Olhares da História 2 Brasil e mundo



Baixar 0.8 Mb.
Página562/678
Encontro01.06.2019
Tamanho0.8 Mb.
1   ...   558   559   560   561   562   563   564   565   ...   678
Atividades

Retome

1 O grande aumento populacional na região das minas promoveu o surgimento de diversas vilas e cidades. As necessidades dessa população em crescimento (por mercadorias, gêneros alimentares, vestimentas e instrumentos de trabalho, por exemplo) impulsionaram ainda mais o desenvolvimento comercial na região, marcando, assim, o caráter notadamente urbano dessas transformações. Além disso, as atividades culturais também floresceram nesse cenário.

2 a) Depois das notícias sobre as descobertas de ouro, ocorreram deslocamentos populacionais significativos em direção à região das minas. A população, portanto, aumentou muito, alcançando a marca de 3,3 milhões de indivíduos no final do século XVIII.

b) A transferência da capital para o Rio de Janeiro se relaciona à atividade mineradora, uma vez que o eixo da principal atividade produtiva se deslocara: do Nordeste (engenhos de cana) para o Centro-Sul. O escoamento do ouro se dava em grande parte pelo porto do Rio de Janeiro. Com isso, estradas e caminhos foram abertos, o que propiciou também a intensificação do comércio interno para abastecimento da região mineradora.



3 a) O grande número de pessoas trabalhando na exploração do ouro fez com que ele passasse a circular entre pes soas comuns. Muitos africanos e afrodescendentes escravizados conseguiam, com os seus ganhos, adquirir sua liberdade. Além disso, a diversificação de ocupações (com o surgimento, naquele cenário urbano, de artesãos, intelectuais, comerciantes, etc.) possibilitava uma movimentação social e certa distribuição de riquezas entre pessoas de diferentes origens. Tudo isso, portanto, colaborava para a mobilidade social na região.

b) Em seu texto, Eduardo França trata justamente das mulheres forras que conseguiram dedicar-se ao comércio na região das minas, e, assim, ascender socialmente. Entre os diversos exemplos fornecidos pelo historiador, temos mulheres que administravam vendas e até possuíam escravos.

c) Chica da Silva era filha de uma escrava. Viveu no Arraial do Tijuco, atual Diamantina, no século XVIII. Após obter sua liberdade, Chica casou-se com um contratador de diamantes do Arraial do Tijuco e com ele teve 13 filhos. Comente com os alunos que, atualmente, muitos pesquisadores consideram que sua trajetória (a de uma ex-escrava que conseguiu a liberdade e se transformou numa "senhora" de posses) não foi exceção na região das minas. Segundo historiadores como Júnia Furtado, ocorre que a vida de Chica da Silva foi romantizada, transformando-se em obras de literatura, cinema e seriados que enalteceram sua condição, como se ela fosse uma exceção, quando, na verdade, não era.

d) Eduardo França escolheu esse título ("As outras Chicas da Silva") justamente para marcar a ideia de que Chica não era exceção.

Para subsidiar seu trabalho em sala de aula com essa atividade, compartilhe, se desejar, o seguinte trecho com os alunos: "A passagem do discurso historiográ fico para o discurso ficcional foi importante para o desenvolvimento e a difusão do mito [sobre Chica da Silva]. Desde a menção nos cantos XIII (a) XIX do Romanceiro da Inconfidência (1953), de Cecília Meireles, até a telenovela Xica da Silva, produzida pela TV Manchete em 1996 e 1997, passando pelo balanço da "Xica da Silva" de Jorge Ben (1976), o mito se massificou. Alternam-se

346

narrativas ora positivas, ora negativas sobre a personagem, mas a maioria das versões remonta - com algumas correções ou pequenas modificações - ao estudo de Joaquim Felício dos Santos. Seu sobrinho-neto, João Felício dos Santos, publicou em 1976 o romance Xica da Silva, que serviu de base tanto para o roteiro do filme de Cacá Diegues (do mesmo ano) quanto para o texto da telenovela, escrita por Walcyr Carrasco. O livro constrói a imagem de uma Chica sensualizada, ou seja, mulher negra cujos atributos sexuais conseguiram atrair o mais poderoso homem daquela região. O filme massificou a imagem de uma ex-escrava autoritária e gratuitamente perversa. A telenovela levou ao extremo a erotização e o descompromisso com a realidade histórica do século XVIII." (LIMA, Fabiana. A mulher que virou mito. Revista de História da Biblioteca Nacional, 1º ago. 2014. Disponível em: www.revistadehistoria.com.br/secao/educacao/a-mulher-e-o-mito. Acesso em: 9 fev. 2016).



4 Portugal tivera suas finanças comprometidas após a expulsão dos holandeses da região nordeste da América portuguesa e a consequente crise no comércio açucareiro. Além disso, os tratados com o governo da Inglaterra (Tratado de Methuen) deixavam a Coroa portuguesa em situação difícil, pois era obrigada a importar manufaturas e não produzi-las em Portugal. Com isso, sua balança comercial estava desequilibrada, pois muito do ouro encontrado na América portuguesa dirigia-se para a Inglaterra, como pagamento de dívidas desse comércio. O controle da exploração do ouro, porém, não foi suficiente para garantir o reequilíbrio total das finanças portuguesas.



Baixar 0.8 Mb.

Compartilhe com seus amigos:
1   ...   558   559   560   561   562   563   564   565   ...   678




©psicod.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
processo seletivo
concurso público
conselho nacional
reunião ordinária
prefeitura municipal
universidade federal
ensino superior
Processo seletivo
ensino fundamental
ensino médio
terapia intensiva
Conselho nacional
minas gerais
oficial prefeitura
Curriculum vitae
Boletim oficial
seletivo simplificado
Concurso público
Universidade estadual
saúde mental
educaçÃo infantil
direitos humanos
Centro universitário
educaçÃo física
Poder judiciário
saúde conselho
santa maria
assistência social
Excelentíssimo senhor
Atividade estruturada
Conselho regional
ensino aprendizagem
ciências humanas
políticas públicas
ResoluçÃo consepe
outras providências
secretaria municipal
catarina prefeitura
recursos humanos
Dispõe sobre
Conselho municipal
Colégio estadual
consentimento livre
psicologia programa
ministério público
conselho estadual
público federal
Serviço público