Pressclipping em 23. maio. 2016 "No caráter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude."


Sergio Moro condena José Dirceu a 23 anos de prisão por três crimes



Baixar 0,53 Mb.
Página19/63
Encontro01.06.2019
Tamanho0,53 Mb.
1   ...   15   16   17   18   19   20   21   22   ...   63
Sergio Moro condena José Dirceu a 23 anos de prisão por três crimes

18 de maio de 2016, 12h25



Por Tadeu Rover

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, condenou o ex-ministro José Dirceu, a 23 anos de prisão por crimes como corrupção passiva, recebimento de vantagem indevida e lavagem de dinheiro no esquema de corrupção na Petrobras investigado na operação "lava jato".

Para Moro, reformas de imóveis de interesse de Dirceu foram propina.

De acordo com Moro, a prática do crime corrupção envolveu o recebimento de cerca de R$ 15 milhões em propinas, considerando apenas a parte por ele recebida. Conforme a sentença, o custo da propina foi repassado à Petrobras, através da cobrança de preço superior à estimativa. O juiz, entretanto, afastou o argumento do Ministério Público Federal de que José Dirceu exercia liderança no esquema. Para Moro, não está claro de quem era a liderança.

Quanto ao crime de lavagem de dinheiro, Moro considerou que houve no caso "especial sofisticação", com diversas transações fraudulentas, como simulação de prestação de serviços, com diversos contratos e notas fiscais falsas. Segundo o juiz, os valores de propina ainda foram ocultados em reformas de imóveis de interesse de Dirceu, mas que sequer estavam em seu nome.

Na sentença, Moro considerou "perturbador" o ex-ministro ter continuado se envolvendo em esquemas de corrupção mesmo quando estava sendo julgado pelo Supremo Tribunal Federal na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Na ocasião Dirceu foi condenado pelo STF por corrupção passiva.

Na mesma decisão desta quarta-feira (18/5), o juiz condenou ainda mais 10 pessoas acusadas de integrar o esquema de corrupção e lavagem de dinheiro (veja tabela ao final). Além disso, Moro absolveu, por falta de provas, quatro acusados pelo Ministério Público Federal: Cristiano Kok, José Antunes Sobrinho, Júlio Gerin de Almeida Camargo e Olavo Hourneaux de Moura Filho. 

Até março, Moro já havia proferido 17 sentenças nos dois anos da “lava jato”, condenando 67 réus e absolvendo totalmente outros 12.




: blog -> wp-content -> uploads -> 2016
2016 -> Pressclipping em 06. junho
2016 -> A admiração e o espanto significam que reconhecemos nossa ignorância e exatamente por isso podemos superá-la
2016 -> Pressclipping em 18. abril. 2016 a filosofia não é uma ciência, mas uma atitude
2016 -> Quem olha para fora, sonha; quem olha para dentro, desperta
2016 -> Boletim trab-prev-rh em 11. abril. 2016 Nada existe de bom nem mau, o pensamento é o que torna assim
2016 -> Boletim trab-pev-rh em 25. Jan. 2016 "Minha musa inspiradora é o prazo." Tom Jobim
2016 -> Boletim cont-trib-jur em 04. julho
2016 -> Pressclipping em 22. fevereiro
2016 -> Os fantasmas são fruto do medo. Quem não tem medo não vê fantasmas
2016 -> Quanto menos um homem conhece a respeito do passado e do presente, mais inseguro terá de mostrar-se seu juízo sobre o futuro


Compartilhe com seus amigos:
1   ...   15   16   17   18   19   20   21   22   ...   63


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal