Olhares da História 2 Brasil e mundo


Tópicos principais do capítulo



Baixar 0.8 Mb.
Página646/678
Encontro01.06.2019
Tamanho0.8 Mb.
1   ...   642   643   644   645   646   647   648   649   ...   678
373

Tópicos principais do capítulo

- Abertura: a imagem que abre o capítulo apresenta as comemorações pela independência do Brasil realizadas na Bahia todos os anos no dia 2 de julho, data distinta da comemoração oficial, o dia 7 de setembro. Apesar de o Brasil ter se tornado independente, o início do Estado monárquico foi marcado por revoltas e descontentamentos da população em diversas províncias, já que o processo de emancipação política não contou com a participação popular. O tema poderá ser aproveitado para incentivar os alunos a refletirem sobre o papel e a participação da população brasileira nos projetos políticos para o país no presente. Após o estudo do capítulo, essa abertura deve ser retomada e revista à luz da atividade Articule passado e presente.

- Antes de prosseguir o estudo do capítulo, incentive os alunos a se localizar no tempo e no espaço (seção Onde e quando). Neste capítulo estará em foco: Brasil, durante o século XIX.

- Tema central: os embates políticos e os projetos de nação no processo de consolidação do Estado nacional brasileiro até meados do século XIX; retomada da perspectiva da história como um conjunto de múltiplas possibilidades, das quais uma sai vencedora. A vitória do projeto monárquico lusófilo de independência destaca que o Estado brasileiro, desde a sua estruturação, ficou marcado por um caráter profundamente oligárquico. Portanto, este é o momento de definir e retomar o conceito de oligarquia, que será bastante usado nos próximos capítulos.

- Seção As rebeliões regenciais: com as informações do capítulo, os alunos, em grupos, podem ser incentivados a realizar novas pesquisas sobre o tema na internet e reuni-las em um mural, aprofundando o tema das revoltas e rebeliões do período. Ao aprofundar um tema que se opõe diretamente ao processo vitorioso de formação do Estado, pode-se reforçar a questão das lutas políticas como arena que definiu o resultado do processo histórico - em oposição à ideia fatalista que trata os resultados como se fossem "naturais" e óbvios.

- Cultura juvenil: pode-se propor que o estudo das rebeliões e a apresentação dos resultados utilizem recursos artísticos do próprio repertório cultural dos alunos, como a paródia de músicas e ritmos, o uso de técnicas de grafite ou de pintura de rua, um sarau ou uma poesia.





Baixar 0.8 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   642   643   644   645   646   647   648   649   ...   678




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
ensino médio
terapia intensiva
Conselho nacional
minas gerais
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
saúde mental
educaçÃo infantil
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
outras providências
secretaria municipal
catarina prefeitura
recursos humanos
Dispõe sobre
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
psicologia programa
ministério público
conselho estadual
público federal
Serviço público