Pensamento Para se cogitar sobre ações de segurança, não despreze suas sensações de medo. É prudente. O autor. ÍNdice



Baixar 89,16 Kb.
Página3/10
Encontro10.03.2018
Tamanho89,16 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10
2

INIMIGO OU INIMIGA INTERNO(A)?

Nas áreas de segurança, defesa e administração, é comum mencionarem algo sobre um tal de inimigo interno. Quem seria um inimigo interno? Vamos ver:

Partindo do ponto básico e absolutamente óbvio, o inimigo interno, é um ser humano, cabendo ser homem, ou mulher e pode ainda ser um tipo atraente, ou absolutamente, feio ou feia, magro esbelto, gordo e obeso, ou ser um agente de limpezas sem esquecer que pode ser um diretor presidente de uma organização ou diplomata.

Sua capacidade intelectual, pode ser surpreendente tal a elevação, mas,.. igualmente pode ser uma daquelas pessoas, inacreditavelmente limitadas.

Sem tentar esgotar um rascunho de ensaio sobre o inimigo interno, ele ou ela podem brasileiro, natural de seu estado na federação, ou até além de poder ser um amigo do peito da infância, ainda ser da sua família de sangue ou de interesses.

O inimigo interno, pode jurar bandeira ou fidelidade, mas pense: se cada pessoa tem seu preço, qual seria o do inimigo interno?

Longe dos disfarces, nada raro ridículos, que sequer só convence a quem deste recurso se servem, o inimigo interno, pode mostrar sua face, com barba, ainda com o sem maquiagem, vestidos ou nus, sendo muito perigosos, se se mostram nuas, e segundo uma tipologia difundida pela mídia.

Vejam só! Se tudo isso, parece se claro, óbvio, cogite, mas sem paranoias, de que o inimigo interno, pode ter virtudes e ser de tal forma confiável, que uma simples ação dele, ou dela, gera custo operacional devido a ação de revisão de um levantamento policial investigativo ou de outro que o equivalha.

Aaaahhh,..Como são confiáveis os inimigos internos sem falar da inimigas,.. São todos amigos, participativos, pró ativos e progressistas. Promoção,.. interessa ao inimigo interno, que sempre sociável, quiçá hospitaleiro e discreto, sempre são voláteis em seus posicionamento desde que lhes facilitem acesso ao temas e assuntos estratégicos e os sensíveis, que aliás, sobre este últimos, sempre esboçam, fino trato.

Como será reconhecer um inimigo interno? Será fácil, casual, ou requer cursos de Inteligência, contra inteligência, com avançadas abordagens sobre psicologia, sociologia e outras disciplinas que melhora qualifique um analista? Vá saber. Isso é assunto para quem pode e não para que quer. Pois reconhecer um inimigo interno ou uma doce inimiga, é lidar com dúvidas sobre sua própria ótica de percepção. É lidar com a descrença sobre tudo o quanto lhe foi dito, por vezes crido e inventado, a semelhança dos recursos utilizados pelo CIA, para em criando um espião, inimigo, mas que atua na “Casa”, despertar mais atenção dos seus agentes.

Malditos ou bem ditos inimigos internos! Pois podem ser de todas as áreas do saber, só modificando seus interesses, até que um dia, sem desejar, escorregar, pois a semelhança do mais perfeito profissional civil, militar ou religiosa, o inimigo interno é imperfeito e erra, depois de, se percebido, for observado, durante anos a fio, pelos olhares mais discerníveis. Como perceber um inimigo interno? ISSO FAZ PENSAR, pois o inimigo interno, age e nem sempre como camaleão.

Sandive Santana / RJ.






Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10


©psicod.org 2017
enviar mensagem

    Página principal