Projeto pedagógico do curso de farmácia da faculdade de ciências sociais e agrárias de itapeva fait



Baixar 3,13 Mb.
Página174/295
Encontro30.11.2019
Tamanho3,13 Mb.
1   ...   170   171   172   173   174   175   176   177   ...   295

3.4.5. Complexidade do Conhecimento


Na prática, a transdisciplinaridade só pode ser plenamente compreendida à luz do pensamento complexo – um de seus pilares, pois podemos dizer que a complexidade está no fato de que o todo possui qualidades e propriedades que não se encontram em nível das partes (disciplinas ou unidades curriculares) consideradas isoladamente (MORIN, 1996). É um conceito que explica que a maior parte dos sistemas naturais, sejam eles biológicos, psicológicos, socioeconômicos e culturais, é reconhecidamente complexa. Assim, a complexidade também se constitui em uma das bases epistemológicas deste projeto porque ela está presente em todo processo de construção do conhecimento e na aprendizagem, e influencia a nossa lógica ao fazer com que a certeza negocie com a incerteza.

Para Morin (2002), o grande desafio da complexidade reside no duplo desafio da religação e da incerteza, lembrando que é preciso religar o que antes era separado e fazer com que a certeza interaja com a incerteza.

Em relação à aprendizagem e ao conhecimento, um dos aspectos fundamentais da educação atual é aprender a integrar e não apenas separar. Ao mesmo tempo, é importante saber ou aprender a problematizar. É preciso saber integrar disciplinas, conceitos, sujeitos, mantendo nela a marca humana para que se possa promover e valorizar a complexidade humana que envolve os aspectos físicos, biológicos, psicológicos, sociais, culturais e espirituais.

Nos processos educacionais estão envolvidas dinâmicas complexas constituídas de diferentes subsistemas biológico, mental ou psicológico, cultural, social e espiritual. Cada um atua de determinada maneira em função de uma dinâmica não-linear que lhe é própria.

O pensamento complexo que fundamenta o paradigma sistêmico organizacional nos leva a aprender a integrar, a contextualizar e a problematizar. Ensina, também, a aprender a reconhecer o outro em seu legítimo outro, a aprender a incluir a unidade na diversidade, levando-nos a aprender a aprender e aprender a ser.






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   170   171   172   173   174   175   176   177   ...   295


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal