Plano regional de


Temperatura e regime de distribuição das chuvas



Baixar 2.59 Mb.
Página6/63
Encontro16.01.2020
Tamanho2.59 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   63
1.2.2 Temperatura e regime de distribuição das chuvas:


MÊS

TEMPERATURA DO AR (C)

CHUVA (mm)

Mínima média

Máxima média

média

Média

JAN

19.0

31.0

25.0

233.3

FEV

19.0

31.0

25.0

218.2

MAR

19.0

31.0

25.0

136.8

ABR

18.0

30.0

24.0

77.2

MAI

15.0

27.0

21.0

77.8

JUN

14.0

26.0

20.0

57.5

JUL

14.0

27.0

21.0

36.5

AGO

16.0

29.0

23.0

30.9

SET

17.0

29.0

23.0

74.7

OUT

18.0

31.0

25.0

135.7

NOV

19.0

31.0

25.0

131.8

DEZ

19.0

31.0

25.0

217.8
















Ano

17.3

29.5

23.5

1428.2

Min

14.0

26.0

20.0

30.9

Max

19.0

31.0

25.0

233.3

Fonte: CEPAGRI – Centro de Pesquisa Meteorológicas e Climáticas Aplicadas á Agricultura.




1.2.3 Relevo:
Toda área da Regional de Marília está sobre a chamada Província Geomorfológica do Planalto Ocidental. Localizada na parte alta das escarpas típicas do relevo da região se encontra uma divisão deste Planalto denominada Planalto de Marília, onde se localiza o município de Marília. Na divisa do Planalto Ocidental com o de Marília se encontram as escarpas que são circundadas por uma área indivisa, mais homogênea, de relevo suave ondulado.

Portanto, o relevo se apresenta plano a suave ondulado na parte superior, fortemente ondulado na divisa e novamente suave ondulado na parte inferior.

Na região de Marília (SP) ocorrem rochas mesozóicas da Bacia do Paraná (Grupo São Bento e Grupo Bauru) recobertas por depósitos cenozóicos. A maior parte do relevo de Marília tem declividade entre 2 e 45 graus.

As maiores declividades foram observadas junto à escarpa do Planalto de Marília e aos vales (maior que 30º) geralmente entulhados e recobertos por colóquios, que formam rampas junto à escarpa. Estas declividades estão localizadas no lado direito da bacia do Rio do Peixe e ao lado esquerdo da bacia do Aguapeí.

A Regional de Marília está sobre a área de início do planalto paulista, portanto os municípios apresentam em maior ou menor extensão áreas com escarpas, sendo que os municípios localizados ao sul e a oeste apresentam um relevo suave com menor variação na declividade, embora todos apresentem as mesmas características geológicas e pedológicas.

A altimetria varia entre 400 a 720 metros.



1.2.4 Tipos de solos:



MUNICÍPIO

%

SÍMBOLO

DESCRIÇÃO do TIPO de SOLO (*)

Álvaro de Carvalho

85

10

4



1

PV

LV

R


G

Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Latossolo Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico



Alvinlandia

73

15

7



5

PV

PE/PV


LE

R


Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico



Fernão

85

5

8



1

1


PV

PE/PV


LE

R

G


Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico


Gália

86

5

5



3

1


PV

PE/PV


LV

LE

R



Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico


Garça

70

8

13



1

8


PV

PE/PV


LV

LE

R



Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico


Lupércio

82

9

1



8

PV

PE/PV


LE

R


Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico



Marília

71

8

12



7

2


PV

PE/PV


LV

R

G



Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico


Ocauçu

57

4

30



8

1


PV

PE/PV


LE

R

G



Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico


Oriente

80

5

6



8

1


PV

PE/PV


LV

R

G



Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Latossolo Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico


Oscar Bressane

88

3

8



1

PV

PE/PV


R

G


Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico



Pompéia

86

2

10



2

PV

PE/PV


R

G


Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico



Quintana

88

3

5



1

PV

PE/PV


R

G


Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Argissolo Vermelho ou Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico



Vera Cruz

85

3

7



5

PV

LV

R



G

Argissolo Vermelho-Amarelo abrúptico

Latossolo Vermelho-Amarelo

Neossolo Litólico

Complexo Gleissolo Háplico e Neossolo Flúvico


Fonte: Nomenclatura do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos - EMBRAPA - Brasília - 1999.

Fonte: IAC-Carta Pedológica Semi-detalhada do Estado de São Paulo, Folha de Marília.

A maior parte dos solos da Regional de Marília, aproximadamente 80 %, é composta por Argissolo, podendo ser eles abrúptico ou não, todos com horizonte A moderado ou fraco, textura arenosa/média, e horizonte B textural, textura argilosa, o que os tornam permeáveis na superfície e impermeáveis na sub-superfície. Estes solos apresentam, ainda, manchas eutróficas e distróficas espalhadas por toda a região. Estão situados em áreas de relevo com declividade maior e meias encostas.

Nos topos do relevo, topografia mais suave, pode ser encontrada os Latossolo, sempre distróficos, horizonte A moderado ou fraco, textura arenosa/média. Representam aproximadamente 20 % de toda a área da Regional de Marília.

Os restante 10 %, aproximadamente, são compostos solos do tipo Neossolo e Gleissolo.



1.2.5 Hidrografia:
A região de Marília está localizada no Centro-Oeste do Estado de São Paulo (450 km da capital), ao longo do Planalto Paulista tem início duas importantes Bacias Hidrográficas: Peixe e Aguapeí propiciando a presença de matas (remanescentes de Mata Atlântica) e “grotões” com a presença de muitas “cachoeiras”.

Parte da área da regional, mais especificamente os municípios de Fernão, Gália, Alvinlandia, Lupércio e Ocauçu contribuem para a Bacia do Rio Paranapanema, onde a topografia se torna menos acidentada com presença também de remanescentes de Mata Atlântica.

A área da regional abrange três Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos, UGRHI – 17 bacia do Médio Paranapanema, UGRH – 20 bacia do Aguapeí e UGRHI – 21 bacia do Peixe.

1.2.6 Bacia hidrográfica (UGRHI): 20 – Bacia do Aguapeí
Caracterização da Bacia Hidrográfica do Aguapeí - UGRHI 20
A UGRHI do rio Aguapeí possui área de drenagem de 13.196 Km2, limitando-se ao Norte com a Bacia do Rio Tietê, a Oeste com o Estado do Mato Grosso do Sul, tendo como divisa o Rio Paraná, a Leste seu limite é a Serra dos Agudos e ao Sul encontra-se a Bacia do Rio do Peixe.

É formados pelo Rio Feio, que nasce a uma altitude de 600 metros, entre as cidades de Gália e Presidente Alves, e pelo Rio Tibiriçá, que nasce a uma altitude de 480 metros, junto à cidade de Garça.

A Bacia possui extensão aproximada de 420 Km até sua foz no Rio Paraná, a uma altitude de 260 metros, entre o Porto Labirinto e o Porto Independência.

A (UGRHI)-20 é composta por 89 sub-bacias e possui 32 Municípios inseridos total ou parcialmente em seu território.

O Município de Garça é cabeceira do Rio Tibiriçá, sendo um dos afluentes do Rio do Aguapeí.

Caracterização da Bacia Hidrográfica do Peixe - UGRHI 21

A UGRHI do Rio do Peixe, por sua vez, possui área de drenagem de 10.769 Km² limitando-se com a Bacia do Rio Aguapeí ao Norte, ao Sul com a Bacia do Rio Paranapanema, a Oeste com o Rio Paraná e a Leste com a Serra dos Agudos e a Serra do Mirante. O Rio do Peixe nasce na Serra dos Agudos, numa altitude de 670 metros, percorrendo uma extensão de 380 Km, desembocando no Rio Paraná a uma altitude de 240 metros.

A UGRHI 21 apresenta uma forte similaridade física com a Bacia do Rio Aguapeí - UGRHI 20, pois grande parte dos seus municípios localiza-se exatamente no divisor de águas entre as duas bacias.

O Município de Garça é cabeceira do Rio.



Localização da Bacia do Rio Aguapeí


Caracterização da Bacia do Médio Paranapanema – UGRHI - 17

A UGRHI 17 localiza-se na porção centro-oeste do Estado de São Paulo, de acordo com o mapa; é definida pelas bacias hidrográficas de vários afluentes do Rio Paranapanema, Rio Pardo, Rio Turvo, Rio Novo, Rio Pari e Rio Capivara.

A UGRHI em foco é constituída predominantemente por municípios com menos de 10 mil habitantes. A precipitação media anual é de 1.418 mm.

Os pontos de amostragem de qualidade das águas superficiais nesta UGRHI, da rede de monitoramento da CETESB são os apresentados no Mapa.





1.3 DADOS SÓCIOCULTURAIS
1.3.1 Organizações de Produtores Rurais:
A Regional de Marília possui 22 associações de produtores rurais formalmente constituídas, tendo como atividade principal à pecuária de leite, de corte, a olericultura, a cafeicultura, a fruticultura, além de atividades de ovinocultura, e mandioca. Em fase de legalização existem 6 grupos organizados trabalhando em atividades agropecuária e tipicamente rurais, tais como: artesanato, turismo e agroindústria. Atualmente mais de 50 % dos produtores rurais estão incluídos em algum tipo de organização rural (cooperativas e ou associações de produtores).

Relação das associações e cooperativas da região do MARÍLIA

ASSOCIAÇÕES MBH

ALVARO DE CARVALHO

Córrego Paquerê

APR de Álvaro de Carvalho

ALVINLANDIA

Água da Barra Grande e São João e Anhumas - 13 sócios

Ass. Empresários Rurais de Alvinlândia e Região

FERNAO

Poço da Pedra

APRUFER –Fernão

GARÇA

Água da Jabuticabeira

APR MBH Água da Jabuticabeira

GARÇA

Córrego do Barreiro

APR do Córrego do Barreiro

LUPÉRCIO

Rio Santo Inácio/C.Pendenga - 16 sócios

AAFLU- Associação dos Agric. Familiares de Lupércio

MARÍLIA

Córrego da Cascata- 25 sócios

AACC- Assoc. Agricult.do Córr. do Cascata

MARÍLIA

Córrego do Pádua Sales - 16 sócios

A P R do Bairro Centro Mesquita - ABACEM

OCAUÇU

Ribeirão Ocauçu e Rio Novo - 27 sócios

Assoc dos Criad de Ovinos de ocauçu e Região – ASCOOR

OSCAR BRESSANE

Água da Panela ll

ALB de Oscar Bressane.

QUINTANA

Córrego do Iacri - 27 sócios

APRUQUIM – QUINTANA

VERA CRUZ

Água Fria

Assoc dos Propriet e Prod Rural Microb da Água Fria
ASSOCIAÇÕES FORA DA MBH

FERNÃO

16 SÓCIOS

Associação dos Agricultores Familiares de Fernão

POMPÉIA

18 SÓCIOS

Associação dos Produtores de Leite de Novos Cravinhos-APROLENC

GÁLIA




Associação dos Sericicultores de Gália “ASSEG”

MARÍLIA

170 SÓCIOS

AMAR ASSOCIAÇÃO DOS APICULTORES DE MARÍLIA E REGIÃO

MARÍLIA

22 SÓCIOS

APRAM – Associação dos produtores rurais de Avencas -

MARÍLIA

1.200 SÓCIOS

Cooperativa Agrícola Sul-Brasil de Marília

MARÍLIA/GÁLIA

140 SÓCIOS

ASS. DOS PROD RURAIS DE MARÍLIA E REGIÃO-APRUMAR

MARÍLIA

1.245 SÓCIOS

Coopemar

GARÇA

23 SÓCIOS

Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Região de Garça - Garça Specialty Coffee Association (GSCA).

OCAUÇU

1.237 SÓCIOS

(COOPEMAR) Filial Ocauçu

LUPÉRCIO

49 SÓCIOS

Sociedade Produtores de Álcool de Lupércio Ltda

GÁLIA

10 MEMBROS

Grupo Informal “Sedas e Flores”

VERA CRUZ

300 SÓCIOS

COOPERATIVA DOS CAFEICULTORES DA REGIÃO DE VERA CRUZ

VERA CRUZ

40 SÓCIOS

Ass. dos Fruticultores da Região de Vera Cruz-


Baixar 2.59 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   63




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
ensino fundamental
ensino médio
Processo seletivo
minas gerais
Conselho nacional
terapia intensiva
Curriculum vitae
oficial prefeitura
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
educaçÃo infantil
saúde mental
direitos humanos
Centro universitário
Poder judiciário
educaçÃo física
saúde conselho
assistência social
santa maria
Excelentíssimo senhor
Conselho regional
Atividade estruturada
ciências humanas
políticas públicas
outras providências
catarina prefeitura
ensino aprendizagem
secretaria municipal
Dispõe sobre
Conselho municipal
recursos humanos
Colégio estadual
consentimento livre
ResoluçÃo consepe
psicologia programa
ministério público
língua portuguesa
público federal
Corte interamericana