Olhares da História 2 Brasil e mundo



Baixar 3,11 Mb.
Página604/678
Encontro01.06.2019
Tamanho3,11 Mb.
1   ...   600   601   602   603   604   605   606   607   ...   678
Pratique

6 a) Equipamentos tipográficos chegaram às terras do atual Brasil com a Corte de dom João, em 1808. O uso de uma tipografia, para garantir a publicação e a circulação de materiais escritos, já era considerado algo importantíssimo para o bom funcionamento de um governo. A princípio, segundo o texto, a ideia era imprimir documentos oficiais, como editais, avisos, ordens régias, etc. Logo em 1810, porém, os primeiros romances começaram a ser publicados aqui.

b) Este item é uma oportunidade para que os alunos desenvolvam a habilidade de comparar textos, ideias e teorias. É esperado que eles percebam que a visão dos pesquisadores citados neste item complementa a visão da entrevistada Márcia Abreu: eles consideram que a Imprensa Régia, para além de imprimir documentos oficiais, passaria basicamente a fazer uma "propaganda de Estado" da corte instalada na América. Isso seria feito em um momento tenso, em que posicionamentos políticos estavam em jogo e a construção de uma "união" em torno do governo de dom João nestas terras era necessária.

c) Ao longo da entrevista, Márcia Abreu cita o crescimento rápido das tipografias particulares pelas terras do atual Brasil, a partir de 1808. O sucesso obtido com a republicação de romances que circulavam em Portugal (portanto, em português) e a proliferação de tipografias é, para o entrevistador, uma informação importante, pois, nesse momento, ele comenta: "Esse dado não parece ter conexão com a avaliação atual de que o brasileiro lê pouco." Essa é a conexão realizada com o presente: entrevistador e entrevistada conversam sobre a elaboração de um mito atual (o de que os brasileiros leem pouco) e encontram, no passado, um fator que pode desconstruí-lo.

d) Em sua última resposta, Márcia Abreu diz que "Quando falamos de baixo índice de leitura no Brasil de hoje, isso não é totalmente correto. A gente fala isso como um chavão, que vai sendo repetido." Ela então diz que, para refletir sobre o assunto, devemos avaliar os dados, e os dados dizem que best sellers, por exemplo, fazem muito sucesso no Brasil, com milhões de exemplares vendidos. Desse modo, ela problematiza o mito de que o brasileiro lê pouco e o desconstrói, considerando algumas variáveis, como o fato de os livros ainda serem muito caros no Brasil. Os alunos devem ser incentivados a expressar sua opinião, levando em conta seus próprios hábitos de leitura, bem como de seus amigos e familiares. Lance a eles questões que possam instigar o debate, como "Será que a população lê pouco, mesmo?"; "Hoje, que ferramentas nos permitem ter acesso a leituras?"; "O que vocês gostam de ler no tempo livre?".






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   600   601   602   603   604   605   606   607   ...   678


©psicod.org 2019
enviar mensagem

    Página principal