no sentido de proporcionar as condições orçamentárias necessárias para fazer frente a essas demandas. Se isso não ocorrer, este esforço institucional em definir uma política de inclusão dos PNE se tornará inócua, posto que à FAIT não é disponibilizado, historicamente, orçamento que comporte os investimentos demandados para tornar efetiva essa política.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   223   224   225   226   227   228   229   230   ...   295


©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
santa catarina
Prefeitura municipal
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
Conselho nacional
terapia intensiva
ensino médio
oficial prefeitura
Curriculum vitae
minas gerais
Boletim oficial
educaçÃo infantil
Concurso público
seletivo simplificado
saúde mental
Universidade estadual
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
saúde conselho
educaçÃo física
santa maria
Excelentíssimo senhor
assistência social
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
outras providências
recursos humanos
Dispõe sobre
secretaria municipal
psicologia programa
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
Corte interamericana
Relatório técnico
público federal
Serviço público
língua portuguesa